União sanciona leis com verbas extras para Justiça e Ministério Público

Posted on Updated on

O Executivo Federal sancionou leis que abrem crédito no Orçamento da União para o Ministério Público da União (MPU) e as Justiças Federal, Eleitoral e do Trabalho. Juntos, os créditos somam cerca de R$ 107 milhões, que serão usados principalmente na aquisição, construção e reforma de prédios para abrigar os serviços.

A Lei 13.705/18 abre crédito de R$ 92,2 milhões no Orçamento da União. A maior parte dos recursos (R$ 65 milhões) será para a compra de imóveis para fóruns trabalhistas nas cidades de Barra Mansa, São Gonçalo e Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, e para reformas de edifícios do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na capital fluminense.

Outros R$ 20 milhões serão usados para a aquisição de edifício-sede para o Fórum Trabalhista de Contagem (MG). Há, ainda, recursos para a construção de edifícios-sede da Justiça Federal em Joinville (SC) e Campo Formoso (BA) e para reforma de cartórios eleitorais em Santarém (PA) e Juruti (PA).

O MPU também receberá parte do montante, para compra de edifícios-sede em Santos (SP) e Volta Redonda (RJ).
Para compensar parte do Orçamento da União (a concessão de crédito especial não precisa provar disponibilidade no Orçamento), foram canceladas despesas com os tribunais regionais do Trabalho da 1ª e da 3ª regiões, com o Ministério Público do Trabalho, a Justiça Federal de Primeiro Grau e o Tribunal Regional Eleitoral do Pará.

Já a Lei 13.706/18 abre crédito suplementar de R$ 15,4 milhões ao MPU e às Justiças Federal e do Trabalho.

O texto foi alterado a pedido do Ministério do Planejamento, que destinou R$ 4 milhões para a defesa do interesse público no processo judiciário, no âmbito do Ministério Público Federal. Com isso, a construção do Centro de Treinamento da Escola Superior do MPU contará com R$ 3,4 milhões, em vez dos R$ 7,4 milhões inicialmente previstos. Também foram destinados recursos para a construção da nova sede da Procuradoria da Justiça Militar, no Rio de Janeiro.

O dinheiro previsto para a Justiça Federal será usado para modernizar as instalações da Seção Judiciária de Ilhéus (BA) e para pagar serviços de comunicação de dados de longa distância.

Para a Justiça do Trabalho, o crédito vai permitir a construção do edifício para abrigar a Sede da Vara do Trabalho de Queimados (RJ); e para a modernização tecnológica de sedes no Tocantins, em Santa Catarina e no Distrito Federal.

Quando se trata de crédito suplementar, a origem dos recursos precisa ser indicada no Orçamento da União. Para compensar a abertura desse crédito suplementar, foram cancelados créditos que originalmente iriam para a Justiça Federal de Primeiro Grau, os Tribunais Regionais do Trabalho da 1ª, 10ª e 12ª Regiões, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Militar.

Deixe uma resposta