Notícias nacionais

Um ano após inauguração, hospital de Quixeramobim tem verba para abrir

Posted on Updated on

quixeramobimInaugurado há mais de um ano, o Hospital Regional do Sertão Central recebeu ontem sinalização de que enfim terá recursos para iniciar seu funcionamento. Em reunião com Camilo Santana (PT) em Brasília, o ministro Marcelo Castro (Saúde) garantiu custeio federal de 50% do hospital, que deve abrir as portas no 1º trimestre de 2016.

A unidade, conhecida como Hospital de Quixeramobim, seguia inativa desde 28 de dezembro de 2014, quando ocorreu “visita inaugural” do ex-governador Cid Gomes (PDT). A atual gestão vinha tentando garantir apoio federal na manutenção do hospital, que custará R$ 100 milhões por ano.

“Solicitei ao ministro a garantia dos recursos de 50% do custeio para colocarmos em funcionamento o hospital, algo que já estava acordado antes da troca no ministério. Agora, ele garantiu a liberação para o início do ano. A unidade é muito importante não só para o Sertão Central, mas para todo o nosso estado”, disse Camilo Santana.

Ao lado do secretário Mauro Filho (Fazenda), Camilo se reuniu com Castro e com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), 4% da obra do hospital ainda está em execução.

Nesta segunda-feira, quando a obra completou um ano de “inauguração”, concursados que esperam nomeação na unidade fizeram protesto pela abertura do hospital. Sem a unidade, população ainda precisa recorrer a Fortaleza – cidade a 206km – para procedimentos complexos.

Obra polêmica
Inatividade do hospital de Quixeramobim tem motivado uma série de embates na Assembleia e entre a bancada cearense na Câmara Federal. Segundo o deputado federal Danilo Forte (PSB), unidade não funciona por “má gestão”.

Unidade com investimento de R$ 87,7 milhões, o Hospital Regional do Sertão Central tem capacidade para atender mais de 400 pessoas por dia, de vinte cidades da região. Com perfil para realizar operações de alta complexidade, o Hospital possui nove salas de cirurgia, 209 leitos de internação geral e 60 leitos de UTI.

Inicialmente cotado para ser instalado em Quixadá – pela centralidade e maior tamanho do município -, o hospital acabou transferido para Quixeramobim em votação entre conselhos de saúde e prefeituras da região. Nos bastidores, no entanto, se comenta que a transferência ocorreu por influência política do deputado José Guimarães (PT), natural de Quixeramobim.
Saiba mais

O Hospital do Sertão Central é a 3ª unidade Regional do Estado. Ação da gestão Cid Gomes, a rede é elogiada por descentralizar investimentos de Saúde da Capital para o interior.

Aterro da Praia de Iracema ganha nova iluminação

Posted on

beira_mar6O prefeito Roberto Cláudio entregou, nesta segunda-feira (28/12), a nova iluminação do Aterro da Praia de Iracema, com um novo sistema mais eficiente. A implantação da nova iluminação no local irá beneficiar a população e os frequentadores, que utilizam o espaço diariamente para a convivência em família e práticas esportivas. Além disso, no
Aterro são realizados os maiores eventos ao ar livre da cidade.
Para o prefeito Roberto Cláudio, esta nova iluminação irá transformar todo o visual da Praia de Iracema. “Estamos dando agora uma nova iluminação completamente diferente e bem mais potente para um espaço que tem destinação turística, mas que também é a grande arena aberta para os grandes eventos da cidade de Fortaleza. Eu espero que com isso possamos garantir mais segurança e mais infraestrutura”, comentou o Prefeito.

Proporcionando alta eficiência e baixo consumo, os equipamentos em LED estão dotados com sistema de Telegestão, de forma a permitir o controle de seu funcionamento com atividade de dimerização remotamente. A Telegestão permitirá à Prefeitura de Fortaleza criar cenários e níveis de iluminamento de acordo com horários e usos específicos, dando mais eficiência à iluminação desse importante espaço. “Monitoraremos a iluminação por sistema online e de acordo com a utilização do espaço. Faremos este controle através de um tablet ou celular aumentando ou diminuindo a intensidade destes projetores que foram instalados”, explicou o coordenador espacial de iluminação pública de Fortaleza, Alfredo Serejo.

Com este projeto, o consumo de energia será reduzido e o nível de iluminância e uniformidade serão melhorados significantemente, com atendimento desde o calçadão até a faixa de maré seca, com média de 70 lux na área de eventos. Tudo isto com apenas uma linha de postes, o que dá maior liberdade de uso para a faixa de praia.

A atual gestão realizou o maior investimento com nova iluminação. “Em toda a cidade, estamos trocando luz amarela pela branca, fortalecendo a iluminação e colocando luzes em LED em algumas praças públicas da cidade. Posso garantir que, ao longo destes dois anos, fizemos o maior investimento já realizado tanto em troca de iluminação, como em troca da rede e inclusão de novas tecnologias em espaços públicos e em grandes corredores urbanos da cidade. Melhorar a iluminação acaba sendo uma contribuição da Prefeitura para uma questão que é um grande desafio para as grandes cidades, que é diminuir a violência urbana”, disse Roberto Cláudio.

 

Da Prefeitura de Fortaleza.

Aterro da Praia de Iracema ganha nova iluminação

Posted on Updated on

beira_mar6O prefeito Roberto Cláudio entregou, nesta segunda-feira (28/12), a nova iluminação do Aterro da Praia de Iracema, com um novo sistema mais eficiente. A implantação da nova iluminação no local irá beneficiar a população e os frequentadores, que utilizam o espaço diariamente para a convivência em família e práticas esportivas. Além disso, no
Aterro são realizados os maiores eventos ao ar livre da cidade.
Para o prefeito Roberto Cláudio, esta nova iluminação irá transformar todo o visual da Praia de Iracema. “Estamos dando agora uma nova iluminação completamente diferente e bem mais potente para um espaço que tem destinação turística, mas que também é a grande arena aberta para os grandes eventos da cidade de Fortaleza. Eu espero que com isso possamos garantir mais segurança e mais infraestrutura”, comentou o Prefeito.

Proporcionando alta eficiência e baixo consumo, os equipamentos em LED estão dotados com sistema de Telegestão, de forma a permitir o controle de seu funcionamento com atividade de dimerização remotamente. A Telegestão permitirá à Prefeitura de Fortaleza criar cenários e níveis de iluminamento de acordo com horários e usos específicos, dando mais eficiência à iluminação desse importante espaço. “Monitoraremos a iluminação por sistema online e de acordo com a utilização do espaço. Faremos este controle através de um tablet ou celular aumentando ou diminuindo a intensidade destes projetores que foram instalados”, explicou o coordenador espacial de iluminação pública de Fortaleza, Alfredo Serejo.

Com este projeto, o consumo de energia será reduzido e o nível de iluminância e uniformidade serão melhorados significantemente, com atendimento desde o calçadão até a faixa de maré seca, com média de 70 lux na área de eventos. Tudo isto com apenas uma linha de postes, o que dá maior liberdade de uso para a faixa de praia.

A atual gestão realizou o maior investimento com nova iluminação. “Em toda a cidade, estamos trocando luz amarela pela branca, fortalecendo a iluminação e colocando luzes em LED em algumas praças públicas da cidade. Posso garantir que, ao longo destes dois anos, fizemos o maior investimento já realizado tanto em troca de iluminação, como em troca da rede e inclusão de novas tecnologias em espaços públicos e em grandes corredores urbanos da cidade. Melhorar a iluminação acaba sendo uma contribuição da Prefeitura para uma questão que é um grande desafio para as grandes cidades, que é diminuir a violência urbana”, disse Roberto Cláudio.
 

 

 

Do Governo do Estado do Ceará.

Mercado prevê inflação de 6,86% e juros de 15,25% para 2016

Posted on

inflaçãoA projeção de instituições financeiras para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2016 passou de 6,87% para 6,86%, segundo Boletim Focus divulgado hoje (28) pelo Banco Central – BC.

A publicação semanal, feita a partir de consultas a instituições financeiras, também prevê que a taxa básica de juros (Selic) deve chegar ao fim de 2016 em 15,25%.

Para 2015, a projeção para a inflação passou de 10,70% para 10,72%. Esta foi a 15ª semana seguida de alta na previsão de inflação para este ano. Os cálculos de inflação estão acima do limite superior da meta, que é 6,5%. O centro da meta é 4,5%.

De acordo com a pesquisa do BC, a projeção para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) passou de 10,82% para 10,80% este ano, e de 6,11% para 6,14% para 2016.

Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a estimativa foi mantida em 10,72%, em 2015, e em 6,48% no próximo ano.

A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) mudou de 10,85% para 10,84% este ano e se manteve em 5,81% para 2016.

A projeção para a alta dos preços administrados foi mantida em 18%, este ano, e em 7,50%, em 2016.

A projeção para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país, se manteve em 3,70% este ano e, para 2016, a estimativa de queda foi alterada de 2,80% para 2,81%.

A taxa básica de juros, a Selic, é o principal instrumento usado pelo BC para controlar alta dos preços.  Ela é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

O Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, elevou a taxa por sete vezes consecutivas. Nas reuniões do comitê em setembro, outubro e novembro, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano.

Da Agência Brasil.

Hemoce recebe doações de sangue nos feriados de Natal e Ano Novo

Posted on

hemoceAs festas de final de ano e os feriados prolongados se aproximam e com eles a necessidade de reforçar o estoque de bolsas de sangue. Por isso, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), da rede pública do Governo do Estado do Ceará, estará de portas abertas durante as duas últimas semanas do ano, fechando somente nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro.

Nos dias 24, véspera do Natal, e 31 de janeiro, véspera de Réveillon, a sede do Hemoce, na Av. José Bastos 3390, e os regionais do interior do Estado, vão receber os doadores das 7h30 às 12h. Já o posto de coleta no IJF, não fecha nenhum dia e os doadores podem realizar o gesto de solidariedade das 13 às 17h30 nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, o posto funcionará no horário normal da semana.

A expectativa é de que até o fim deste mês, sejam realizadas pelo menos 1.200 doações de sangue para alcançar a meta de 108 mil bolsas coletadas no ano de 2015 em todo o Estado. ?A gente sabe que o povo cearense é solidário, se preocupa com o próximo e contando com a ajuda da população vamos atingir a meta?, explica Nágela Lima, coordenadora da captação de doadores do Hemoce.

Para facilitar o acesso da população às unidades de coleta, o Hemoce ampliou os locais de doação. Além da sede do Hemocentro coordenador, e o posto de coleta no IJF, foi montada uma estrutura de coleta de sangue na Praça do Ferreira, até o dia 30 de janeiro. As doações podem ser realizadas das 8 às 16h, de segunda a sexta-feira, e também aos sábados, das 8 ás 14h. Fora da capital cearense, o Hemoce funciona com atendimento nos hemocentros regionais nas cidades de Crato, Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá e Sobral.

O que é necessário para doar:
Para ser um doador de sangue é preciso: estar saudável, bem alimentado, ter mais de 50kg, ter entre 16 a 69 anos de idade e apresentar um documento oficial e original com foto. Atenção: os menores de 18 anos precisam apresentar o termo de consentimento para menores de 18 anos, disponível para download no site do Hemoce (www.hemoce.ce.gov.br). Em Fortaleza, além da sede que funciona na Av. José Bastos 3390, e do posto de coleta no IJF.

Inflação deve chegar a 10,8% este ano e a 6,2% em 2016

Posted on

inflaçãoPara 2016, a estimativa para o IPCA subiu de 5,3% para 6,2%. Em 2017, a inflação deve ficar em 4,8%, segundo previsão do BCAgência Brasil/Arquivo
A inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), este ano vai chegar a dois dígitos e passar longe do teto da meta de 6,5%. A projeção do Banco Central (BC) é que a inflação feche este ano em 10,8%. A estimativa divulgada em setembro era 9,5%. A última vez que a inflação ultrapassou dois dígitos foi em 2002, quando chegou a 12,53%.

A previsão consta no Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente pelo BC. Para 2016, a estimativa para o IPCA subiu de 5,3% para 6,2%. Em 2017, a inflação deve ficar em 4,8%.

Essas projeções são do cenário de referência, elaborado com base na taxa básica de juros, a Selic, no atual patamar (14,25% ao ano), e o dólar a R$ 3,90. O BC também divulga estimativas do cenário de mercado, em que são usadas projeções de analistas de instituições financeiras para a taxa Selic e câmbio. Neste caso, o IPCA também deve ficar em 10,8%, ante 9,5% previstos em setembro.

Para 2016, a estimativa de mercado foi ajustada de 5,4% para 6,3%. Em 2017, a inflação deve ficar em 4,9%.
O Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu como meta de inflação 4,5% para 2016 e 2017, sendo que o limite de tolerância é 2 pontos percentuais no ano que vem e 1,5 ponto em 2017.

Quando a meta é ultrapassada, o presidente do BC tem de enviar carta aberta ao ministro da Fazenda, com as explicações para o descumprimento. A última vez que isso aconteceu foi em 2003, quando a inflação atingiu 9,3%.

 

Da Agência Brasil.

Taxa de desemprego cai para 7,5% em novembro

Posted on

seguro_desempego-internetA taxa de desemprego ficou em 7,5% em novembro deste ano. O índice é inferior ao observado em outubro (7,9%), mas superior ao registrado em novembro do ano passado (4,8%). O percentual é o maior para meses de novembro desde 2008, quando chegou a 7,6%. O dado da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) foi divulgado hoje (17), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e leva em conta seis regiões metropolitanas do país: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

A população desocupada, de 1,8 milhão de pessoas, ficou estável em relação ao mês anterior, mas cresceu 53,8% na comparação com novembro de 2014. Já o número de pessoas ocupadas ficou em 22,5 milhões, estável em relação a outubro deste ano, mas 3,7% inferior ao total de novembro do ano passado.

O número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado (11,3 milhões) manteve-se estável na comparação com outubro e recuou 4,6% na comparação com novembro de 2014.

Rendimento

O rendimento médio real do trabalhador ficou em R$ 2.177,20 em novembro deste ano. O rendimento é 1,3% menor que o observado em outubro deste ano e 8,8% inferior ao registrado em novembro do ano passado.

A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados foi estimada em R$ 49,7 bilhões – queda de 0,9% em relação a outubro e um recuo de 12,2% na comparação com novembro do ano passado.

O rendimento médio dos trabalhadores com carteira assinada (R$ 2.019,60) cresceu 0,8% em relação a outubro deste ano, mas caiu 5,7% na comparação com novembro do ano passado. Já o rendimento dos sem carteira (R$ 1.507,20) recuou na comparação com outubro (-4,7%) e com novembro de 2014 (-13,3%).

Entre as atividades econômicas, na comparação com outubro, o rendimento só cresceu no setor de educação, saúde e administração pública (1,6%). Houve estabilidade nas atividades de comércio e serviços domésticos. Foram observadas quedas na indústria (-4,5%), na construção (-0,5%), nos serviços prestados à empresa (-2,2%) e outros serviços (-1,3%).

Na comparação com novembro de 2014, o rendimento caiu nas sete atividades pesquisadas pelo IBGE, com destaque para indústria (-12,5%), serviços prestados às empresas (-12,1%) e construção (-11,9%).

Confaz decide adiar implementação do Bloco K para 2017

Posted on

im
Alexandre Auler, CEO do Grupo Invoiceware.

Ficou para janeiro de 2017, o início da implementação do Bloco K – Livro Registro de Controle da Produção e do Estoque da Escrituração Fiscal Digital (EFD-ICMS/IPI), para as empresas com faturamento superior a R$ 300 milhões. Essa alteração foi decidida durante a reunião do Confaz – Conselho Nacional de Política Fazendária, realizada em 11/12/2015 em Maceió, Alagoas.

A decisão da Comissão Técnica Permanente (COTEPE) levou em consideração as dificuldades em acatar as novas regras por alguns setores. Antes dessa mudança de prazo, essas companhias teriam que cumprir essa obrigação acessória a partir de 01/01/2016.

O prazo a mais que os atacadistas e indústrias conseguiram para o envio do Bloco K à Receita deve ser utilizado com sabedoria. “É essencial que as empresas estejam atentas às informações geradas, por isso, é fundamental a revisão dos procedimentos internos. O foco nas atividades realizadas no dia a dia do controle dos estoques e da produção irá assegurar que as informações geradas estejam em conformidade com as exigências, o grau de detalhamento solicitado pela Receita. A utilização de uma ferramenta de gestão (ERP) agiliza a automatização, mas se houver erros nas informações registradas, a empresa corre risco de eventuais penalidades”, afirma Alexandre Auler, CEO do Grupo Invoiceware no Brasil.

No Bloco K, as empresas terão que especificar o volume de produtos fabricados por período; quantidade de matérias-primas ou insumos consumidos nas diversas fases do processo de produção. Também devem constar as informações sobre o movimento de estoques e de produção da empresa nas mãos de terceiros e vice-versa. O que significa que além de garantir a acuracidade das informações emitidas pela empresa, deve incluir o cuidado com os dados prestados por terceiros que interagem com a empresa.

“O envio do Bloco K, de forma correta, envolve o aprimoramento de várias áreas incluídas no processo industrial, como Engenharia, TI, Fiscal, além da preocupação com a quebra de sigilo industrial ao apresentar determinados dados, como fórmulas de fabricação de determinados produtos”, acrescenta Alexandre Auler, CEO do Grupo Invoiceware.

Quando estiver implementado, o Bloco K terá que ser enviado eletronicamente todo mês já que coincide com o momento de apuração do ICMS ou do IPI, pelos atacadistas e indústrias, o que abrange empresas de diferentes regimes tributários, como Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional.

Movimento do Comércio cai 2,0% em novembro

Posted on Updated on

comercioO Movimento do Comércio caiu 2,0% em novembro, na análise dos dados nacionais dessazonalizados do varejo apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). No acumulado do ano até novembro houve recuo de 2,6% frente ao mesmo período de 2014, na análise dos dados sem ajuste. Nos dados acumulados em 12 meses a queda é de 2,4% (dezembro de 2014 até novembro de 2015 contra os 12 meses antecedentes). Para a variação contra o mesmo mês do ano anterior houve queda de 3,7%.

Desde julho deste ano, o indicador entrou em território negativo e desde então vem acelerando esta tendência de queda. Fatores macroeconômicos como elevação de juros, piora do mercado de trabalho e inflação em patamar elevado continuarão afetando de forma intensa a confiança e o poder de compra do consumidor. 2015 deverá marcar a atividade varejista como um ano recorde na diminuição das vendas, efeito que provavelmente se estenderá também para 2016.

Setores

Dentre os principais setores, o de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou queda de 3,7% entre outubro e novembro, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, a variação acumulada em 12 meses foi de -3,5%.

A categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” caiu 6,0%, expurgados os efeitos sazonais. Já na comparação da série sazonal, nos dados acumulados em 12 meses houve recuo de 5,5%.

A atividade do setor de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” subiu 0,7% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste acumulada em 12 meses houve queda de 1,9%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou retração de 0,8% no mês – considerando dados dessazonalizados. Na série sem ajuste por sazonalidade, a tendência de longo prazo (dados acumulados em 12 meses) caiu 2,1%.

Agroamigo atinge marca de 1 milhão de clientes ativos

Posted on

No ano em que comemora dez anos de criação, o programa de microcrédito rural do Banco do Nordeste, Agroamigo, atingiu, em novembro, a marca de 1,077 milhão de agricultores familiares em carteira. O número cresceu 16,5% em relação ao mesmo período de 2014, quando 925 mil produtores rurais eram atendidos pelo programa. Em uma década, foram financiados R$ 7,4 bilhões.

Em 2015, o Agroamigo também comemora número recorde de operações contratadas: 410 mil, que somam valor total de R$ 1,68 bilhão, recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). No mesmo período, no ano passado, o programa havia contratado R$ 1,4 bilhão, distribuído em 376 mil operações.

“Esses resultados demonstram a solidez do programa, que nos últimos dez anos tem levado conhecimento financeiro e oportunidades a agricultores em toda a região de atuação do Banco”, avalia o superintendente de Microfinança e Agricultura Familiar do Banco do Nordeste, Stélio Gama Lyra Junior.

Microcrédito rural
Criado em 2005, o programa é operacionalizado em parceria com o Instituto Nordeste Cidadania (Inec) e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O objetivo é melhorar o perfil social e econômico dos agricultores familiares enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Com metodologia própria, o Agroamigo é adaptado às condições do meio rural e tem como principal característica o atendimento integral a partir da presença do agente de microcrédito nas comunidades rurais. Ainda que voltado a pessoas que vivem no campo, o programa incentiva o desenvolvimento de atividades produtivas agropecuárias e não agropecuárias.