Pandemia e “ciclone bomba”: capacitação em Smart Cities aborda efeitos de fenômenos recentes nas cidades

Com um plano de aulas abrangente e multidisciplinar, o Curso Expert de Capacitação em Smart Cities inicia nesta quarta-feira (15) o Módulo 1, no formato remoto, abordando os impactos de fenômenos naturais como o “ciclone bomba”, e a pandemia do coronavírus, na rotina das cidades tradicionais em sua jornada para se tornarem smart cities. Dividido em quatro dias, o primeiro módulo será sobre o tema “Transformando cidades tradicionais em smart cities: gestão, governança e economia”.

Voltado para gestores e servidores da administração pública – além de empresários e profissionais autônomos interessados nas temáticas que envolvem casos reais de projetos, soluções e tecnologias de cidades inteligentes aplicáveis aos municípios -, o curso livre é uma iniciativa do iCities, empresa que realiza desde 2018 o Smart City Expo Curitiba, edição brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo.

“Inserimos conteúdos sobre mudanças climáticas e resiliência, em que iremos abordar exemplos recentes como o ‘ciclone bomba’, no Sul do país, chamando atenção para os fenômenos que estão acontecendo. Em relação à pandemia da Covid-19, temos uma atividade para os alunos pensarem, os impactos positivos e negativos para as smart cities, aceleração da digitalização, as questões do teletrabalho e tele-educação. Como as cidades vão se adaptar a isso?”, diz o professor Diego de Melo Conti (foto), pesquisador da pós-graduação em Sustentabilidade na PUC Campinas.

Formando especialistas em smart cities

A ementa do módulo inclui ainda os conceitos, indicadores e desafios relacionados ao cenário urbano brasileiro. Procedimentos, mecanismos e ferramentas para transformação de uma cidade tradicional em Smart City. Ferramentas e conceitos de Governança 4.0 e da nova democracia urbana. Conceitos e aplicabilidade de gestão inteligente para as cidades – digitalização, sensorização, Big Data, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e Internet das Coisas (IoT) – em serviços urbanos e utilities. Metodologias e conceitos para aplicação da nova economia urbana das Smart Cities. “Vamos estudar casos brasileiros e internacionais de cidades inteligentes”, adianta a professora Janaina Lofhagen, coordenadora do curso.

Cada módulo incluim um mini seminário de quatro dias, com duas mini palestras e dois conteúdos imersivos por encontro diário. Ao todo, o curso Expert vai oferecer 10 módulos com esse formato. “A previsão de conclusão do décimo módulo é maio de 2021. A carga horária totaliza 320 horas para o currículo dos alunos. O programa vai abordar conceitos técnicos e práticos aplicados, sobre como a inovação e a tecnologia são capazes de auxiliar na governança pública, infraestrutura, mobilidade urbana, serviços públicos, economia, geração de empregos, arrecadação do município e processo de transformação social, culminando em uma melhor gestão pública e maior qualidade de vida para os cidadãos”, explica Eduardo Mazzarolo Marques, sócio-diretor e diretor de estratégia e finanças do iCities.

Deixe uma resposta