58% das indústrias do Ceará já usam tecnologias digitais, diz Fiec

Posted on Updated on

A quarta revolução industrial já é uma realidade e requer que as empresas incorporem um conjunto de tecnologias digitais para manterem-se competitivas. Estudo realizado pelo Núcleo de Economia e Estratégia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) mostra que no Ceará, ainda que em estágio inicial, tecnologias digitais são adotadas em mais da metade das empresas, de acordo com sondagem feita com empresários do Estado. Em 2018, o percentual das empresas que utilizam pelo menos uma das 15 tecnologias digitais consideradas na pesquisa é de 58%, contra 42% que não utilizam nenhuma.

No entanto, entre o início de 2016 e o de 2018, o percentual de empresas que já utilizam tecnologias digitais apresentou crescimento de apenas 2 pontos percentuais, de 56% para 58%. No Brasil, de acordo com sondagem feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) apenas com empresas de grande porte, 73% das empresas utilizam pelo menos uma das tecnologias assinaladas na pesquisa. No Ceará, quando restringimos a amostra somente para empresas de grande porte, o percentual passa de 58% para 71%, mostrando que o Estado tem incorporado tecnologias digitais em ritmo similar ao restante do país.

Por outro lado, o uso de tecnologias digitais se diversificou no Estado, o que indica que empresas que incorporam tecnologias digitais tendem a utilizar mais de uma dessas tecnologias. Entre 2016 e 2018, todas as tecnologias apresentaram crescimento em seu percentual, com particular importância para o crescimento no uso de “Simulações/análise de modelos virtuais” e “Utilização de serviços em nuvem associados ao produto”.

Além disso, a pesquisa indicou que as tecnologias mais utilizadas são “Projetos de manufatura por computador CAD/CAM” (32% das assinalações), “Automação digital com sensores para controle de processo” (31% das assinalações), “Automação digital com sensores com identificação de produtos e condições operacionais, linhas flexíveis” (27% das assinalações) e “Sistemas integrados de engenharia para desenvolvimento e manufatura de produtos” (27% das assinalações).

No entanto, o percentual de empresas que utilizam tecnologias digitais mais avançadas, tais como Big Data, Robótica Avançada, Manufatura Aditiva e Sistemas Inteligentes de Gestão segue baixo. “Esse resultado já era esperado, uma vez que a incorporação dessas tecnologias mais avançadas está relacionada a um amadurecimento no uso de tecnologias digitais, uma vez que o avanço para essas aplicações significa uma transformação maior no modo de produção e modelo de negócio”, avalia o economista da FIEC, Antonio Martins.

A incorporação de novas tecnologias é um passo essencial para o desenvolvimento produtivo, assim como o crescimento econômico, do estado do Ceará. Na vanguarda desse processo se encontra a Indústria 4.0, a qual constitui a convergência e aplicação de diversas tecnologias industriais, entre elas: Robótica Avançada, Manufatura Aditiva, Big Data, Internet das Coisas, Computação em Nuvem, Cibersegurança e Simulação.

Esse conjunto de tecnologias possibilita o aumento da eficiência operacional, flexibilização das linhas de produção e encurtamento dos prazos de lançamento de produtos, além de maior flexibilização na criação de produtos. Mais ainda, essas tecnologias permitem reduzir custos operacionais, melhorar a qualidade dos produtos e serviços e melhorar o processo de tomada de decisão.

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará com as casas Serviço Social da Indústria (Sesi Ceará), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Ceará) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL Ceará) – é impulsionadora do desenvolvimento social e econômico do Estado, estimulando a competitividade, gerando novos negócios, e fortalecendo vínculos institucionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.