A Coluna do Roberto Maciel (sábado, 7.11): Fortaleza é referência para o cenário eleitoral do País

O recorte de Fortaleza diante do quadro político nacional

Tem início amanhã (domingo, 8.11) a contagem regressiva de uma semana para o primeiro turno das eleições municipais. Dia 15 estará vencida, então, a etapa inicial do processo. Há, no cenário nacional, um interesse especial sobre o quadro que se desenhará pelo eleitor de Fortaleza. É que três lados, com definições muito nítidas, encontram-se disputando o topo das escolhas dos cidadãos – que decidirão quais os dois nomes que irão para o segundo turno. Está lá o grupo relacionado ao prefeito Roberto Cláudio (PDT), o governador Camilo Santana (PT) e os irmãos Cid e Ciro Ferreira Gomes, representado pelo deputado José Sarto (PDT, foto abaixo); assim como desponta com força surpreendente, considerando o massacre moral por que passa nos últimos anos, o PT de Lula, tendo como candidata a deputada federal e ex-prefeita Luizianne Lins; Por fim, aparece o bolsonarismo que soma traços conservadores com retrógrados, destacando o deputado federal Wagner Sousa (Pros) como postulante. São, como se sabe, alas distintas em métodos, conteúdos e projetos. Fortaleza pode ser muito, muito significativa para quem quer apurar a quantas andam o humor e os afetos dos brasileiros.

🌵 on Twitter: "Não podemos esquecer de fortalecer a candidatura do @ sartoprefeito12 em Fortaleza. O embrião do #12peloBrasil começa aqui.…  https://t.co/kOGPLIukjk"

Fator
Há quem avalie que as eleições deste ano em Fortaleza serão um recorte preciso do que influenciará na sucessão presidencial de 2022. O bolsonarismo conservador de um lado, a esquerda liderada pelos petistas com Luizianne (abaixo) no outro e, no meio, a ala de centro-esquerda dos Ferreira Gomes.

Passado
Pode-se dizer que o desafio de Wagner Sousa é imenso. Em primeiro lugar, porque ele não consegue se desvincular de Bolsonaro (foto abaixo) – o que o incomoda e prejudica, já que a rejeição do presidente da República é alta entre os fortalezenses. Depois, porque o passado o atormenta. E muito.

Bolsonaro alavanca candidaturas de prefeitos no Nordeste e deve beneficiar  Wagner

Motins
Capitão da reserva da Polícia Militar, Wagner Sousa dedicou os últimos anos que passou na caserna às causas corporativas. Nesse papel, liderou dois motins de policiais. Foram participações abertas, expostas, das quais Wagner extraiu rendimentos eleitorais que o levaram à Câmara de vereadores de Fortaleza, à Assembleia Legislativa do Ceará e, agora, à Câmara dos Deputados. No entanto, diante do medo e do terror que provocou em estratos diversos da sociedade, o parlamentar faz grande esforço para negar a liderança na qual se fartou de votos. Pega até mal, né?

Collorido
Para tornar mais complicada a situação, Wagner Sousa tem o apoio do senador alagoano Fernando Collor de Melo, único presidente da República cassado por corrupção. Wagner e Collor militam no mesmo partido, o Pros.

Difícil
E não se contam, aqui, eventuais desgastes causados ao ex-capitão pela proximidade com o ex-governador Lúcio Alcântara, uma espécie de padrinho de Wagner na militância política. Nome construído na ditadura militar, Lúcio foi o único governador do Ceará que não conseguiu ser reconduzido ao cargo desde a instituição da reeleição – não é, definitivamente, a melhor referência de êxito nas urnas.

Cavalcante, o irônico?

Deputado Delegado Cavalcante


Frase do deputado Francisco Cavalcante (PSL) que desperta atenções: “O Governo Bolsonaro tem salvado vidas, preocupando-se sim com a pandemia e dando emprego e renda para os brasileiros. O presidente Bolsonaro é um homem íntegro e caridoso, que está partindo recursos com a população”. O “caridoso” é justamente o político que, dando os ombros para o drama das mortes causadas pela covid-19, expeliu essa: “E daí? Não sou coveiro!”

Educação
Somam R$ 13,188 milhões os investimentos do Governo do Ceará este ano em 1,1 mil bolsas de Iniciação Científica e 17 bolsas de pós-doutorado. A conta é feita pelo próprio governador do Camilo Santana (PT). Os recursos são dirigidos a bolsas de Iniciação Científica e de Pós-Doutorado para as Instituições de Ensino Superior do Ceará, públicas e particulares. E em 2020 o Estado já investiu mais de R$ 32 milhões para garantir a participação de estudantes em atividades de pesquisa científica.

Em vídeo
Também estou no Instagram, em parceria com a jornalista Eveline Frota (@evefrota ou @robertoamaciel), com lives às terças e quinta-feiras denominadas “Coluna da Hora”. Nossas reuniões começam sempre às 17 horas. Ainda comparecemos semanalmente em canal de vídeos na plataforma YouTube (www.youtube.com/colunadahora).

Deixe uma resposta