Caucaia (CE): rede socioassistencial vai apoiar moradores de áreas beneficiadas pelo Programa de Infraestrutura Integrada

Posted on Updated on

A Unidade de Gerenciamento de Projetos (UGP) da Prefeitura de Caucaia começou a montar uma rede socioassistencial para dar apoio aos moradores de áreas que serão beneficiadas com obras do Programa de Infraestrutura Integrada. O encontro aconteceu no Itambé, um dia após o prefeito Naumi Amorim discutir com técnicos da gestão municipal o plano de ataque desses projetos – ou seja: como eles serão executados de forma a impactar o mínimo possível a vida dos moradores do entorno dos canteiros.

Nesse processo, a rede socioassistencial cumpre papel importante. Será dela a missão de apresentar o Programa às comunidades e sensibilizá-las quanto aos avanços. Trata-se de um financiamento de 80 milhões de dólares cujo maior investimento (66%) será na política de mobilidade urbana, com mais de 500 ruas e avenidas asfaltadas e outras intervenções estruturantes.

Compõem a rede socioassistencial representantes da UGP e das secretarias municipais de Educação (SME), Planejamento Urbano e Ambiental (Seplam), Desenvolvimento Social (SDS) e Patrimônio, Serviços Públicos e Transporte (SPSPTrans). “Esse grupo vai colocar em prática várias ações. Tudo muito bem planejado porque esse é um programa que vai mudar a cara de Caucaia. Nós temos que ter a consciência de que as obras vão causar algum transtorno e precisamos estar prontos para prestar todo o apoio possível à população”, pontuou o diretor da UGP Fábio Mota.

A partir de agora, mapeamentos e diagnósticos começam a ser feitos em paralelo ao processo licitatório dos dois lotes iniciais das obras financiadas pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). O primeiro deles contempla nove ruas e tem previsão de as intervenções começarem em março. “Quando você se dispõe a ouvir e a resolver os problemas das pessoas, as coisas têm resultados. E as crianças podem nos ajudar muito nisso”, sintetizou a subsecretária da Seplam, Adelina Feitosa.

A ideia é promover campanhas educativas, oficinas, concursos e gincanas em escolas para conscientizar a comunidade estudantil sobre a relevância do Programa, o primeiro da história de Caucaia financiado com recurso internacional. Na Jurema, primeira região a receber obras, a Prefeitura mantém 61 unidades escolares. Elas concentram quase 25 mil crianças e adolescentes que serão envolvidos em atividades da rede socioassistencial.

Além disso, o colegiado pretende atuar diretamente junto às populações afetadas pelas obras. “Precisamos fazer reuniões com pequenos grupos, contemplando rua a rua. As pessoas precisam estar conscientes dos benefícios que essas obras vão gerar”, pontuou a assistente social da Seplam Fátima Gomes.

Deixe uma resposta