Empresas fazem registro de compra e venda de imóveis no blockchain

A GrowthTech, startup de prestação de serviços cartorários ancorados na tecnologia Blockchain, e a RKM Engenharia, construtora de imóveis residenciais de alta renda em Belo Horizonte e Nova Lima (MG), registraram, pela primeira vez na história do mercado imobiliário, dois contratos de compra e venda de apartamentos entre a construtora e seus clientes. Na prática, os imóveis estimados em R$ 1,5 milhões cada, são os primeiros já realizados utilizando a tecnologia que dá vida a moedas digitais e significa uma mudança importante de paradigma para o mercado.

“O registro no Blockchain permite uma relação mais transparente entre todas as partes, desde o comprador, até as securitizadoras, que passam a ter a garantia de que todos os compromissos de compra e venda de fato existem”, explica Hugo Pierre, fundador da GrowthTech. Ele explica que todo o processo foi realizado através de um aplicativo para celular. “Assim, a assinatura e registro foram concluídas e registradas rapidamente e com eficiência e segurança”, reforça.

Hugo explica que para o sistema funcionar, todas as partes envolvidas terão identidades digitais criadas na plataforma. Com isso, é possível validar dados cadastrais e biométricos faciais junto às bases de dados oficiais do governo. “Há também uma ‘prova de vida’ e isso garante a legitimidade da transação e do registro”, explica Hugo.

Para a RKM, este movimento representa uma mudança na maneira como a empresa vai fazer seus novos lançamentos. “Em novembro teremos o lançamento de um novo empreendimento em Nova Lima e vamos registrar todos os contratos deste novo empreendimento no Blockchain”, afirma Rodrigo Junqueira, Diretor Financeiro da  RKM Engenharia que, segundo o diretor, está avançando no processo de digitização do negócio.

Impulsionado pela pandemia, o processo de digitização dos negócios já é uma realidade para líderes do setor industrial, segundo estudo recente da PwC Brasil, que entrevistou mais de 2 mil empresas em 26 países, sendo 32 delas nacionais. A expectativa é que 5% da receita anual das maiores empresas ouvidas, o que corresponde a US$ 907 bi até 2020, seja investido na digitização de funções essenciais das cadeias vertical e horizontal.

No Brasil, a expectativa é que o percentual de empresas que se classificam como avançadas em níveis de digitização e que apostam em um avanço acelerado nessa área nos próximos anos, passe de 9% para 72%, até 2020.

Qual a diferença entre Digitização e Digitalização?

A digitalização é o processo de migrar um negócio do meio físico para o digital. Já a digitização é a total integração do negócio no ecossistema digital, abandonando estruturas físicas para atuar exclusivamente no ambiente digital.

Deixe uma resposta