Camp Oceano oferece 40 soluções para desafios marinhos

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná, divulgou nesta quarta-feira (30) as 40 propostas de solução selecionadas que serão aprimoradas ao longo do Camp Oceano. Durante três dias – de 14 a 16 de julho –, as equipes autoras dos projetos escolhidos participarão virtualmente de uma imersão de conhecimento e capacitação com o intuito de lapidar suas soluções. As propostas buscam resolver desafios relacionados ao ambiente costeiro-marinho, como fomentar o turismo responsável, reduzir a poluição no oceano e mitigar os efeitos da crise climática nas cidades costeiras.

Entre as propostas selecionadas para a próxima fase do Camp Oceano estão trabalhos relacionados à observação turística da fauna marinha, à remoção de plástico do mar e à certificação de paisagens costeiras. Outras soluções que seguem adiante também se propõem a gerar renda a partir da extração de espécie exótica de coral; restaurar manguezais e engajar comunidades tradicionais na despoluição da orla. “Foram quase 140 propostas de solução recebidas de todo o Brasil! Ficamos extremamente contentes com esse envolvimento, o que demonstra que há muita gente interessada em contribuir com a saúde e sustentabilidade do oceano a partir da inovação e do trabalho coletivo”, afirma a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes.

As equipes das 40 propostas selecionadas participarão de palestras, capacitações, dinâmicas de inspiração e desenvolvimento. Depois dos três dias de imersão, um grupo menor de soluções avançará para uma fase de mentoria para detalhar ainda mais suas soluções. Ao final das etapas, os projetos que se destacarem receberão apoio financeiro para serem executados. “Para serem colocadas em prática, as melhores soluções – com ideias inovadoras, replicáveis, com benefícios significativos para a conservação e economicamente viáveis – concorrerão a apoios que, somados, podem chegar a até R$ 1,5 milhão”, explica Malu.

Foram selecionadas propostas inscritas por equipes de diferentes regiões do País, desde o Rio Grande do Sul ao Amapá, e muitas das soluções propostas podem ser aplicadas em diferentes contextos em todo o território nacional. Com mais soluções inscritas, o fomento ao turismo responsável é o desafio com o maior número de projetos que avançam para os três dias de imersão, concentrando 42% dos selecionados. Em seguida, vêm propostas para reduzir a poluição do oceano e incidentes ambientais (35%) e soluções com o objetivo de mitigar os efeitos da crise climática nas cidades costeiras (23%).

A lista de selecionados para participar da Fase 2 do Camp Oceano está disponível para consulta no site www.fundacaogrupoboticario.org.br.

Sobre a teia de soluções

O Camp Oceano é um dos formatos de seleção da teia de soluções. Lançada em 2020 com dois processos seletivos, a teia estimulou, em suas primeiras edições, o desenvolvimento de propostas voltadas para o turismo responsável em áreas naturais e para a Grande Reserva Mata Atlântica – o maior remanescente do bioma no Brasil. Ao longo dos processos, 43 soluções foram acompanhadas e estruturadas com mentoria e apoio técnico. No final, seis foram selecionadas para receber apoio financeiro e serem impulsionadas.

Deixe uma resposta