Startup permite que cliente crie o próprio app estilo Uber e bate 120 milhões de corridas e entregas

Em 2013, o cientista da computação Bruno Muniz e o engenheiro eletrônico Ricardo Góes partiram para um mercado até então centralizado e dominado por gigantes: o de aplicativos para transporte de passageiros e entregas. 

A Gaudium, empresa criada pelos dois, desenvolveu a Machine, plataforma voltada para empresas do setor de mobilidade e logística urbana, que desejam ter seus próprios apps tipo Uber ou Loggi.

Mesmo na pandemia – quando a circulação de pessoas diminuiu por conta do coronavírus – a empresa continuou crescendo e aposta na melhoria de sua tecnologia para impulsionar apps regionais a bater de frente com as gigantes multinacionais.

No último mês de março, a Machine alcançou a marca de 120 milhões de corridas e entregas solicitadas com sua tecnologia.

Impulsionando negócios na área de mobilidade e logística

Entre os usuários da Machine, estão centenas de empresas regionais de transporte de passageiros, além de centrais de motoboys que buscam modernizar suas operações. “Na pandemia, a eficiência se tornou a palavra-chave para a sobrevivência. Muitos daqueles que atuavam de forma off-line foram atrás de soluções digitais para melhorar a experiência do cliente”, explica o sócio-executivo da empresa, Ricardo Góes. 

Mas como competir com os gigantes? Góes dá a receita. 

“Esses aplicativos regionais têm como grande vantagem conhecer a realidade local e estarem próximos de clientes e motoristas. Os grandes apps de mobilidade têm uma visão global e não conseguem atuar com as necessidades específicas de cada cidade. Se souber explorar bem – e temos vários casos de sucesso – você consegue competir de igual para igual e superar”, explica. 

Góes ainda explica que a Machine auxilia seus clientes com um guia de boas práticas do mercado, ajudando a impulsionar os resultados das empresas. “Sabemos que é um mercado competitivo e que você precisa suar para chegar no topo, mas com os nossos anos de experiência, atendendo empresas de todos os cantos do país, aprendemos estratégias para alavancar os aplicativos regionais”.

Deixe uma resposta