“A grande meta que temos é fazer o nosso Polo de Desenvolvimento Portuário acontecer”, diz governador de Sergipe

Posted on Updated on

Governador apresentou um panorama das principais ações do estado, tanto por meio do Consórcio Nordeste, captação de recursos pelo Governo Federal, bem como pela atração de investidores internacionais interessados no gás produzido em Sergipe

Após retornar de viagens à Brasília e Teresina, no Piauí, onde se reuniu com os demais governadores do Nordeste, o governador Belivaldo Chagas deu entrevista à Rádio Xodó FM, e traçou um panorama das principais ações que o governo do Estado tem aplicado para potencializar as vocações econômicas de Sergipe e atrair investidores internacionais para a região. Para isso, Belivaldo e os demais gestores deverão participar de uma comitiva que se reunirá com empresas estrangeiras da Europa e da Ásia, sendo as primeiras viagens internacionais previstas para o mês de novembro.

Sobre a importância do Consórcio Nordeste, oficialmente implantado pelos nove estados, o governador declarou que há um plano de desenvolvimento que beneficia a região como um todo, mas cada estado tem seu planejamento específico, que também será divulgado nas missões internacionais.

“O Nordeste em conjunto vai sair no mês de novembro, possivelmente, em missão de trabalho a quatro países da Europa mostrando as suas potencialidades. Cada Estado apresentando sua janela de oportunidades, mas no conjunto apresentando seu material como fizemos em Teresina. Então o fortalecimento se dá a partir daí. Nós temos todo o interesse, agora com o foco na questão do gás aqui em Sergipe. E a grande meta que temos é fazer com que o nosso polo de desenvolvimento portuário efetivamente venha a acontecer”, destacou Belivaldo.

E sobre os primeiros passos a serem dados acerca do Polo de Desenvolvimento Portuário e a questão do gás em Sergipe, além da instalação da Termoelétrica em Sergipe, que recentemente recebeu a visita do prefeito de Miami, Estados Unidos, Belivaldo adiantou sobre o projeto de criação do que chama de Corredor Azul.

“É um corredor partindo aqui de Sergipe chegando até a região do Maranhão, do Tocantins e do Piauí. É uma região chamada de MaToPiBa porque une Maranhão/Tocantins/Piauí e Bahia. Se pode investir partindo de um raio de 500 até mil quilômetros, fazendo o Corredor Azul. Por esse corredor nós teremos centrais de abastecimento de gás, por conta da quantidade extensa de gás que teremos produzida no Nordeste e em especial produzida no estado de Sergipe”, explicou.

Belivaldo declarou ainda que o Estado pretende buscar junto aos investidores chineses a possibilidade de trazer para o Brasil, de preferência para o Nordeste, uma montadora de caminhões a gás. A ideia é que a China importe cerca de mil caminhões a gás para o Nordeste, o que favorece a circulação e o abastecimento desses veículos pelas rodovias da região. “O abastecimento a partir da termelétrica de Sergipe, também dentro do Corredor Azul, que vai se criar, já abastecendo em algumas regiões. A ideia que é que nós tenhamos um posto de abastecimento de gás aqui em Itabaiana”.

Preparando Sergipe para o futuro

O governador salientou a importância de investir num planejamento estratégico que visa não apenas uma gestão de quatro anos. “Nós estamos vivendo um momento ímpar na história e quem tem responsabilidade, que está no plantel do governo, que é o meu caso específico agora, eu tenho que trabalhar Sergipe para 2050/2055. Não apenas Sergipe para 2022. Nós temos nosso planejamento estratégico para até o final de um mandato e um planejamento estratégico que ultrapassa a casa dos 30 anos, para que a gente busque o desenvolvimento de Sergipe”.

Questionado sobre a instalação de uma refinaria em Sergipe – notícia publicada pela imprensa nacional -, o governador foi cauteloso e afirmou que o processo está em fase de licenciamento. “São pequenas refinarias para produzir o combustível para navio, que eles chamam de bunker. Então é um novo tipo de combustível que a Petrobras já começou a colocar no mercado, a partir de julho desse ano. Essas pequenas refinarias estão atraindo esse investimento, aqui é da ordem de 450 milhões de dólares. Estamos em processo de finalização de licenciamento, portanto mais investimento para engrandecer o Estado de Sergipe”, disse.

Relações internacionais

Com vistas a estreitar as relações com investidores estrangeiros, o governo de Sergipe, juntamente com os demais entes federativos do Nordeste já iniciou as tratativas para a captação de investimentos na região e especificamente em cada estado. O governador citou a audiência no Consulado da China em Recife, onde foi feito o convite para que técnicos sergipanos visitem o país para participar de seminário, tudo custeado pelo governo chinês.

Sobre a próxima etapa desse projeto internacional, Belivaldo afirmou que deverá participar, no próximo mês, de um encontro com empresários alemães, em evento a acontecer no Rio Grande do Norte.

Segurança e Turismo

Preocupado com as questões locais ligadas à Segurança Pública, o governador reconheceu o trabalho integrado entre as polícias que tem favorecido na redução dos índices de criminalidade, da mesma forma que destaca Sergipe positivamente, atraindo visitantes e turistas.

“Temos sim um grupo de servidores da área da Segurança como um todo, totalmente abnegados, e lá em Teresina se destacou a questão da Segurança Pública no Nordeste. O que tem mostrado que o conjunto de governadores está trabalhando com foco na Segurança Pública, porque a partir dela você pode melhorar o turismo também. É uma questão extremamente importante para a nossa região e fazer turismo com insegurança é difícil”, afirmou.

Novas Rotas

O empenho do estado em captar recursos e investimentos também se aplica no que se refere à reconstrução das rodovias. “Há uma proposta do Governo Federal, por exemplo, em repassar 70% de recursos dos royalties que pertencem ao governo federal para estados e municípios. Se fizerem isso no menor espaço de tempo possível eu vou ter recursos para recuperar minhas rodovias”, afirmou Belivaldo Chagas.

O governador prospectou ainda um projeto para abertura de uma linha de crédito. “Ver se eu consigo abrir uma linha de crédito entre R$100 e R$150 milhões, para dar início a essa recuperação dessas rodovias. Eu estou tentando, dentro de 30 dias no máximo, eu vou lançar os nossos projetos voltados para recuperação das rodovias. Nós vamos ter a Rota do Milho, a Rota da Laranja, nós vamos mostrar também o tamanho, vamos mostrar quanto custa cada rota dessa”, adiantou.

Deixe uma resposta