Acessibilidade sustentável é tema de plano estratégico em Fortaleza

Posted on Updated on

O prefeito Roberto Cláudio (PDT, na foto, à direita) assinou a Ordem de Serviço de elaboração do Plano de Acessibilidade Sustentável de Fortaleza (PAS-For). A iniciativa, orçada em R$ 11,3 milhões, visa implantar, no período de 24 meses, uma cultura multimodal sustentável capaz de reduzir o tempo de deslocamento da população, aumentar a eficiência e a qualidade do sistema de transportes coletivos da Capital, além de incentivar o uso de modais não-motorizados.

Será realizada uma pesquisa de origem/destino no tocante aos deslocamentos da população da Capital e de sua área de influência, composta pelos municípios de São Gonçalo do Amarante, Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Pacatuba, Guaiúba, Eusébio, Aquiraz, Itaitinga, Horizonte, Pacajus e Chorozinho. A abrangência se justifica pela relevância do impacto que o trânsito dos territórios vizinhos, que compõem o sistema coletivo metropolitano e metroferroviário de transportes, causa à Capital.

Os estudos deverão consultar cerca de 23 mil domicílios e apontarão, até o fim deste ano, a condição em que se realizam os deslocamentos de pessoas e cargas no território urbano, proporcionando acesso estratégico, amplo e democrático a diversos espaços. Assim, serão realizadas análises de demanda de pessoas (origem e destino domiciliar, volumétricas, de preferência declarada, entre outras), de demanda de carga (origem e destino de cargas, volumétricas, de preferência declarada, entre outras), modelagem da demanda e da oferta de transporte e dos sistemas intervenientes.

Segundo Roberto Cláudio, a iniciativa reforça os avanços já conquistados no âmbito da mobilidade urbana de Fortaleza desde 2013 e atende a reivindicações antigas de setores que planejam o trânsito da Capital. Além disso, ofertará dados científicos, precisos e criteriosos às universidades locais. “Além de ofertar uma pesquisa rica, será possível, a partir dela, redesenhar a distribuição e a integração de linhas de ônibus, reduzindo o tempo das viagens e integrando um conjunto de inovações que vêm surgindo a nível municipal. Além dos ônibus e da vans, as bicicletas estarão ainda mais descentralizadas em 12 meses, nova linha de VLT passará a rodar neste ano, a metrô linha sul começa a operar até o fim deste ano, além do início do metrô linha leste. Portanto, saberemos como fazer integrações inteligentes e economicamente eficientes para o cidadão, dando maior agilidade a múltiplos modais”, afirmou.

A titular da secretaria da Infraestrutura de Fortaleza, Manuela Nogueira, acrescentou que a iniciativa deverá minimizar os impactos negativos provenientes do tráfego inadequado de transportes de carga. “A nossa ideia é fazer Plano de cargas que escolha vias e horários e evite constrangimentos à Cidade, seja engarrafamento ou quebra de pavimento”, pontuou.