Empresas economizam até 30% ao transformar frota própria em alugada, sem trocar os veículos

A crise gerada pela pandemia da covid-19 obrigou as empresas a buscarem soluções para reduzir custos e reforçar o caixa. Uma das alternativas está sendo oferecida pelo mercado de locação de veículos: transformar a frota própria em alugada, sem abrir mão dos ativos. Segundo a Marbor Frotas Corporativas, com este tipo de contrato os clientes podem economizar até 30% dos seus custos com a gestão de carros, caminhões ou empilhadeiras.

A locadora de Mogi das Cruzes criou em 2020 o Plano Marbor Liquidez (PML), com o objetivo de ajudar seus clientes a enfrentar a crise. “Vimos muitos negócios com o caixa apertado e desenvolvemos esse produto em 30 dias. O PML permite que o cliente venda a sua frota ou parte dela, receba à vista e continue utilizando os mesmos veículos por meio de um contrato de locação de longo prazo. Há apenas a troca da documentação dos ativos. É um plano de geração de caixa”, explica Renato Vaz, diretor da Marbor Frotas Corporativas.

O executivo lista quais as principais oportunidades de economia com o PML. “Em linhas gerais, a locação reduz de 20% a 30% os custos com a frota. Um dos custos mais conhecidos é a gestão de documentações e multas. Essa atividade não precisa mais ficar a cargo do cliente, quando a frota é alugada”, relata.

Para calcular o valor do contrato do PML, a Marbor e o cliente definem por quanto tempo cada veículo ainda será utilizado, com base nas características da operação, e estimam o valor de venda do ativo ao final do período. “Ao término deste contrato, o cliente pode alugar outros veículos zero km da própria Marbor”, diz Vaz.

Além de continuar utilizando os mesmos veículos durante o PML, os clientes da Marbor ainda podem contratar serviços adicionais, como telemetria, gestão de manutenção, compra de pneus ou roteirização. E contam com uma rede de oficinas em território nacional, em parceria com a Ticket Log.

Para comprar os veículos à vista, a Marbor se baseia em uma sólida capacidade financeira, construída ao longo de três décadas no mercado. “Este é um grupo bem estruturado, de serviços de locação de imóveis, veículos e hotelaria. E que já atravessou várias crises brasileiras nestes mais de 30 anos”, conta o executivo.

De acordo com o diretor, após um crescimento de 50% no volume de locação de veículos em 2020, em pleno ano de pandemia, a Marbor pretende expandir sua frota em mais 70% em 2021, superando a marca de 3 mil veículos alugados, entre caminhões, empilhadeiras e carros leves.

Para Renato Vaz, a visão das empresas sobre a locação de veículos vem mudando no país. “Entre algumas transportadoras, por exemplo, ainda há a impressão de que ter uma frota própria é fundamental. Mas nós mostramos que o maior diferencial do transportador é a inteligência logística para a carga do seu cliente”, afirma.

O diretor completa: “Quando o empresário percebe que a locação é mais econômica, há uma grande receptividade a essa solução. Por isso, vemos um espaço muito grande para o crescimento na locação no Brasil, especialmente de caminhões”.

Para que as empresas comparem os custos de manter uma frota própria ou alugada, a Marbor criou também, em parceria com professores da USP, a ferramenta “Conta em Foco”. O cliente lança em uma planilha todas as características e custos de seus veículos e o sistema calcula quais serão os valores totais da locação dos mesmos ativos.

Deixe uma resposta