Imposto de renda: ainda dá tempo de destinar fundos a ONGs

O prazo para entrega da declaração do imposto de renda de 2021segue até a próxima segunda-feira (31.5). Uma opção para quem ainda não fez o envio é destinar parte do IR a ONGs e ajudar, gratuitamente, a atenuar o impacto negativo da pandemia da covid-19, principalmente para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Segundo o Datafolha, 46% dos brasileiros acusam ter sofrido queda de renda familiar em 2020. A fome atinge cerca de 10,3 milhões de pessoas, e cerca de 4,7 milhões de crianças e adolescentes estão em situação de insegurança alimentar, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nesse cenário, é possível ajudar as organizações sociais doando parte do Imposto de Renda para os fundos sociais. A Aldeias Infantis SOS Brasil, maior organização de atendimento direto à criança no mundo, é uma das ONGs cadastradas para receber os recursos dos fundos.

“A contribuição pode não representar muito para o doador, mas é de grande valia para as organizações. O imposto de renda é uma forma de colocar a solidariedade em prática no cotidiano das pessoas de forma simples e gratuita”, conta Edmond Sakai, Diretor de Relações Institucionais, Marketing e Comunicação da Aldeias Infantis SOS Brasil.

A organização lançou esse ano a campanha nacional #SOSCriançasSemFome, que tem objetivo de distribuir cartões alimentação no valor de R$ 300 e kits de higiene e de prevenção contra a Covid-19, durante quatro meses, para amparar mais de 5 mil crianças atendidas nos projetos da organização, incluindo os venezuelanos refugiados.

Como fazer a destinação: Passo a passo

Pessoas físicas podem doar até 6% dos seus impostos, sendo 3% para o Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente (ECA) e 3% ao Fundos do Idoso. Para isso, confira o passo a passo:

1)    Acesse o site da Receita Federal (https://www.gov.br/receitafederal/pt-br)

2)    Clique no banner “Meu Imposto de Renda”, e clicar em “Baixar o programa” para realizar o download do programa de declaração de rendimentos recebimentos em 2020.

3)    Com o programa instalado, vá ao menu esquerdo e selecione a opção “doações diretamente na declaração”. Aqui, é possível repassar os fundos pelo Programa Gerador de Declaração (PGD), sem cursos adicionais. Essa opção apenas permitirá que parte do imposto seja destinado diretamente para um Fundo Social.

4)    Nesse momento, é possível escolher se a sua destinação irá para um Fundo Nacional, Estadual ou Municipal. Neste caso, fica à critério do contribuinte, de acordo com o tipo de organização que ele deseja fortalecer. As organizações com atuação nacional, recebem do fundo nacional, por exemplo. 

5)    Após a escolha, insira o valor que deseja destinar ao fundo, de acordo com o valor total permitido (que será exposto no canto direito).

6)    Pronto! Após a inserção do valor, são gerados dois Documentos de Arrecadação da Receita Federal (DARFs). Um deles é referente à quitação da primeira quota ou quota única do IR e o outro é um comprovante de doação ao fundo escolhida pelo contribuinte.

7)    Faça o download do DARF e efetue o pagamento. O valor será creditado no fundo escolhido.

Empresas também podem destinar o IR

O movimento de solidariedade também tem sido seguido por pessoas jurídicas, como é o caso da empresa InBetta, do Rio Grande do Sul, que repassou parte de seu Imposto de Renda para apoiar famílias com filhos menores de idade, por meio de um projeto Arte de Conviver, em parceria com Aldeias Infantis SOS Brasil.

Com o repasse de recursos, a organização conseguiu financiar cartões de alimentação para 55 famílias em vulnerabilidade social na região gaúcha de Esteio. Barbara Arielli, uma das beneficiadas, estava grávida da segunda filha quando ficou desempregada por conta da pandemia. “Se hoje minha bebê tem sabonete, fralda, pomada e todos esses itens tão necessários, foi porque tive ajuda do projeto. Sou extremamente grata por todo apoio”, conta a mãe.

Deixe uma resposta