Inclusão da pessoa com transtorno de espectro autista é tema de palestra

Posted on Updated on

Próximo a comemoração do Dia Mundial de Conscientização do Autismo (dia 2 de abril, hoje), a co-fundadora da Aprendizagem Diferente (Apdif) – empresa de Impacto Social que procura ajudar na inclusão social e digital das pessoas com Transtorno de Espectro Autistas e outras desordens do desenvolvimento neurológico –, Daniela Sniadower, fará uma palestra na Conferência Anual da ASUG Brasil. O evento acontece no dia 9 de abril, no Hotel Pullman, em São Paulo.

Durante a palestra “Aplicações para a Inclusão digital de Pessoas com Transtornos do Espectro Autista”, que ocorre às 9h30 nas salas Faria Lima 1 e 2, Daniela apresentará quatro aplicativos gratuitos desenvolvidos pela Apdif com o objetivo de oferecer o máximo de independência possível para pessoas com transtorno de espectro autista e outras desordens do desenvolvimento neurológico.

Um deles é “Eu carrego tudo” (nos store encontram-se com o nome de “Llevo Todo”) que é um aplicativo que ajuda a montar a mochila sem esquecer dos principais itens, de maneira simples, organizada e divertida. Os outros são: “O Chat TEA”, “Interagir”, e “Agora Leo”. O primeiro funciona como um WhatsApp, permitindo facilitar a conversa e a interação deles com familiares e amigos. Já o “Interagir” permite que os pais criem diálogos e ilustrações simulando um acontecimento para ajudar as crianças, antes de enfrentarem as pessoas ou os fatos reais. E o “Agora Leo” possibilita criar contos com os personagens e temáticas preferidas de quem está aprendendo a ler, cada frase e cada palavra terá um som diferente, para que desta forma também possa aprender sem a necessidade de depender de outra pessoa.

“É uma honra contar um pouco do que estamos fazendo na Apdif para inclusão digital de pessoas com esse transtorno. A nossa iniciativa começou no Uruguai e agora estamos levando os nossos aplicativos para outros países. Queremos ajudar mais e mais pessoas”, explica Daniela. A Apdif recebe sugestões de possíveis aplicativos, que possam ajudar essas pessoas a interagirem e lidar melhor com suas dificuldades. Essa é a grande missão da Apdif.

Deixe uma resposta