Cultura Organizacional das empresas deverá sofrer mudanças após pandemia

Vamos falar um pouco sobre Cultura Organizacional? - Comunidade Sebrae

Neste momento de pandemia, a apreensão é um sentimento constante na rotina de todos. De acordo com pesquisa feita pela McKinsey, as maiores preocupações das pessoas em relação à Covid-19 estão relacionadas à saúde e segurança. Os reflexos disso serão sentidos diretamente nas empresas, que estão passando por um processo de grande transformação, tanto na gestão quanto na cultura.

Para enfrentar o atual momento, empresas e colaboradores precisam entender que existe uma diferença entre transformar e mudar, como explica a diretora de gente e gestão do Grupo Elfa, empresa de distribuição de medicamentos, Aline Sueth. “Quando transformamos, mexemos em toda a estrutura, trazendo à tona uma nova estratégia para os negócios. A transformação precisa ser total e contínua. Isso precisa acontecer de forma planejada e certeira, pois o regresso é improvável e mesmo que aconteça não será igual a condição anterior”, ressaltou.

Após a crise as empresas vão buscar implementar práticas diferentes, como aponta a pesquisa feita pela Korn Ferry, em maio deste ano. Os dados mostram que 47% das organizações pretendem encorajar mais abertura, transparência e frequência na comunicação com os colaboradores, sendo essa uma via de mão dupla.

Essa proximidade e integração com os colaboradores será um diferencial para que a transformação cultural aconteça e impacte todas as pessoas. “A transformação cultural precisa ir além da visão estratégica da empresa para gerar engajamento. Tudo começa na cabeça de cada pessoa, por isso é importante trabalhar o mindset, para que todos compreendam e explorem as novas possibilidades. Para tornar isso realidade, é essencial entender o que funciona para cada um, conscientizando e fazendo com que todos participem do processo. Desta forma quando os elementos necessários forem apresentados, o colaborador vai, por si só, se interessar e gostar das mudanças propostas”, explicou Aline Sueth.

Um estudo feito pela Decode, empresa de data analytics do BTG Pactual, identificou que logo no início da pandemia, em março, a procura por plataformas de web meeting, no Google, aumentou em média 519%. Isso mostra que houve uma transição rápida para o meio digital, que antes ainda não era amplamente utilizado.

Quando a pandemia acabar, os processos já vão ter mudado. Todas as novas alternativas adotadas agora serão exploradas e os negócios estarão olhando mais para dentro. “Após esse momento de pandemia é certo que não vamos voltar ao normal, à mesma realidade que tínhamos antes. Assim como as empresas e a cultura, as pessoas também estão se transformando, os processos de gestão serão diferentes, já que agora temos, por exemplo, o home office como uma alternativa eficiente. Até mesmo a digitalização, que está tão em alta agora, vai ser vista de formas diferentes, pois agora as empresas estão adotando uma nova postura e olhando mais para si mesmas, seus processos e pessoas”, finalizou a gerente de gente e gestão do Grupo Elfa.

Deixe uma resposta