Distribuidora cearense prioriza fornecimento de EPIs para hospitais

Para o pleno funcionamento da economia, é necessário o trabalho de muitas empresas para movimentar todas as cadeias produtivas. As distribuidoras cuidam do abastecimento de itens indispensáveis, principalmente aqueles que protegem a saúde das pessoas. Em meio à pandemia, a Clarus foi uma das empresas cearenses que cuidou do fornecimento de equipamentos de proteção: respiradores descartáveis, protetores faciais, óculos, macacões e aventais foram produtos que possibilitaram o funcionamento de atividades essenciais.


Em especial, a escassez de máscaras hospitalares N-95 foi motivo de preocupação em vários países. Em março, a Associação Médica Brasileira começou o alerta para o risco da falta desses e de outros EPIs para a segurança aos profissionais de Saúde. Nesse momento, a empresa estabeleceu fornecimento prioritário a hospitais e empresas e serviços essenciais no Ceará.


“A gente teve uma redução da fábrica que nos atendia, e o que foi liberado nós priorizamos para fornecer à área hospitalar. Alguns clientes de serviços essenciais, como de alimentos, a gente procurou fazer uma distribuição para atender também um número maior de órgãos, contribuindo para que as atividades pudessem funcionar sem mais graves prejuízos ”, explica o fundador e proprietário da Clarus, Francisco Rozier Rodrigues Silva.


Em maio, por meio do Programa Mesa Brasil Sesc, a Clarus fez a doação sapatos impermeáveis aos profissionais do Hospital São José, em Fortaleza. A ação solidária foi motivada pela campanha de arrecadação do Sesc, que dedicou homenagem aos médicos e enfermeiros na linha de frente do combate à pandemia: “fiquei comovido e tive a inspiração de poder contribuir para uma melhor condição de trabalho destes profissionais”, explica.


A empresa atacadista surgiu no Estado onze anos atrás, e hoje tem faturamento mensal de 2,2 milhões de reais. Os produtos comercializados pela Clarus são tributados de 11 a 14% para a arrecadação estadual. Atualmente, emprega cinquenta e três funcionários. Durante o período de isolamento social foi necessário reduzir a equipe, mas as recontratações já foram feitas e agora a perspectiva é de novas admissões.
As grandes redes de planos de saúde de Fortaleza são os principais clientes da empresa, assim como o Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), que gerencia a Saúde pública.


No segmento de equipamentos e manutenção industrial, a Clarus supre cadeias produtivas no setor de siderurgia, setor metalmecânico, segmento alimentício, mineradoras, entre outras. “Hoje a gente tem um alcance muito bom em relação às indústrias do mercado do Ceará todo”, afirma.


A empresa tem planos de revender também para o consumidor final, levando para o varejo os equipamentos úteis para limpeza e instalações elétricas no ambiente doméstico. “A gente está voltando o olhar para este tipo de público, de inclusive criar um espaço de home center”, anuncia.


Muitos empreendedores trabalham para desenvolver a economia cearense, gerando emprego e renda para a população. Para conhecer outras histórias inspiradoras, acesse o site da campanha Compre do Ceará: https://bit.ly/3fNWRzb

Deixe uma resposta