Entidade aponta crescimento de 28,5% nos recursos liberados no terceiro trimestre de 2019

Posted on Updated on

O último relatório da ANEF, Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras, reúne números positivos do setor automotivo referente ao terceiro trimestre de 2019. O total acumulado de recursos liberados registrou crescimento expressivo. Em comparação a setembro de 2018, o montante cresceu 28,5%, somando R$ 115,7 bilhões em setembro de 2019, ante R$ 90 bilhões. Para o CDC, foram de R$ 88,6 bilhões em setembro de 2018, para R$ 114 bilhões em setembro de 2019, um incremento de 28,8%.

“Os números desse terceiro trimestre reafirmam uma recuperação importante no setor automotivo, principalmente nas vendas financiadas. Fatores macroeconômicos, como a queda da taxa básica de juros, têm gerado mais previsibilidade ao mercado, o que favorece a decisão do tomador de crédito”, afirma Paulo Noman, presidente da ANEF.

Carteira de veículos
O saldo total da carteira de veículos também cresceu significantemente, com 25,3% em setembro de 2019, chegando a R$ 238,9 bilhões, frente aos R$ 190,6 bilhões registrados em setembro de 2018. Seguindo a tendência dos últimos meses, o saldo da modalidade CDC se destaca subindo 25,7%, de R$ 187,1 bilhões para R$ 235,2 bilhões.

Representatividade CDC
Na categoria de veículos e comerciais leves, o CDC continua registrando resultados expressivos se comparado às demais modalidades de crédito, atingindo 53% do total das formas de pagamento no 3º trimestre de 2019. No caso dos ônibus e caminhões, o CDC continua ganhando espaço no segmento frente ao Finame. Nestes nove meses de 2019, a modalidade representou 44% de todas as vendas, ante 27% em 2018, um acréscimo de 17%. Como resultado desta mudança, o Finame registrou uma queda de 19%, passando de 55% em 2018, para 36% neste ano.

Taxas de juros
Comparada às taxas de juros do mercado, as praticadas pelos bancos ligados às montadoras continuam mais vantajosas. Em setembro, as entidades associadas à ANEF aplicaram juros de 15,5% ao ano e 1,21% ao mês.

Deixe uma resposta