Longevidade: os desafios e oportunidades de carreira para a chamada “melhor idade”

A procura pelo curso de Cuidador de Idoso disparou no Brasil nos últimos anos. A resposta, segundo alguns especialistas, está no fato que o país tem envelhecido mais.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que em 1991 a expectativa de vida do brasileiro era de 66,9 anos. Hoje esse índice saltou para 76 anos, e a expectativa é que em 2039, passe a ser de 79,3 anos. A pesquisa apontou ainda que até 2050 o número de brasileiros com mais de 60 anos irá dobrar, passando de 24 milhões para 64 milhões de idosos.

Segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o número de profissionais de cuidadores de idosos passou de 23.949 em 2014 para 36.720 em 2018. Já o levantamento da Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), com dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), cuidador foi a ocupação que mais cresceu entre os anos de 2007 e 2017.

A Via Certa Educação Profissional – rede especializada em cursos profissionalizantes – oferece o curso de cuidador de idoso desde 2016 e também vem sentindo esse reflexo do aumento da demanda pelo curso. A alta foi de 60% desde que a disciplina foi inaugurada. A Via Certa conta com 42 unidades em funcionamento nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Minas Gerais e Bahia.

Nicho em destaque no mercado

Décio Marchi, diretor executivo da rede Via Certa, avalia que com a expectativa de vida em alta, a demanda por cursos especializados na melhor idade também tende crescer ainda mais nos próximos anos. “Pois aqueles que buscam por uma especialização já enxergam oportunidades de trabalho voltado a esse nicho e a forma com que vem encarando a velhice. Até mesmo para aqueles que buscam por uma recolocação no mercado de trabalho reconhecem como essa carreira tem se tornado promissora”, diz.

Marchi conta que a mensalidade para se formar em cuidador é de R$ 169,90, e que o curso tem duração de seis meses, com carga horária de 48 horas. A remuneração desse profissional tende a ser entre R$ 1.210,50 a R$ 2.117,16, variando conforme a carga horária e região do país.

cuidador de idoso, seja ele familiar ou profissional contratado, é muito importante na tarefa de proporcionar e oferecer um envelhecimento mais saudável e com menor comprometimento funcional. O profissional atuará em asilos e clínicas de repousos, ou particulares.

O curso ensina desde auxiliar na locomoção, alimentação e higiene, até em casos de reconhecer os sinais vitais da pessoa, AVC, diabetes, entre muitos outros. “O curso de cuidador de idosos é multidisciplinar. Prepara seus alunos para desempenhar as principais rotinas para atuar nessa área, e, acima de tudo, os ensina que cuidar de um idoso é muito mais que um trabalho, é um ato de respeito com o próximo”, afirma Marchi.

Desde que começou a oferecer o curso na área, a Via Certa já formou 1.100 cuidadores e a expectativa é que esse número salte para 3 mil nos próximos dois anos.

“Contratar um profissional com conhecimento técnico gera maior segurança ao idoso e à própria família, pois além de auxiliar na prevenção de doenças e estimular a autonomia desse idoso, conta ainda com tratamento humanizado”, enfatiza o diretor executivo da Via Certa.

Conectado com a melhor Idade

Com a população envelhecendo e a expectativa de vida cada vez mais em alta é importante pensar em maneiras de incluir as pessoas da melhor idade no universo da tecnologia. Não é à toa que as escolas profissionalizantes enxergam um potencial de negócio voltado a esse público.

Tanto é que a Via Certa oferece o curso de “Melhor idade conectada com ênfase em redes sociais” para levar informações às pessoas com mais de 60 anos conhecimentos que contribuirão para uma qualidade de vida superior, com didática simples e agradável.

O curso tem duração de 12 meses e carga horária de 74 horas. Durante as aulas o aluno aprenderá como navegar e pesquisar na internet; criar apresentações gráficas; planilhas; textos; entre outros.

“Pode ser algo muito simples para muitas pessoas, mas a verdade é que há muitos idosos que sentem essa dificuldade de acompanhar o universo tecnológico. E o curso veio para oferecer mais independência a esse idoso, além de poder aproximar ele de outras pessoas, familiares que moram longe, através das redes sociais, até mesmo durante a pandemia onde o distanciamento social se tornou algo tão presente e necessário e é um dos maiores causadores de solidão entre esse público”, diz o empresário.

Metodologia Flex

Desde o início da rede, em 2012, os cursos oferecidos pela Via Certa já eram apresentados de forma híbrida, onde alguns módulos podiam ser feitos de maneira on-line e outros eram presenciais com especialistas de determinada área.

Com a pandemia, a rede acelerou o processo de transformação digital e em cinco meses lançou o Sistema Flex em todas as unidades. Nela é possível com que o aluno tenha flexibilidade de escolher como e onde quer estudar, podendo optar em fazer as aulas da plataforma 100% em casa ou onde estiver, bem como também na própria unidade Via Certa. Ou até mesmo uma parte on-line e outra parte na escola, tudo a livre escolha do aluno.

“Essa forma vem sendo muito aceita pelos alunos que buscam nesse momento por um ensino profissionalizante. Com o mercado cada vez mais exigente, a qualificação é essencial para ir em busca de melhores salários, recolocação no mercado de trabalho e até mesmo como uma renda extra”, finaliza Décio Marchi, diretor executivo da Via Certa.

Deixe uma resposta