Driblar a inadimplência ainda é o principal desafio de empresários

Pesquisa realizada pela Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, buscou identificar quais têm sido os desafios enfrentados por empresários brasileiros para a manutenção de seus negócios durante a pandemia.

De acordo com o levantamento, o não recebimento de valores gerados pelas vendas é o principal problema enfrentado pelas empresas, apontado por 52% dos entrevistados. Em 2020, este fator havia sido mencionado por 40% deles. O cenário vai ao encontro de outro estudo divulgado pela Boa Vista recentemente, que mostrou uma elevação do índice de inadimplência do consumidor de 2,2% em maio. 

Em relação às medidas adotadas para garantir a sobrevivência dos negócios durante a crise, 80% dos empreendedores consultados afirmam insistir em medidas para cortes de despesas neste ano. Em 2020, esse volume era de 71%, mesmo em um período no qual o impacto da pandemia sobre a economia brasileira era mais intenso do que atualmente. As renegociações com bancos também foram mencionadas de maneira significativa pelos entrevistados no estudo, sendo apontadas por 37% deles, um nível menor do que o do ano passado (41%). 

As outras medidas mencionadas para manutenção das operações foram a redução do quadro de colaboradores, citada por 28% deles (ante 36% em 2020), a renegociação de salários (19% em 2021 e 37% em 2020) e a antecipação de férias (11% em 2021 e 41% em 2020). Manteve-se, no entanto, o número de empresários que buscam crédito para seus negócios. 85% disseram que já implantaram ou estão em andamento com essas medidas. Segundo a Boa Vista, 78% deles afirmam captar recursos dessa maneira em 2021, o mesmo nível verificado no ano passado. Na imagem abaixo o detalhamento:

“Com a chegada da vacina, ainda que em ritmo lento, e sinais de melhoras dos indicadores econômicos, como a volta do PIB a patamares pré-pandemia, muitos empresários começam a reduzir a adoção de medidas muito drásticas para manutenção de seus negócios. No entanto, há um efeito da inadimplência que ainda ameaça a geração de receita e o fluxo de caixa”, explica Flavio Calife, economista da Boa Vista.

Deixe uma resposta