Indicadores da indústria cearense sofrem recuo

Posted on Updated on

A Sondagem Industrial de janeiro, elaborada pelo Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), revela queda nos principais indicadores de atividade da indústria cearense, ao passo que as expectativas do empresariado revelam projeções de crescimento para os próximos seis meses do ano.

Em janeiro, a indústria cearense apresentou novamente contração da produção, apesar da menor magnitude em relação ao mês anterior. Os dados também revelam que o setor operou com capacidade abaixo do usual para o mês, reforçando a trajetória de expansão da ociosidade observada desde outubro do ano passado. A pesquisa constata também que houve contração do quadro de funcionários do setor e que os estoques de manufaturados se situaram de acordo com o patamar planejado para o mês de janeiro.

As expectativas ainda são consideradas positivas para os próximos meses, apesar da queda dos principais indicadores de atividade industrial em janeiro. No que se refere à demanda, à compra de insumos e matérias-primas, as projeções dos industriais cearenses sinalizam cenário de crescimento ao longo dos próximos seis meses. No entanto, não há sinalização para expansão do quadro de funcionários do setor e as expectativas são de redução do volume exportado de bens industriais.

Por fim, a intenção de investimento alcançou 60,7 pontos em fevereiro, representando um leve recuo de 1,2 pontos ante janeiro. Apesar da contração, o valor situa-se bem acima da média histórica de 51,5 pontos, o que reforça as perspectivas positivas para a indústria do Ceará em 2019. A pesquisa é feita em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Confira o estudo completo aqui.

Deixe uma resposta