Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual e Hysteria promovem II Mostra Imaginários Possíveis

O Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual e a Hysteria, plataforma com o objetivo de ampliar a inserção feminina no mercado e abrir espaço para narrativas que tenham as mulheres sempre no centro das histórias, renovam a parceria para a realização da II MIP – Mostra Imaginários Possíveis, uma das ações da terceira edição do festival, que ocorre em ambiente online entre 6 e 17 de outubro. Destinado à participação de mulheres e pessoas de identidade de gênero diversas, realizadorxs amadores ou profissionais, a mostra exibirá microfilmes com duração mínima de 30” (segundos) e máxima de 3’ (minutos). Serão selecionados até 10 títulos a serem disponibilizados nos canais digitais da Hysteria e do festival. Interessadxs podem se inscrever, gratuitamente, entre os dias 26 e 31 de julho no linktree do festival: https://linktr.ee/cabiria

O requisito principal para participar é a criatividade. O objetivo da mostra é incentivar realizadorxs a criarem relatos audiovisuais, produzidos com smartphones ou câmeras profissionais, sobre os modos de fazer e os ofícios que materializam desejos para o presente, propostas de futuro, acolhimento e ressignificação do passado.

Para a comissão de curadoria, composta por Julia Katherine, Thamires Vieira e Yolanda Barroso, junto às diretoras do festival, Marília Nogueira e Vânia Matos, o Cabíria Festival é um espaço de debate e criação em busca inventiva da transformação de processos e da construção de espaços para a pluriversalidade. Desejamos com essa mostra encorajar autorias baseadas na diversidade de modos de fazer e expressar imaginários possíveis, entendendo a narrativa audiovisual como uma potente ferramenta de escuta, diálogo e desconstruções, tão urgentes quanto necessárias.

“A Hysteria tem orgulho de abrir sua janela e sua plataforma para compartilhar o trabalho e o talento de realizadorxs novos e experientes na mostra Imaginários Possíveis. Junto do Cabíria e de criadorxs que embarcarão nessa jornada, podemos amplificar nossas vozes e descobrir modos de se fazer e expressar esses novos imaginários possíveis”, diz a head da Hysteria, Isabel De Luca.

Deixe uma resposta