Aluguel de imóveis por temporada impulsiona retomada do turismo no Brasil

Em 2020, o empreendedorismo cresceu significativamente no Brasil. Segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 25% da população adulta brasileira aderiu à prática ao longo do último ano. O fato pode ser atribuído ao avanço da crise econômica, decorrente, entre outros fatores, da pandemia de Covid-19: o PIB (Produto Interno Bruto) registrado em 2020 teve uma queda de 4,1% em relação a 2019.

O reflexo da recessão econômica foi sentido com o aumento do desemprego, que, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), chegou a 14,7% no último ano. Dessa forma, brasileiros precisaram buscar outras fontes de renda, abrindo portas para o desenvolvimento de diferentes negócios – muitas vezes, em novos mercados ou novos formatos.

Retomada do turismo

O setor do turismo no país, apesar do impacto negativo gerado pela pandemia de Covid-19, registrou, em maio de 2021, um faturamento de R$ 9,3 bilhões – o valor é 47,5% superior ao assinalado no mesmo período em 2020, segundo a FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

Segundo Thiago Moresqui, sócio-fundador do Casa Temporada, a movimentação do turismo pode ser justificada pelo crescimento do mercado de aluguel por temporada. “Com os hotéis fechados ou atuando com capacidade reduzida, os imóveis para locação por temporada ganharam destaque e se tornaram uma ótima opção para as pessoas que desejam sair da rotina”, diz.

Aluguel por temporada

Para Moresqui, o fato de as pessoas estarem passando mais tempo juntas dentro de casa devido à pandemia de Covid-19 fez com que a busca por alternativas de lazer – que incluem viagens em família – se tornasse um grande desafio. Por isso, opções mais reservadas, como o aluguel de imóveis por temporada, passaram a ser mais consideradas.

“Com casas particulares, a exposição ao vírus é menor. Além disso, é possível adaptar a própria rotina ao novo ambiente. Com isso, o mercado de aluguéis para temporada teve um crescimento de 2.000%. Vimos o aumento no número de imóveis para locação e também no volume de viajantes – principalmente para campo e montanhas”, explica o empreendedor.

Os dados acima dispostos foram extraídos da plataforma Casa Temporada, que também constatou que os imóveis são procurados e escolhidos a partir das seguintes considerações: localização, condições, conforto, lazer, garagem, preço e permissão de animais.

A ideia do Casa Temporada foi desenvolvida alguns meses antes do início da pandemia de Covid-19, quando Moresqui decidiu trabalhar com prospecção e venda de anúncios para proprietários de chácaras, sítios e ranchos.

“Foi interessante adaptar algumas ideias para as necessidades emergentes. Ainda assim, vemos tendências que não passarão tão cedo. Nossa ideia é continuar acompanhando o mercado, oferecendo facilidade e conforto para as casas que estão para alugar”, finaliza.

Deixe uma resposta