Investimento da Embrapii triplica o apoio a projetos de inovação em Saúde em 2020

A pandemia do coronavírus trouxe grandes desafios e exigiu respostas imediatas para enfrentar o avanço da doença no país e garantir mais saúde e segurança à população. A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), com seu modelo de atuação ágil e flexível, fomentou 62 ações para combater a Covid-19 no Brasil, destinando recursos para o desenvolvimento de projetos de inovação em parceria coma indústria.

O apoio emergencial permitiu que tecnologias de prevenção e tratamento chegassem ao mercado em tempo hábil, como a entrega de 4.600 respiradores ao Ministério da Saúde, a desenvolvimento de um pulmão artificial para atendimento a casos graves e a criação de um filtro para ar-condicionado que evita a contaminação do ambiente.

Outras estão em testes finais e serão bastante úteis nesse momento que uma nova onda se aproxima, como desenvolvimento de equipamento inteligente de triagem de pacientes para evitar o contágio na recepção do hospital e o teste diagnóstico que identifica o RNA do vírus. A solução permite saber se a pessoa está infectada desde o momento em que houve exposição ao vírus e saber se o vírus continua presente após o isolamento, evitando que o paciente seja um vetor de infecção.

O aumento da demanda por inovação na área de saúde fez triplicar o número de projetos em relação ao ano anterior. Em 2019, foram 20 contratos firmados.

A Embrapii fomenta a inovação por meio de recursos não reembolsáveis e aproximando a indústria nacional de centros de pesquisas – as chamadas Unidades Embrapii – com equipamentos e profissionais habilitados para o desenvolvimento de projetos de PD&I necessários para aumentar a competitividade e produção das empresas. O modelo exige contrapartida financeira da empresa.

A área de Saúde acumula o maior número de projetos da Embrapii e responde por 13,6% do total. São 148 projetos que somam R$ 125 milhões em investimentos, sendo 57 já concluídos. Os recursos não reembolsáveis da Embrapii podem ser utilizados tanto no desenvolvimento de produtos e equipamentos voltados para cura, diagnóstico e prevenção de doenças quanto em tecnologias que permitam melhor experiência do usuário, como desenvolvimento de softwares e aplicativos. Também está disponível à indústria que planeja trazer mais inteligência e inovação ao processo industrial, tornando-o mais eficiente e produtivo.

Na Embrapii, a integração de sistemas responde por 39,3% dos projetos; o desenvolvimento de protótipos por 14,3% e biotecnologia por 13,6%. A Tecnologia da Informação tem transformado o mundo e com a medicina não é diferente e tem trazido inúmeros benefícios a pacientes, pesquisadores, unidades e profissionais de saúde: soluções de Internet das Coisas (Iota) de Sistemas de Comunicação somadas corresponde a 12,8% dos projetos de Saúde da Embrapii.

Empresas de todos os portes podem acessar os recursos, 127 empresas nacionais firmaram contrato para o desenvolvimento de soluções tecnológicas na área de saúde, sendo 58,2% feitos por startups, micro e pequena empresa. 
Para promover ainda mais o desenvolvimento de projetos na área, a Embrapii mantém uma aliança estratégica com a Abimo (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos). A proposta é torna a rede de Unidades Embrapii referência para a indústria do setor no desenvolvimento de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I).

Deixe uma resposta