Como novidades em conectividade podem gerar mais eficiência ao setor corporativo

Artigo de Paulo Orio,  gestor de vendas e pé-vendas da Orange Business Services:

Adaptações, mudanças constantes, ritmo acelerado e a palavra certa para que possamos enfrentar os desafios deste contexto que vivemos: conectividade. No meu dia a dia, e no de muitos por aí, falamos bastante em conexão, em fazer com que as pessoas sintam-se conectadas com os propósitos das marcas, que vistam a camisa do time e estejam, de fato, relacionadas de forma positiva com aquilo que atuam constantemente. Mas, para que esta conexão aconteça, precisamos olhar para a conexão física – o estar próximo. Especialmente no  setor corporativo, há várias soluções que foram desenvolvidas para conectar pessoas, a dinâmica de trabalho e os dispositivos; essas conexões, uma vez estabelecidas, encurtam os espaços e tornam os processos mais simplificados.  

Compreendo, enquanto o mundo continua enfrentando as consequências da pandemia causada pelo COVID-19, que as adaptações no trabalho nunca foram tão necessárias. Assim, entendo que a conectividade, responsável por estabelecer o vínculo entre os dispositivos, as redes e as pessoas, deve ganhar cada vez mais relevância na dinâmica empresarial a partir das novas soluções desenvolvidas pelos profissionais de TI. 

Mas, de quais soluções estamos falando?

Para que a competitividade continue acentuada e os diferenciais sejam atualizados nesse cenário que muda constantemente, há soluções para gerar conectividade com mais  eficiência ao setor corporativo. O SD-WAN, por exemplo, gerencia as redes de longa distância e possibilita a conexão entre os escritórios, lojas físicas, usuários, Data Centers e com diversos dispositivos independentemente da localização. Uma solução como essa reduz custos operacionais e permite a conexão com uma gama completa de provedores de nuvens com a assertividade de que os dados sejam transmitidos com mais segurança. No fim das contas, isso é o que pode chamar atenção das empresas para o aprimoramento da transformação digital.

Outra possibilidade é a LTE, mais conhecida como 4G no Brasil, que continua desempenhando o tráfego de dados em velocidades superiores às tecnologias anteriores e promovendo a conectividade em todas as regiões do país. Quando utilizamos a LTE privada para empresas, seja em fazendas, minas ou em lugares geograficamente afastados de grandes centros, a conectividade é acentuada e a inovação finalmente chega nesses ambientes que, até então, não eram vistos como propícios para a entrada da tecnologia. O Brasil ainda é um grande consumidor da LTE e é preciso ter atenção às funcionalidades que podem ser aplicadas para otimizar a produção. 

Nesse sentido, gosto de observar como a conectividade precisa ser implementada nas indústrias, de modo geral, para que o mercado continue crescendo. A Internet das Coisas (IoT) propicia, em uma conjuntura ideal, a união entre a velocidade de transmissão de dados, segurança e o baixo uso de energia. Também, conforme as discussões da pesquisa do Gartner, o uso da IoT simplifica o gerenciamento da conectividade, fornecendo conexões, ferramentas e serviços que podem agregar valor ao setor.

Uma vez que a IoT é posicionada em uma organização, os processos podem ser otimizados e novos modelos de negócios surgem, trazendo redução de custos, mais produtividade e controle sobre os dados, garantindo a segurança do trabalho fornecido e atraindo novos clientes. O gerenciamento deste tipo de solução pode ser feito para uma cidade industrial inteira, por exemplo, conectando e melhorando os processos tecnológicos para uma grande quantidade de colaboradores. 


Há outras soluções de conectividade sobre as quais não se tem debatido tanto nos últimos meses, mas que também foram muito necessárias para diversas realidades. O Business VPN Satellite, por exemplo,  é uma tecnologia para disponibilizar a conectividade em regiões sem infraestrutura de comunicação, ou em ambientes em que a infraestrutura é muito pobre e precisa de melhorias, como em regiões de campo interioranas e minas. A Orange já forneceu essa tecnologia e ajudou várias organizações no passado e continua investindo nessa tecnologia.

De acordo com uma notícia publicada pelo Estadão no início de 2020, o avanço da conectividade no campo é indispensável para que a produtividade aumente no Brasil. Isso demonstra que, até mesmo em meios que não parecem tão propícios, devemos olhar com atenção para as soluções tecnológicas existentes e para as novas tecnologias, pois se a produção de um único setor for prejudicada, a economia pode sofrer impactos negativos. Na Orange, temos investido massivamente nas soluções de SD-WAN, LTE e IoT para atender todos os mercados, inclusive o agronegócio.

Por isso, as empresas devem olhar para a conectividade flexível e inovadora, com níveis de segurança extremamente elevados e um desempenho escalável, otimizado a partir da especificidade de cada empresa, de cada projeto e de cada contexto. Vale a reflexão sobre o que é novo para cada situação e qual produto ajudaria no desenvolvimento de determinados negócios.

Após essas considerações, acredito que o avanço da conectividade, independentemente de qual setor esteja sendo utilizado, garante a ampliação do conhecimento e a simplificação necessária para que as dinâmicas organizacionais prevaleçam em evolução e o mundo não pare, mesmo que de casa.

Deixe uma resposta