BNB e parceiros programam alocação de R$ 4,89 bilhões do FNE para Ceará em 2020

Posted on Updated on

O Banco do Nordeste promoveu amplo diálogo com entidades parceiras e representantes dos setores produtivos do Ceará para programar a alocação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para 2020. A reunião realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) resultou no plano de destinação do crédito de R$ 4,89 bilhões.

A reunião foi conduzida pelo presidente da instituição, Romildo Rolim, que destacou a relevância da construção participativa do processo e o foco estratégico do Banco. “O orçamento geral que temos previsto para 2020 do FNE é de R$ 29,3 bilhões. Pretendemos reforçar nossa atuação nos segmentos de micro, pequenas e médias empresas, além do microcrédito. Para isso contamos com a parceria de todo setor produtivo”, frisou.

Essas reuniões são promovidas em toda a área de atuação do BNB, que inclui todo o Nordeste e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. A ação segue diretrizes e orientações gerais do Ministério do Desenvolvimento Regional, do Conselho Deliberativo da Sudene (Condel), do Novo Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), dentre outros normativos e documentos de planejamento de referência. A proposta elaborada será submetida à ratificação pelo Condel.

“O processo de planejamento da distribuição dos recursos do FNE é bastante participativo, reunindo entidades de classe, parceiros institucionais e órgãos governamentais. Para o orçamento do FNE 2020, avaliamos desempenhos anteriores, cenário econômico e demandas atuais, com vistas contemplar adequadamente diversos setores e seus agentes produtivos, tudo isso atrelado a nossa missão institucional de atuar como o Banco de desenvolvimento da Região Nordeste”, declara o superintendente estadual do BNB no Ceará, Rodrigo Bourbon Nava.

Em 2018, o Banco do Nordeste aplicou R$ 32,6 bilhões do FNE distribuídos entre os diversos portes e setores da economia. Em 2019, até o momento, já foram aplicados R$ 18,5 bilhões, dos R$ 27,7 bilhões disponíveis para o ano.

A programação leva em conta ainda preceitos legais de alocação mínima de recursos no Semiárido e nos demais espaços priorizados pela Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR) e de acordo com o porte do cliente, garantindo crédito para as regiões menos favorecidas e para os mini e pequenos empresários e produtores rurais.

Participaram também membros do Ministério do Desenvolvimento Regional e Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), entidades que coordenam, com o BNB, a elaboração da programação anual do FNE.

FNE

O FNE é uma conquista regional obtida na Constituição de 1988, que destinou 1,8% do produto da arrecadação dos impostos sobre renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados para aplicação em programas de financiamento aos setores produtivos da área de atuação da Sudene. O Banco do Nordeste é o gestor do Fundo, principal fonte de recursos para financiamento aos empresários e produtores rurais da Região, visando minimizar as diferenças inter-regionais.

Deixe uma resposta