Investidores brasileiros apostam em big techs americanas em julho

Os investidores brasileiros miraram nas grandes companhias de tecnologia ao longo de julho, é o que aponta o levantamento realizado pela fintech Stake, plataforma que conecta pessoas de diferentes países ao mercado de ações americano.  Segundo o ranking de ações mais negociadas do mês, as big techs que melhor performaram – com exceção da Amazon, que decepcionou o mercado – foram as mais negociadas, tais como Apple e Microsoft.  

Ainda segundo o levantamento, uma surpresa, infelizmente negativa, foi o grande volume de compras da DiDi, considerada por muitos a “Uber chinesa”. A empresa foi extremamente penalizada desde seu IPO no mês passado, devido ao crackdown regulatório imposto pelo governo chinês às companhias de tecnologia e educacionais do país.

O Analista de Investimentos e Editor de Conteúdos da Stake, Rodrigo Lima, ainda aponta uma segunda surpresa, o desaparecimento das ‘meme stocks’, que dominaram as carteiras dos investidores brasileiros no mês de junho. 

“Pudemos observar uma grande transição nas escolhas dos investidores que, ao longo do mês de julho, priorizaram as negociações apenas das ações da AMC e NewEgg. Essa mudança pode significar um arrefecimento desse movimento e um amadurecimento do investidor, que deixou de buscar valorizações súbitas em companhias problemáticas em prol do investimento em empresas saudáveis e com boa geração de caixa”, avalia o especialista.

Os ETFs mais negociados pelos brasileiros

Se entre as ações tiveram grandes mudanças, dentre os ETFs a situação foi bem diferente, com muitos fundos se mantendo na lista, mas com mudanças de posições. Na liderança está o QQQ, que replica o índice da Nasdaq, com grande presença de empresas de tecnologia, que performaram bem neste último mês. Similarmente, também é possível observar grandes volumes no ETF de inovação da Ark, o ARKK e no QYLD, que realiza o lançamento de opções cobertas sobre o índice da Nasdaq, e busca gerar um rendimento extra ao investidor que deseja se expor a esse índice.

Outra mudança interessante é o ganho de posições do VNQ, fundo de índice da Vanguard que investe em REITs, os fundos imobiliários americanos. É possível observar que o aumento de interesse por esse tipo de investimento seja explicado pelo debate de tributação sobre os rendimentos dos FIIs no Brasil com a nova reforma tributária, que pode perder a isenção de imposto de renda e, com isso, tornar mais atrativo o investimento no exterior.

“Analisando as mudanças de posições no ranking, notamos que uma tese que parece ter perdido força entre os investidores é a da alta da inflação nos Estados Unidos, pois vemos que o IAU, ETF que investe em ouro, perdeu posições, assim como o UVXY, que aposta de maneira alavancada no VIX, o índice do medo, que teve um grande pico em maio, quando os temores sobre a inflação abalaram os mercados. Vendo quedas significativas em commodities como madeira e minério de ferro, o mercado parece acreditar que a inflação é realmente um fenômeno transitório causado pela reabertura da economia, que distorce momentaneamente preços de setores específicos, interpretação que a julgar pelas movimentações de ETFs, aparentemente também é partilhada pelos investidores de varejo”, pondera Lima.

Confira abaixo a lista completa das dez ações e ETFs mais negociados por brasileiros na Stake em julho:

Ranking de Julho
 AçõesETFs
1º Apple (AAPL)Invesco QQQ Trust (QQQ)
Amazon (AMZN)S&P 500 Vanguard (VOO)
AMC Entertainment (AMC)REIT Vanguard (VNQ)
Tesla (TSLA)S&P 500 ETF Trust SPDR (SPY)
Alphabet (GOOGL)ARK Innovation (ARKK)
Walt Disney Company (DIS)Global X NASDAQ 100 Covered Call (QYLD)
Microsoft Corporation (MSFT)ETFMG Alternative Harvest (MJ)
NewEgg Commerce (NEGG)Gold Trust (ETF) iShares (IAU)
NVIDIA Corporation (NVDA)Global X SuperDividend REIT ETF (SRET)
10º DiDi Global (DIDI)ProShares Ultra VIX Short-Term Futures ETF (UVXY)

Deixe uma resposta