Construção civil aposta em sustentabilidade para o período de recuperação econômica

Empregar práticas ambientalmente corretas ainda é um grande desafio para a construção civil. Afinal, este é um dos setores que mais consomem recursos naturais e gera quantidades exorbitantes de resíduos em seus processos produtivos. De acordo com o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, publicado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), em 2014 a construção civil gerava cerca de 122.262 toneladas de resíduos por dia.

Porém, o advento da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, fez com que a busca por alternativas sustentáveis se acelerasse. Entre as soluções, estão ações simples como, a criação de planejamentos de obras bem definidos, a escolha de fornecedores e produtos sustentáveis e a reutilização de matérias-primas.

Para a Diretora de Marketing da Ecogranito, Simone Las Casas, a resposta para uma rápida recuperação do setor da construção civil está na adoção de práticas sustentáveis. “Além de minimizar os grandes impactos ambientais, essas medidas são importantes para a redução de gastos e aumento da produtividade de diversos segmentos”, explica.

Além do aumento dos ganhos tanto para o empreendimento quanto para o meio ambiente, construções responsáveis influenciam diretamente na qualidade de vida dos trabalhadores e da sociedade em geral. “Afinal, um projeto de iniciativa sustentável pode proporcionar mais qualidade ao trabalho oferecido, enquanto traz segurança aos colaboradores, possibilita a diminuição de custos financeiros, otimiza processos e promove o melhor aproveitamento dos recursos naturais e energéticos. Vale lembrar ainda, que a redução e o gerenciamento adequado de resíduos, podem ser decisivos para a recuperação futura”, diz.

Deixe uma resposta