Mercados acionários iniciam a semana com otimismo

Posted on Updated on

O mercado ajustou suas expectativas para a inflação e para o crescimento econômico em 2019. O relatório Focus do Banco Central apresentou um ajuste nas expectativas do mercado para a inflação (medida pelo IPCA) de 3,85% para 3,87%. Já para o PIB, o mercado estima crescimento econômico menor, de 2,30% para 2,28% em 2019.

Com sinais mistos nas bolsas, os mercados acionários internacionais iniciam esta semana de olho em uma série de eventos e indicadores econômicos importantes. O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, sinalizou neste domingo que o banco central americano não está com pressa em elevar o nível das taxas de juros na medida que há sinais crescentes de desaceleração na economia global. Devido a isso, os índices futuros norte-americanos apontam para uma abertura em alta. Da mesma forma, os ativos bancários alavancaram os ganhos nas bolsas europeias; já na região asiática, o fechamento foi majoritariamente positivo, com destaque para Xangai (+1,9%). Por fim, o mercado de ações brasileiro também sinaliza uma alta.

No mercado de commodities, o destaque é para o petróleo. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) informou que entregará menos petróleo que o solicitado em abril, indicando uma extensão no corte de produção de petróleo bruto do cartel. Os preços do petróleo subiram diante das expectativas baixistas em torno da oferta da commodity.

No mercado de divisas, tendência de queda para o dólar e apreciação do euro. O rendimento da treasury de 10 anos sobe a 2,64% e os juros no Brasil estão em baixa.

Expectativas dos agentes:

Na agenda da semana, são altamente aguardados os dados econômicos da China (produção industrial, taxa de desemprego) e dos Estados Unidos (vendas no varejo, índices de preço). Além disso, discursos de dirigentes do Fed darão sinais para os próximos passos de política monetária. Na China, destaque para discurso no Congresso Nacional do Povo na sexta-feira, no qual se discute as formas de estímulo para a economia chinesa. No Japão e na Europa, os bancos centrais irão informar decisões de política monetária. No Brasil, os agentes se atentarão ao desempenho do varejo e da indústria, além do índice de preços ao consumidor amplo (IPCA). No cenário local, destaque ainda gira fortemente em torno da reforma da previdência.

Sobre a Nova Futura Investimentos

Sócia-fundadora da BM&Bovespa, a Nova Futura Investimentos, foi fundada em 1983, atua nos mercados de commodities, renda fixa, renda variável e seguros. Com presença nacional, a instituição financeira conta com 21 escritórios espalhados por diversas cidades do país. Ao longo de mais de três décadas de existência, se consolidou como uma das maiores e mais independentes casas de investimentos do Brasil.

Com tradição no mercado institucional, vem se tornando referência no varejo, oferecendo a mesma qualidade já ofertada ao mundo empresarial agora também para pessoas físicas. Em 2017, confirmando a tradição de excelência, a corretora recebeu o selo Nonresident Investor Broker, que reconhece a estrutura organizacional e tecnológica especializada na prospecção de clientes, prestação de serviços de atendimento consultivo assim como execução de ordens e distribuição de produtos da BM&FBovespa para investidores não residentes.

Deixe uma resposta