Plataformas digitais da Gig Economy amenizam crise do desemprego

Com a continuidade da crise de saúde no Brasil, devido à pandemia da covid-19 e as ações e omissões do governo de Jair Bolsonaro, o cenário para o trabalhador formal segue incerto, principalmente tratando-se das pessoas mais vulneráveis, consideradas a base da pirâmide da economia. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada recentemente pelo IBGE, a taxa média de desemprego em 2020 foi recorde em 20 dos 27 estados brasileiros. Neste sentido, a medida provisória publicada em abril no Diário Oficial da União, que flexibiliza as regras trabalhistas, vem servindo como um apoio ao trabalho desenvolvido pelas plataformas digitais, de disseminar novos arranjos de emprego no que ficou conhecido como o conceito de  “Gig Economy”. 

A expressão surgiu justamente por conta da transformação digital, com a utilização de novas ferramentas, participando das mudanças nas relações de trabalho. Dessa maneira, o trabalho autônomo e freelancer se estabeleceu como solução para a conquista de novos empregos.  

Plataforma referência em São Paulo, a Closeer, que conecta trabalhadores às empresas por meio da tecnologia, se viu à vontade para expandir seu campo de atuação. Ainda no final de abril, a startup chegou a Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. “A trabalhabilidade tende a provocar a sociedade a se reinventar a todo o momento, configurando uma nova maneira de encontrar oportunidades de renda, a partir das habilidades que o profissional já possui e que pode desenvolver”, explica Walter Vieira, CEO do Closeer. 

De acordo com ele, o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM), estabelecido pelo governo federal por meio da MP, tem potencial de salvar empregos. O executivo comenta que a permissão para as empresas reduzirem a jornada de trabalho e os salários de seus funcionários passou a ser um fator determinante para a manutenção de empregos, principalmente em setores como foodservice e hotelaria, que foram profundamente impactados pela pandemia. “Após meses operando com restrições, muitas empresas destes segmentos se encontram sem caixa para honrar com seus compromissos e começam a optar pelo corte da mão de obra como primeira medida para equilibrar as finanças”, diz. 

O modelo de trabalho Gig, muito conhecido no ramo de restaurantes, bares e hotéis, inicialmente era uma forma de complementar equipes que necessitavam de trabalhadores pontuais para ajudar em temporadas de maior movimentação. Hoje, as empresas já começam considerá-lo como prática regular de contratação, até por conta do cenário atual.  Com isso, a plataforma Closeer aproxima a comunicação entre as instituições e profissionais liberais, aquecendo ainda mais esse mercado a partir de uma contratação ágil e segura. 

Cuidados na contratação 

“Apesar de existir um intermediador entre a empresa e seu novo empregado é necessário que não haja a falsa sensação de isenção a respeito da necessidade de as organizações saberem exatamente com quem estão negociando e quem estão contratando”, afirma Alexandre Pegoraro, CEO da plataforma de compliance Kronoos. 

Plataformas tecnológicas de verificação de dados, como a Kronoos, se tornaram aliadas no processo de contratação de temporários. A partir apenas do número do CNPJ, por exemplo, as empresas especializadas neste tipo de verificação aplicam soluções de mineração de dados e crawling, para determinar se empresas, seus sócios ou familiares, estão envolvidos em fraudes, corrupção, lavagem de dinheiro, terrorismo, crimes ambientais e até envolvimento com emprego de mão de obra escrava e infantil. 

Da mesma forma, a solução busca informações em mais de 2.500 fontes para conferir a idoneidade das pessoas que se candidatam às vagas.  A investigação abrange processos em todos os tribunais brasileiros, Ministérios Públicos do Trabalho, COAF, OFAC, FATCA, OIT, assim como em cadastros negativos de crédito como Serasa e SPC para detectar a existência de cheques sem fundos e protestos, por exemplo. 

Para facilitar a administração desse novo contratado, a Closeer possui recursos tecnológicos, como o Closeer Pay, conta digital para movimentações financeiras, que simplifica todo o processo de gestão, controle e recebimentos. Além disso, a Closeer possui um algoritmo capaz de constatar o profissional mais próximo ao local de emprego, e trazer avaliações feitas por contratantes anteriores. 

Deixe uma resposta