Tapuio projeta crescimento de 16% para 2019

Posted on Updated on

A Tapuio Agropecuária, única empresa brasileira a exportar mozzarella de búfala nacional para os Estados Unidos e forte atuante no mercado do Nordeste e Centro-Oeste, com queijos de bubalinos, ovos caipiras e carnes de búfalo, fecha balanço de 2018 e apresenta crescimento de 4 % em relação ao ano anterior. Em 2017 a empresa já havia mostrado balanço positivo, quando faturou R$ 23,3 milhões. Já em 2018, fechou o ano com R$ 24,2 milhões. A expectativa é que com a venda de burratas (um tipo de queijo também derivado de leite bubalino) e com o investimento no mercado de cortes premium de carne de búfalo, a Tapuio alcance um faturamento de R$ 28,1 milhões em 2019, o que representará um aumento de 16% no encerramento deste ano.

O faturamento favorável de 2018, segundo Francisco Veloso, diretor executivo da Tapuio, é justificado principalmente pelo desempenho da marca de queijos DiBufalo, que de 2017 para 2018 cresceu 19% com a venda de mozzarellas e burratas. Agora a meta é atingir, para esta marca, crescimento de 30% em 2019.

Já para o mercado de ovos, onde a marca Mr. Caipira, também da Tapuio, está presente, a estratégia é investir em embalagens ecológicas (recicláveis) para defender o share perante os concorrentes. “Para o mercado de ovos caipiras, o foco é mostrar ao consumidor, avanços na qualidade do produto e bem estar animal das aves, por isso até 2021 todas as nossas aves estarão livres de gaiolas. Ressalto ainda que nossos ovos possuem número de rastreabilidade impresso na casca, o que garante não só qualidade, mas também origem e segurança alimentar para quem os consome”, explica Veloso.

Com o mercado já aberto para escoar a produção de queijos de búfala e ovos em estados como Rio Grande do Norte, Fortaleza, Alagoas, Pernambuco, Ceará, Sergipe, Paraíba, Goiás, Brasília e Distrito Federal, a empresa recentemente iniciou a venda de carnes de bubalinos em cortes para churrasco e para a alta gastronomia. A projeção é que os novos produtos contribuam com 5% a mais no faturamento geral deste ano.

Com “apetite” pela expansão nacional de seus produtos (queijos e carnes) da marca DiBufalo, Francisco Veloso quer um rebanho mais produtivo. Para isso investe em evolução genética, manejo alimentar, captação de novos parceiros produtores de leite no RN e PB, além de incremento da escala de produção nos atuais parceiros de PE.

Para o mercado externo, para onde a empresa já exporta para os Estados Unidos desde 2017, as expectativas também são boas este ano: “Temos pedidos de massa para produção de burratas para o Uruguai e estamos negociando para intensificar as exportações para os Estados Unidos, cuja missão nos visitou em dezembro de 2018, juntamente com um técnico italiano, que chancelou nossas instalações e processos. Estamos muito otimistas quanto a 2019, em função das negociações em andamento para Uruguai e EUA.”, explica o empresário e fundador da Tapuio.

Posicionamento no Brasil e olho no mercado externo

A Tapuio atua no agronegócio desde 1991, contando com uma área de quase 500 hectares, onde tem 1.400 cabeças de búfalos, da raça Murrah, que é de origem indiana e reconhecida pela fácil adaptação ao clima árido. Desses animais, mais de 450 são búfalas em lactação, que produzem 3.000 litros de leite por dia, que resultam em cerca de 20 toneladas de queijos por mês.  Na fazenda Tapuio, são gerados 146 empregos diretos.

Com faturamento de R$ 24,2 milhões em 2018, os produtos da Tapuio Agropecuária, derivados do leite de búfalas, são distribuídos para todos os estados Nordeste, Centro-Oeste e Distrito Federal. Já os ovos são distribuídos no Nordeste. A empresa também atua no mercado externo, com exportações para os Estados Unidos. As possibilidades de ampliação da exportação são significativas: a empresa está negociando exportações para Argentina, Peru e Uruguai. “Percebemos que o bem-estar animal, com a criação de búfalos em pasto – e não em confinamentos, como é comum em outros países – é mais um diferencial valorizado no mercado externo”, enfatiza Veloso.

Para dar suporte ao seu plano de expansão de vendas dos derivados de leite de búfala no Brasil e no exterior, a Tapuio Agropecuária realizou em 2016 e 2017 um aporte de R$ 8 milhões, para captação e reuso das águas pluviais, instalação de biodigestor e aerogerador. Do total, R$ 4 milhões foram destinados para a construção de uma nova ordenha de búfalas totalmente automatizada, que funciona como um carrossel. Trata-se do primeiro rebanho de búfalas do país a contar com essa tecnologia, que foi importada da Irlanda do Norte e o primeiro do gênero na América Latina que possibilitará dobrar a produção até 2021, saltando das atuais 20 toneladas de queijo por mês para aproximadamente 40 toneladas.

Em operação, a nova ordenha automatizada tem capacidade para ordenhar até 160 animais por hora. O investimento visa dar suporte ao plano de expansão, tanto no mercado interno quanto no mercado externo, já que a Tapuio é o único laticínio no Brasil autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a exportar derivados de leite de búfalas.

Deixe uma resposta