Imóvel novo ou usado: qual escolher na hora da compra?

Quem tem vontade de sair do aluguel e adquirir um imóvel pode se deparar com a seguinte dúvida: imóvel novo ou usado? Existem diferenças importantes entre essas duas opções e, para decidir bem, é preciso colocar na balança os prós e contras. Para acertar na escolha, é importante fazer um bom planejamento financeiro e avaliar o próprio perfil levando em conta as duas opções. Com o objetivo de ajudar os compradores, a fintech CrediHome selecionou as principais diferenças entre os dois tipos de apartamentos.

Imóvel novo

Os imóveis novos possuem vantagens e desvantagens para o comprador. À primeira vista até podem parecer a melhor opção, mas isso vai depender das preferências e necessidades.

  • Melhores condições de financiamento: ao comprar um imóvel novo, você pode estar adquirindo um apartamento pronto para morar ou ainda em fase de construção. Os apartamentos ainda na planta garantem vantagens na hora de fazer o financiamento. Por exemplo, a Caixa Econômica Federal financia até 80% sobre o valor total do imóvel novo, mas apenas 70% dos usados. 

Com os empreendimentos ainda na planta, o valor da entrada também pode ser distribuído por todo o período em que o imóvel estiver em obras. Além disso, também é possível utilizar o FGTS na compra, facilitando ainda mais o pagamento.

  • Áreas comuns e de lazer: uma coisa que muitos compradores podem se deparar na hora de escolher comprar um apartamento novo ou usado é a área de lazer e áreas comuns do imóvel. Enquanto apartamentos antigos costumam prezar por outras características, os novos seguem uma tendência em que os moradores aproveitam ao máximo as áreas comuns. Muitos condomínios novos são quase clubes, onde o morador poderá praticar esportes, utilizar piscina, salão de festas, home office, ginástica, churrasqueira, playground para as crianças, entre diversas outras facilidades.
    Ao mesmo tempo que essas facilidades aumentam consideravelmente o valor do imóvel e do condomínio, acabam sendo  uma vantagem para o morador que não precisará pagar por nenhum desses serviços em locais externos.
  • Maior valor de revenda: por ter uma procura alta, o imóvel novo pode ter um valor mais alto de revenda em comparação com o usado, especialmente se for considerar aqueles com mais de 30 anos de uso. Por que isso acontece? Uma das explicações é que tanto a planta quanto às instalações dos imóveis novos são mais modernas, o que diminui o risco de problemas estruturais e reformas. 

E, como dito anteriormente, as áreas comuns são mais completas, o que chama bastante atenção dos compradores e favorece a revenda futura.

Imóvel usado
 

Assim como o imóvel novo, os usados também têm seus prós e contras. Para decidir, é preciso avaliar as prioridades e o que realmente faz diferença na hora de comprar um imóvel.

  • Localização privilegiada: justamente por terem sido construídos quando determinada cidade ainda não era tão habitada, os prédios mais antigos costumam estar nas regiões mais centrais da cidade e perto de tudo. Isso é uma grande vantagem para esse tipo de imóvel e pode fazer a diferença na hora de decidir qual tipo comprar. 

No entanto, também é possível encontrar imóveis novos com boas localizações, próximos dos grandes centros. Na hora de procurar pela localização do apartamento que irá comprar, é preciso saber que tipos de serviços existem ao redor, como escolas, bancos, mercados, farmácias e transporte público.

  • Construções com mais espaço físico: antigamente era mais comum encontrar apartamentos maiores, com salas e cozinhas mais amplas, assim como os quartos. Também era comum que o pé direito do apartamento fosse maior, podendo chegar a quase 3 metros de altura. Isso também acontece porque os prédios mais antigos costumavam não ser tão altos, enquanto os mais novos têm um pé direito menor para que a construção possa ter mais andares.
  • Condição do imóvel: embora comprar uma casa usada tenha muitas vantagens, é também importante averiguar a condição do imóvel, para que não acabe gastando ainda mais com reformas mais tarde. É sempre bom colocar tudo isso na ponta do lápis, avaliando o valor do imóvel usado, que pode ser mais baixo que um novo, mas acaba ficando mais caro depois de todas as reformas e manutenções. 
  • Mudança mais rápida: no entanto, caso o comprador esteja com pressa para morar no apartamento, os imóveis usados costumam ser bem mais rápidos do que os novos ainda em construção. O fundamental é levar um engenheiro ao imóvel para garantir que não exista nenhuma necessidade de reforma imediata, como infiltração, encanamentos inadequados e tomadas elétricas antigas. Essas manutenções podem atrasar um pouco a mudança e por isso é importante avaliar bem a condição do imóvel antes de comprá-lo.
  • Condições de pagamento: na maioria das vezes, quem opta pela compra do imóvel novo tem opções diversificadas de pagamento, especialmente se ele for negociado na planta e diretamente com a construtora. É possível parcelar a entrada e negociar as prestações. Em geral, não existem restrições para o financiamento, independentemente se for um apartamento novo ou usado. Se o comprador quiser, ambos podem ser adquiridos por meio do programa Casa Verde Amarela (antigo Minha Casa Minha Vida), por exemplo. Apenas é necessário seguir as condições impostas pelo programa, como o imóvel ser usado especificamente para moradia e as parcelas não ultrapassarem 30% da renda familiar mensal. 

Deixe uma resposta