Cai o volume de dívidas renegociadas no Brasil

Posted on

De acordo com o indicador de recuperação de crédito do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a quantidade de dívidas inadimplencia(1)regularizadas em julho recuou 8,34% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Trata-se da sexta queda consecutiva e do segundo recuo mais intenso desde janeiro de 2013, início da série histórica do indicador.

Na comparação com junho de 2015, o número de pessoas inadimplentes que regularizaram as suas pendências financeiras em atraso e, tiveram o CPF retirado dos cadastros de negativação, registrou queda de 0,40%. No acumulado do ano, o volume de consumidores que limparam o nome também é negativo: -5,39%.

Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, a piora do indicador está relacionada com o difícil cenário macroeconômico. “O consumidor tem sentido os efeitos do menor crescimento da renda, do aumento da massa de trabalhadores desempregados e do aperto fiscal, que contribuem para a piora no cenário da recuperação de crédito”, diz a economista.

Os especialistas do SPC Brasil e da CNDL avaliam que ainda não será neste ano que a economia brasileira deve esboçar reação. “A piora recorrente dos indicadores de quitação de dívidas, vendas parceladas e de inadimplência revela que 2015 é um ano que requer cautela do consumidor. Ele deve se precaver, fazendo uma reserva financeira para lidar com imprevistos e optando sempre pelo pagamento à vista”, alerta a economista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.