Instituto Ayrton Senna e Fundação Banco do Brasil firmam parceria

Posted on Updated on

O Instituto Ayrton Senna e a Fundação Banco do Brasil anunciam, nesta sexta-feira (22.2), uma parceria com foco na alfabetização plena de milhares de crianças brasileiras. Dessa forma, além de garantir que os alunos possam ler, escrever e contar adequadamente, os projetos também buscarão desenvolver competências como colaboração, curiosidade e autoconfiança, conhecidas como socioemocionais e com grande influência no sucesso escolar e futuro desses estudantes, garantindo-lhes o desenvolvimento integral. O acordo deverá beneficiar cidades em mais de dez estados, de quatro regiões brasileiras, por meio da formação de cerca de dois mil educadores que atuam nas redes públicas municipais e que poderão impactar quase 300 mil crianças.

Para cumprir o objetivo da alfabetização plena, o Instituto Ayrton Senna, com o apoio da Fundação Banco do Brasil, levará às secretarias de educação (listadas abaixo) diversos de seus projetos educacionais (também listados abaixo). Além de contribuir para o aumento da proficiência escolar por meio de metodologias próprias, os programas também buscarão reduzir outros dois importantes desafios nacionais: as dificuldades de gestão das políticas públicas de alfabetização pelas secretarias de ensino e a alta taxa de distorção idade-série (alunos com mais de dois anos de atraso escolar).

Segundo dados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), 55% das crianças brasileiras ao final do terceiro ano do Ensino Fundamental, com oito anos de idade ou mais, não sabem ler ou contar adequadamente. A maior causa da manutenção dessa triste realidade encontra-se na ineficácia dos processos de alfabetização. “É preocupante ver que, em pleno século 21, ainda não conseguimos alfabetizar plenamente nossas crianças, algo que deveria ser básico. Este assunto é urgente”, afirma a presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna. Segundo Viviane, a fragilidade de uma alfabetização plena acarreta efeitos nefastos ao longo dos anos, como reprovações, distorção idade-série e evasão, comprometendo não apenas a vida do estudante, mas também o entusiasmo para sua formação como cidadão autônomo e protagonista no mundo.

No último levantamento feito pelo Instituto Ayrton Senna, de 2017, 77% dos alunos participantes dos projetos educacionais da organização recuperaram a defasagem escolar; 79% dos estudantes não alfabetizados terminaram o ano adequadamente alfabetizados; enquanto que 80% das crianças com dificuldade de leitura e escrita finalizaram o ano com aprendizado adequado.

Para o presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, o acordo reforça o propósito de valorizar a vida das pessoas por meio da educação. “É uma honra contar com essa parceria, pois sabemos que investimento social em educação faz a diferença na vida dessas crianças e jovens, transformando realidades”, diz.

A assinatura da parceira será realizada nesta sexta-feira (22), na sede do Banco do Brasil, em Brasília (DF). Além de Viviane e Asclepius, participam da cerimônia de celebração o vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo Junior e o vice-presidente de Gestão de Pessoas, Suprimento e Operações do Banco do Brasil, Antônio Gustavo Matos do Vale, além do diretor de Desenvolvimento Global do Instituto Ayrton Senna, Emilio Munaro.

Localidades do Nordeste atendidas pelo acordo:

Fortaleza (CE)

Salvador (BA)

Juazeiro (BA)

Teresina (PI)

Feira de Santana (BA)

Maceió (AL)

Deixe uma resposta