Setor industrial de saúde é o que mais busca inovar com a Embrapii

O Complexo Industrial da Saúde responde pela maior parte de projetos de inovação desenvolvidos com apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), 14,5% do total. São 178 projetos de 141 empresas, que somam R$ 153 milhões em investimentos e 44 pedidos de Propriedade Intelectual – 71 projetos já concluídos. 

As tecnologias envolvem o desenvolvimento de produtos voltados para cura, diagnóstico e prevenção de doenças, como medicamentos, equipamentos hospitalares, softwares e aplicativos, que auxiliam no atendimento ao paciente. Também há soluções desenvolvidas que oferecem mais inteligência e inovação ao processo industrial, tornando-o mais eficiente e produtivo.

A pandemia da Covid-19 trouxe grandes desafios para a ciência e a indústria brasileira exigindo respostas imediatas que pudessem contribuir no combate à doença no país. A Embrapii, com seu modelo de atuação ágil e flexível, fomentou 62 ações destinando recursos financeiros e disponibilizando pesquisadores para o desenvolvimento de projetos de inovação para atender a esta necessidade.

Para aumentar a competividade do setor e das fabricantes brasileiras, a Embrapii se aliou à Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos – Abimo. 

Conheça alguns projetos 

ECMO – “pulmão artificial” para casos graves de Covid 19 

O aparelho consiste na Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO em inglês), uma forma de respiração extracorporal. Ele está sendo utilizado em pacientes graves com Covid-19, ajudando a manter o paciente vivo até que a doença regrida. Além disso, a tecnologia pode exercer simultaneamente a função do pulmão e do coração em pacientes em que um desses órgãos ou ambos – perderam temporariamente a capacidade de realizar estas funções, em casos de transplante de coração, infarto do miocárdio, parada cardíaca e insuficiência respiratória aguda. O equipamento é fruto da parceria com a empresa Braile Biomédica e a Unidade Embrapii – Eldorado.

Princípios ativos para medicamentos contra o Câncer 

A unidade Embrapii Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), o Aché Laboratórios e a empresa Phytobios fecharam uma parceria para identificar substâncias bioativas em extratos vegetais da biodiversidade brasileira. O objetivo de descobrir e desenvolver novos medicamentos inicialmente nas áreas de oncologia e dermatologia.

Próteses Ortopédicas biocompatíveis 

Em parceria com a Unidade Embrapii IPT, a CBMM está desenvolvendo próteses ortopédicas de ligas de material biocompatível e com características mecânicas mais próximas às do osso humano. A proposta é produzir, a partir de exames de ressonância magnética e por manufatura aditiva e fusão seletiva a laser, peças que se encaixem perfeitamente ao corpo. A adição de nióbio traz mais possibilidade de evitar a rejeição do corpo humano e uma sequência de cirurgias, com peças sob medidas. Na tecnologia tradicional, muitas vezes, exigia-se serrar ou lixar o osso para encaixar a prótese, o que causa sofrimento no paciente. 

Inteligência Artificial na Saúde

A startup Salvus, com a Unidade Embrapii Cesar, desenvolveu dispositivo que utiliza inteligência artificial para monitorar de forma automatizada os estoques de oxigênio. O equipamento conecta os cilindros à internet e os dados de consumo e estoque são transmitidos para o computador do gestor da instituição ou empresa responsável pelo monitoramento. Além da melhoria da logística e economia de recursos, há também ganho para a segurança do paciente que necessita de oxigênio. No Brasil, cerca de 7,5 milhões de pacientes com DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) precisam utilizar oxigênio medicinal em suas residências. O projeto conta também com o financiamento do Sebrae.

Deixe uma resposta