Escola Porto Iracema das Artes celebra oito anos com programação especial em agosto

Agosto é um mês especial no calendário da Escola Porto Iracema das Artes: momento de celebrar a existência de uma instituição pública de artes no Ceará, reconhecida pela excelência e a inovação das propostas pedagógicas, mas também oportunidade para refletir sobre os desafios que se apresentam em mais um ano. Em 2021, quando o mundo ainda tenta superar a pandemia de covid-19 — e não à toa escolhemos as “Poéticas de Travessia” como referente poético, norteador dos processos —, a escola de formação e criação do Governo do Estado, equipamento da Secretaria da Cultura gerido pelo Instituto Dragão do Mar, comemora oito anos com uma programação repleta de atividades virtuais.

A data que marca a fundação da Escola é 29 de agosto, mas ao longo de todo o mês teremos aulas abertas com grandes nomes do Teatro, do Cinema e das Artes Visuais que estarão nos percursos do Programa de Formação Básica; shows de artistas do nosso Laboratório de Música; exibição e debate de filme cujo roteiro foi desenvolvido no Laboratório de Cinema da Escola; debates com artistas e pesquisadores que vão recontar um pouco da história recente da dança no Ceará; reflexões sobre o legado de Paulo Freire e, para aprofundar a discussão em torno dos processos formativos desenvolvidos na Porto Iracema, haverá ainda o lançamento do primeiro livro editado pela Escola, “Poéticas de Bombordo”. Tudo será transmitido pelo Youtube.

“Considero esse aniversário de 8 anos do Porto Iracema das Artes o momento mais importante de toda a trajetória da Escola”, observa Bete Jaguaribe, diretora de Formação do Instituto Dragão do Mar e da Porto Iracema, analisando o contexto nacional. “O país está mergulhado numa profunda crise social e política, além da tragédia da pandemia. A arte brasileira é alvo preferencial de quem cultua o ódio. Os desafios de uma escola de arte pública ganham uma dimensão enorme porque temos que nos fazer resistência diária e garantir espaço permanente de diálogo e da promoção de uma cultura democrática”, diz a professora, alertando, ainda, para o processo de violência a que está submetida a experiência cultural do Brasil. “O incêndio que destruiu parte do acervo da Cinemateca Brasileira é a evidência mais trágica do que estamos enfrentando agora em termos de ataques à cultura. É desolador e nos impõe a urgência de juntarmos forças para enfrentar esse movimento autoritário e criminoso”, enfatiza.

O secretário da Cultura do Estado, Fabiano Piúba, ressalta que “se a Escola Porto Iracema das Artes já é uma referência de políticas de formação artísticas e culturais no Brasil, no contexto atual ela assume um compromisso, uma responsabilidade muito maior, compreendendo a dimensão da livre expressão, da criação e do pensamento, mas também da arte como resistência e elemento de transformação do mundo”. “Penso que estar comemorando oito anos da Escola Porto Iracema das Artes é a gente estar se posicionando pelo direito às artes e à cultura como direito de cidadania e como um direito de transformação do mundo”, complementa. Para o secretário, a agenda de formação é uma agenda central para a ampliação das competências e capacidades, mas também de repertórios, “porque a arte é um elemento central na formação humana”.

A presidenta do Instituto Dragão do Mar, Rachel Gadelha, salienta a referência que a Escola se tornou no campo da formação artística, nacionalmente e no estado do Ceará. “Ela se destaca pela consistência da proposta pedagógica, pela qualidade dos professores, profundidade do processo de acompanhamento dos alunos e também pela expressividade do que vem sendo produzido artisticamente”, aponta a gestora, lembrando ainda que a Porto Iracema resgata um momento histórico importante da história da arte e da cultura no Ceará e do próprio IDM.

Aniversário

A programação inicia na quinta-feira (5) com o primeiro encontro da série de lives “Entre Telas Dança – Traçados de dança no tempo: perspectivas do Ceará”, uma parceria entre a Escola e a Prodança, que vai reunir importantes artistas e profissionais da dança cearense para resgatar as histórias e perspectivas da área no cenário local a partir da década 1980. Dora Andrade, Rubem Militão, Waneza Menezes, Luís Alexandre, Lolly Pop, Climério Anacé e Lauriane Tremembé participam das conversas, que acontecem também nos dias 12 e 18, pelo canal do Porto Iracema no Youtube, sempre às 19h.

Já na sexta-feira (6), teremos a primeira aula aberta do Programa de Formação Básica 2021, no percurso de Teatro. Chamado de “Navegações Estéticas”, o módulo de abertura dos percursos promove o encontro entre estudantes e artistas de trajetórias consolidadas para um intenso ciclo de reflexões, diálogos e experimentações. A partir das 17h, a professora colombiana Maria Fernanda Sarmiento discute o conceito de Teatro Decolonial.

Já na segunda-feira (9), será a vez da artista visual Efe Godoy ministrar a aula aberta “Desenho é Transe”, a partir das 19h. Ela estará à frente do primeiro módulo do percurso de Desenho e Pintura. No dia seguinte, 10 de agosto, a aula aberta será com a cineasta Everlane Moraes. “Navegações Estéticas: O Cinema e o Espelho”, do percurso de Audiovisual, acontece às 17h.

A programação da semana continua no dia 12 com o primeiro “Anatomia do Espetáculo” do ano, que receberá os artistas do coletivo Os Pícaros Incorrigíveis e o tutor e diretor, Héctor Briones, para dissecar o trabalho “Pagode Russo”, desenvolvido na última edição do Laboratório de Teatro. A conversa inicia às 16h, pelo Youtube da Escola.

A música também se faz presente na programação de aniversário da Porto Iracema e, no dia 13 de agosto, uma sexta-feira, a cantora sobralense Moon Kenzo apresenta seu show “Amarga”, fruto do projeto desenvolvido no Laboratório de Música 2020-21. A estreia do trabalho, gravado no Teatro São João, em Sobral, acontece às 20h, e será seguida de bate-papo com a tutora da artista, a produtora Badsista.

A escola

A Porto Iracema das Artes é a escola de formação e criação em artes do Governo do Estado do Ceará, instituição da Secretaria da Cultura (Secult) gerida pelo Instituto Dragão do Mar (IDM). Criada em 29 de agosto de 2013, há oito anos desenvolve processos formativos nas áreas de Música, Dança, Artes Visuais, Cinema e Teatro, com a oferta de Cursos Básicos e Técnicos, além de Laboratórios de Criação. Todas as ações oferecidas são gratuitas.

De 2013 ao final do ano letivo de 2020, que se estendeu até maio de 2021, no Programa de Formação Básica, a Escola realizou mais de 12 mil matrículas em 556 cursos, com 23.180 horas-aula. Foram formadas três turmas dos Cursos Técnicos de Dança e duas de Computação Gráfica nesse período. Ao longo das oito edições dos Laboratórios de Criação, 413 artistas passaram pelos Labs e 173 projetos já foram desenvolvidos.

Ao longo destes oito anos, mais de 50 mil pessoas foram alcançadas diretamente pelas formações e eventos dos Cursos Básicos, Técnicos e nos Laboratórios de Criação. Com a pandemia de covid-19, em cumprimento aos decretos estaduais, a Escola vem realizando a maioria de suas atividades públicas em formato virtual. Somente em 2020, foram 73 lives no Youtube com 48. 131 visualizações. No Instagram, foram mais 44 lives, com 26.614 visualizações e 2.167 curtidas. Um total de 17 ações/atividades virtuais ao vivo, com 75.745 visualizações.

Deixe uma resposta