Embrapii alcança marca de mil projetos e alavanca R$ 750 milhões privados para inovação

A Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) atingiu a marca de 1.000 projetos que unem indústria e pesquisa no desenvolvimento de novas tecnologias que atendam as demandas de mercado, praticamente um projeto contratado a cada dois dias. Desde sua fundação, em 2013, já somou mais de 1,5 bilhão em investimentos, sendo aproximadamente 50% dos recursos oriundos do setor empresarial, o que representa um total de R$ 750 milhões de recursos privados aportados em inovação nacional.

A instituição pratica um modelo de fomento desburocratizado que busca suprir uma demanda do setor produtivo nacional. Segundo pesquisa recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 83% das empresas acreditam que, no pós-pandemia, precisam inovar para crescer ou sobreviver no mercado, das que afirmam inovar, 47% não possuem área de inovação e 67% não tem profissionais dedicados exclusivamente para inovar. Para viabilizar as soluções de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), a Embrapii disponibiliza às empresas pesquisadores e infraestrutura de seus centros de pesquisa credenciados, chamados de Unidades Embrapii (57 distribuídos pelo país).

O valor total do projeto é dividido em três sendo aproximadamente 50% dos recursos oriundos do setor empresarial, 33% da Embrapii (recursos não reembolsáveis) e o restante de contrapartida não financeira dos centros de pesquisa. Além do financiamento, que não necessita de edital para a liberação de recursos, a instituição faz o acompanhamento de metas e prazos estabelecidos no ato da contratação até a conclusão. Mais de 680 empresas de diferentes portes e segmentos já foram beneficiadas. Na prática, a empresa que tem uma proposta de projeto e deseja inovar pode buscar diretamente uma Unidade Embrapii, de acordo com a área de competência, para apresentar sua ideia e, caso aprovada, o contrato já é assinado e o trabalho iniciado.

Os projetos também podem ser desenvolvidos de maneira cooperativa, ou seja, envolvendo mais de uma empresa de diferentes portes, inclusive concorrentes, que possuam uma demanda comum. Para este segmento, a Embrapii possui uma linha especial de fomento que já contribuiu para a viabilização de mais de 100 projetos. Projetos de startups também possuem uma linha ampliada de crédito para que ganhem competitividade no mercado por meio da inovação e da interação com as grandes empresas.
“A partir do foco na competitividade do setor industrial brasileiro, a Embrapii se tornou um importante player nacional para o desenvolvimento de soluções tecnológicas ao fazer a ponte entre os centros de pesquisa, que integram nossa rede em todo o país, com o setor empresarial”, afirma Jorge Almeida Guimarães, diretor-presidente da Embrapii. “Estamos muito satisfeitos com o crescimento da instituição e com os resultados até aqui, começamos em 2014 com projetos de nove empresas, agora chegamos a mil projetos de mais de 680 empresas que acreditam na pesquisa nacional e investem recursos conosco. Queremos avançar ainda mais contribuindo com a economia e o desenvolvimento do país, a partir da inovação.”
Cases de sucesso
As propostas viabilizadas são das mais diversas áreas e abrangem o desenvolvimento de satélite 100% nacional, robôs de inspeção submarina, novos princípios ativos para tratamento de câncer, tecnologias agro e automotivas, cidades inteligentes, manufatura 4.0, soluções em IoT, iniciativas sustentáveis, equipamentos de saúde para auxiliar no enfrentamento à Covid-19, entre outras.


Ventilador pulmonar
Desenvolvido em parceria com a Unidade Embrapii – Inatel e a empresa Ventrix, é capaz de controlar com maior precisão o fluxo de gases medicinais.  
 
Oxigenador para ECMO
Desenvolvido em parceria com a Unidade Embrapii – Eldorado e a empresa Braile Biomédica, o equipamento é capaz de fazer a oxigenação do sangue de maneira extracorpórea, tecnologia pioneira no país funcionando como um pulmão auxiliar.
Robô Snake
Desenvolvido em parceria com a GM e a Unidade Embrapii ISI Laser para solucionar uma demanda de soldas na linha de montagem. O robô é capaz de inspecionar pontos de difícil acesso. 
 
Software para drone demonitoramento agrícola
Desenvolvido em parceria com a startup Horus e a Unidade Embrapii – Fundação Certi, a tecnologia embarcada no drone é capaz de identificar doenças, infestações ou falta de nutrientes na lavoura
Flatfish Pesquisadores da Unidade Embrapii Senai Cimatec atuaram no desenvolvimento de um submarino autônomo capaz de realizar inspeções visuais em 3D de alta resolução para alcançar níveis avançados na exploração petróleo e gás em águas profundas. 

Deixe uma resposta