Inovação vai possibilitar rastreamento de pessoas febris em áreas aglomeradas

A retomada gradual das atividades com a flexibilização das restrições impostas devido à necessidade de distanciamento social trouxe uma nova demanda para a indústria: tecnologias que contribuam no controle e monitoramento da Covid-19. Uma destas inovações, financiada com o apoio da EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), é uma plataforma para identificação e rastreamento de pessoas que apresentem temperaturas elevadas em ambientes comunitários.

A tecnologia é uma iniciativa da empresa Ponfac, de Porto Alegre (RS), em parceria com a Unidade EEmbrapii – Soluções Integradas em Metalmecânica e foi um dos projetos selecionados no Edital Emergencial Covid-19 da parceria Embrapii, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, em 2020.

O sistema tem como objetivo identificar pessoas febris por meio de visão computacional, integrando sensores infravermelhos e câmeras em ambientes com aglomeração, como shoppings, estações de metrô e refeitórios de empresas, por exemplo.

Segundo a empresa, a tecnologia permitirá auxiliar na triagem de pessoas com potencial de contaminação por doenças diversas, dentre elas a Covid-19, por meio da leitura automática da temperatura contribuindo para um controle epidemiológico.

“Para este projeto, confiamos na expertise dos pesquisadores e toda a infraestrutura oferecida pela Unidade Embrapii – ISI SIM e, com o apoio que recebemos, tanto no financiamento de recursos quanto na parte de solução tecnológica, nossa parceria foi concretizada”, aponta Moisés Pontremoli, CEO e fundador da Ponfac “Estamos na etapa final do projeto e esperamos que em breve a tecnologia esteja disponível para uma identificação automática e inteligente de pessoas potencialmente contaminadas, o que trará ganhos significativos no enfrentamento à Covid-19, principalmente nesta fase da pandemia.

Iniciativas contra a Covid-19

A Embrapii é uma Organização Social com contrato de gestão com os Ministérios de Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, Educação e Saúde. A instituição adotou uma série de medidas que irão contribuir para o desenvolvimento de projetos emergenciais como este com o objetivo de viabilizar soluções que unam a pesquisa ao setor empresarial. Já são mais de 60 projetos apoiados no combate à pandemia. 

Deixe uma resposta