Co-marketing: quando uma parceria soma na marca ou divulgação? Especialista responde

A cada dia os negócios no marketing digital cresce e, por isso, estar sozinho no mundo online é um grande perigo, visto que o cenário está mais competitivo. Sem ajuda, você corre o risco de ser engolido por outras marcas, então trabalhar em equipe, para ganhar força, é uma ótima solução.

Em meio ao cenário, surge o co-marketing (marketing cooperativo), conhecido também como marketing de parceria. Essa estratégia, nada mais é que a união de duas entidades (ou pessoas) para promover produtos (ou conteúdos), visando atingir um público em comum e é muito possível que dê certo.

De acordo com a especialista em marketing digital, Jennifer de Paula, que também é diretora da empresa de assessoria MF Press Global, o que faz dar certo a ação do co-marketing entre duas empresas é a soma do público em comum que ambas possuem. Assim, ela diz: “As parcerias, geralmente, são firmadas por duas marcas que não são concorrentes diretos, pelo contrário, os dois se complementam, por exemplo, treinadores físicos e nutricionistas, os dois profissionais podem criar um cardápio de alimentação saudável voltado para o mesmo público”, explica.

Jennifer também acrescenta que na ação do co-marketing todos saem ganhando, pois é possível que os dois aumentem a audiência, com menos trabalho.

“O marketing de parceria soma muito em seu negócio, primeiro com a geração de novos leads, pois o público da sua colaboração acaba conhecendo o seu trabalho, então o seu nicho cresce e você passa a ter uma diversidade de clientes. A partir disso, além de você se comunicar com seu público, passa também a falar com a audiência do seu parceiro”, disse a especialista.

Outro ponto benéfico que ela pondera é o baixo investimento já que isso será dividido entre eles. “Consequentemente, as vendas vão se duplicar, visto que o produto será divulgado pelos dois”.

#PUB: parcerias com influencers

A colaboração entre as empresas já era uma prática recorrente, mas a tendência da vez é realizar colaboração com influenciadores digitais. De acordo com esse estudo, quase 80% dos profissionais de marketing querem trabalhar com microinfluenciadores – pessoas que possuem entre 10 mil e 100 mil seguidores.

“Os influenciadores digitais ditam a moda hoje em dia e eles têm consigo a força do público, por isso, é vantajoso firmar colaboração com uma personalidade da mídia quando se quer alcançar o público jovem e, dependendo do nível do influenciador as vendas vão muito além”, observa Jennifer.

Entretanto, se compararmos o investimento de uma parceria entre duas empresas com a colaboração de uma marca e um influenciador digital, a única diferença é que ao fechar contrato, a marca é que passa a fornecer os produtos para divulgação no perfil da personalidade. As vantagens são as mesmas para os dois: aumento de audiência, público diversificado e lucros divididos.

Entretanto, Jennifer atenta: é preciso ter estratégia para não perder boas oportunidades. Num mercado em que muitos influeencers, de diversos segmentos diferentes, o que vale a pena e firmar com quem tem mais afinidade com seu serviço ou produto. “Os usuários já estão saturados de verem que muitas empresas oferecem permutas sem nenhuma base estratégica, simplesmente mandam brindes para personalidades que não tem nada a ver com o seu nicho. Com isso, eles acabam perdendo ótimas oportunidades e desvalorizam o seu trabalho”, disse.

E no mais, a especialista reforça a opinião com um bom exemplo de estratégia, o de Anitta, para promover “Girl From Rio”. : “Até a cantora utiliza da distribuição de brindes para divulgar suas novas campanhas como essa última. Ela enviou milhares de kits personalizados com carácterisricas do clipe para propagar a nova música, mas ela se atentou a enviar somente para o meio artístico com quem tinha o mesmo público. O resultado foi avassalador. Utilizar permuta, troca de divulgação e parcerias é sim uma boa estratégia de marketing, mas quando realmente existe uma estratégia”, finalizou.

Como criar uma boa parceria?

O primeiro passo no co-marketing é encontrar um parceiro ideal que será capaz de ajudar a sua marca a obter resultados expressivos. Abaixo, a especialista pontuou quatro passos para serem levados em consideração antes de escolher um parceiro. São eles:

  1. Atente-se ao público: Procure firmar parcerias com pessoas ou empresas que tenham o público mais parecido com o seu, isso é crucial, porque facilita na elaboração de peças e o tráfego é mais direcionado.
  1. Analise a qualidade das publicações: Preste atenção na qualidade das publicações, veja se te interessa, se tem um belo design, se são atrativos.
  1. Avalie a quantidade de engajamento: Do número de pessoas que acompanham a empresa, geralmente, nem todos curtem os posts, então não é vantajoso firmar colaboração com uma entidade que possui audiência baixa, mesmo que tenha muitos seguidores.
  1. Preste atenção na reputação do parceiro: Tenha em mente que a imagem do possível parceiro vai afetar diretamente a imagem da sua marca. Então, atente-se a como a marca é vista no mercado. Estude e faça pesquisas sobre a possível companhia que você deseja ter ao lado da sua.

Deixe uma resposta