Redução do IPI aquece o segmento dos games para o fim de ano

Artigo de Alexandre Della Volpe Elias, diretor de Marketing do Grupo Rcell:

O Governo Federal anunciou recentemente a terceira redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para jogos eletrônicos e acessórios. A medida prevê um corte da alíquota sobre consoles e máquinas de jogos de vídeo de 30% para 20%. O decreto reduz ainda o imposto sobre máquinas de jogos de vídeo com tela incorporada, portáteis ou não, e suas partes, de 6% para 0%. E no caso de partes e acessórios dos consoles e das máquinas de jogos de vídeo, cujas imagens são reproduzidas numa tela, a alíquota passará de 22% para 12%.

É perceptível que o Governo, no momento que a economia está dando sinais de tentar uma recuperação, busca incentivar o consumo como forma de alavancar essa retomada. A expectativa é de que a estratégia adotada traga ainda maior aceleração para o segmento dos games em um período que, historicamente, já é mais aquecido em vendas para o setor.

Entre os dados que confirmam essa aceleração na segunda metade do ano, está o estudo realizado pela consultoria de GKF, que mostra que as vendas de consoles no Brasil nos dois primeiros meses de 2020, ainda sem os efeitos da crise econômica causada pela pandemia, foi de 60 mil unidades. Se compararmos com novembro e dezembro do mesmo ano, mas já sob os impactos da covid-19, o número cresce para 171 mil unidades comercializadas.

Muitas são as razões para que o segundo semestre seja uma época de maior concentração no número de vendas no segmento dos games, e sabendo disso, a equipe econômica do Palácio utilizou da redução do IPI para incentivar o consumo das famílias. O primeiro motivo para termos um segundo semestre mais pujante está no aumento de circulação de dinheiro no comércio com a injeção do pagamento do décimo terceiro, salário e bonificações para os trabalhadores.

Em segundo, podemos citar que os três últimos meses do ano contemplam três datas de suma importância para o comércio e com forte apelo de consumo: o Dia das Crianças; a Black Friday (que a cada ano ganha cada vez mais força e se torna mais atrativa aos consumidores) e, claro, o Natal. Não à toa, que o segmento dos games concentra também os principais lançamentos e novidades para este período.

E por último, mas não menos importante, é o período em que a indústria concentra os seus lançamentos, seja em consoles ou jogos, de olho no período de férias escolares, coletivas e as festas. Uma época em que as “obrigações” daquele ano foram cumpridas e é chegada a hora de se recompensar o todo o esforço empregado. A indústria, por sua vez, entendendo todos esses fatores de mercado concentram seus principais lançamentos e novidades para o fim de ano.

Com o aceno do Governo, estamos projetando um crescimento extra na demanda dos consumidores para a troca de geração de consoles. Acreditamos que teremos uma maior procura em relação aos consoles de última geração, como PS5, XBOX Series X e XBOX Series S, mas à medida que a redução do IPI afeta indiscriminadamente todos os aparelhos, vislumbramos que os equipamentos de geração anterior também terão suas vendas alavancadas. O movimento do consumidor será dar um ou dois passos à frente em relação a geração que ele já possui.  

Segundo dados Newzoo, empresa responsável pela análise sobre games e levantamentos referente ao setor, em 2021, o mercado de jogos no Brasil terá uma receita de US$ 2,3 bilhões (cerca de R$ 12 bilhões), o que representará um aumento de 5,1% na receita anual em comparação à 2020.  Ainda de acordo com o estudo, o Brasil é o maior em receitas de jogos da América Latina e o 12º do mundo.

Entendemos que há uma demanda reprimida em função da instabilidade econômica e de empregabilidade causada pela crise sanitária. Com um sentimento de retorno à normalidade e segurança trazido pela vacinação da população, a necessidade de retomada da economia e este incentivo dado pelo Governo, projetamos um fim de ano muito melhor que o de 2020.

Por outro lado, a desvalorização do real frente ao dólar ainda é um dos grandes entraves nessa equação de queda de preços, uma vez que a maior parte dos produtos é fabricada fora do País, e a importação frente a um dólar mais forte impede uma diminuição acentuada no valor final para o consumidor.

Porém, a medida mais aguardada em todos os segmentos da indústria e do comércio é a aprovação da Reforma Tributária, que atualmente está em discussão no Congresso Nacional. Um sistema mais racional, organizado e moderno de tributação tem poder suficiente para estimular a atividade econômica, a geração de emprego e assegurar a volta do crescimento do Brasil como um todo. A redução do IPI é uma grata surpresa para o segmento dos games, mas seguimos esperando por ainda mais medidas para o fomento de uma economia mais forte.

Deixe uma resposta