Senai forma mão de obra com egressos do sistema penitenciário do Ceará

Posted on Updated on

Egressos do sistema penitenciário concluíram cursos promovidos pelo Serviço Nacional da Indústria no Ceará (Senai/CE) e pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado, nas atividades de eletricista instalador predial, instalador hidráulico e pedreiro de alvenaria. Nas três turmas, 52 egressos tiveram a oportunidade de fazer os cursos.

O diretor regional do Senai/CE, Paulo André Holanda (na foto), destacou a importância dessa parceria com a Sejus ao citar que esse tipo de programa pode reverter situações de vida e que por meio da educação e do trabalho é possível resgatar a cidadania dessas pessoas.

Também participaram da solenidade, o secretário executivo da Sejus, Pedro Britto, e a coordenadora de inclusão social do preso e do egresso da Sejus, Cristiane Gadelha, que falou da necessidade da qualificação para reingresso no mercado de trabalho. “Qualificar é uma maneira de mostrar que essas pessoas têm condições de voltar ao mercado”. Já o secretário executivo Pedro Britto relatou a intensão de ampliar essa parceria, por ser essa uma oportunidade de ressocialização.

Essa ação é fruto do programa “Reintegrar”, idealizado pelo Conselho de Responsabilidade Social da FIEC (CORES), que resultou na parceria entre SENAI e Sejus e tem como objetivo reinserir os egressos do sistema penitenciário no mercado de trabalho, ao fomentar o conhecimento e a qualificação desse público.

Operação Canaã desmonta sonho da “terra prometida” por seita para trabalhadores

Posted on

Trabalhadores em condição análoga à de escravo foram resgatados nesta terça-feira (6) em 15 municípios de Minas Gerais, São Paulo e Bahia. Em uma avaliação preliminar da Polícia Federal, haveria cerca de 900 pessoas trabalhando de forma irregular. Como a ação ainda está em andamento, o número deve sofrer alteração. Foi uma das maiores operações de resgate já realizadas no país nos últimos anos. Pelo menos 22 pessoas foram presas.

Batizada de Operação Canaã – A Colheita Final, a ação envolveu 58 auditores-fiscais do Ministério do Trabalho integrantes do Grupo Especial de Fiscalização Móvel e das superintendências dos três estados, mais 220 policiais federais. O grupo cumpriu 22 mandados de prisão preventiva, 17 de interdição de estabelecimento comercial e 42 de busca e apreensão.

O nome da Operação é uma referência bíblica à terra prometida, já que os trabalhadores teriam sido aliciados por dirigentes de uma seita religiosa conhecida como Comunidade Evangélica Jesus, a verdade que marca. Eles teriam sido abordados na sede da igreja na capital paulistana, onde teriam sido convencidos a doar os bens para as associações controladas pela organização e convencidos a mudar-se para uma comunidade, onde todos os bens móveis e imóveis seriam compartilhados.

Após serem induzidos, os fiéis doutrinados foram levados para zonas rurais e urbanas em Minas Gerais (Contagem, Caxambu, Betim, Andrelândia, Minduri, Madre de Deus, São Vicente de Minas, Pouso Alegre e Poços de Caldas), na Bahia (Ibotirama, Luiz Eduardo Magalhães, Wanderley e Barra) e em São Paulo (capital). Eles trabalhavam em lavouras e em estabelecimentos comerciais como oficinas mecânicas, postos de gasolina, pastelarias, confecções e restaurantes, todos comandados pelos líderes da seita.

Investigação

O chefe do Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho, Maurício Krepsky Fagundes, explica que a operação desta terça foi resultado de uma investigação conduzida pela Polícia Federal. Um dos itens que mais chamou à atenção dos policiais foi o crescimento do patrimônio pessoal dos líderes da seita e o aumento dos fiéis agregados nos últimos cinco anos.

“Desde 2013, tem sido feito um trabalho de inteligência para achar os locais onde os aliciados trabalhavam, as fraudes praticadas pela organização criminosa e, principalmente, a caracterização do crime de tráfico de pessoas”, destaca Maurício.

O chefe da equipe de fiscalização do Ministério espera que a operação contribua para o fim das operações da seita. As atividades comerciais de estabelecimentos pertencentes ao grupo já foram encerradas. E os auditores-fiscais do MTb seguem ouvindo todos os trabalhadores encontrados durante a operação para saber detalhes do que ocorria com cada um deles nas áreas onde foram encontradas as irregularidades.

Nos casos onde for confirmado o trabalho escravo, serão feitos os cálculos dos direitos trabalhistas, que deverão ser pagos pelas empresas criadas pela seita retroativamente desde a data em que os trabalhadores começaram a prestar os serviços. Os trabalhadores também serão encaminhados ao Programa de Seguro-Desemprego para Resgatados.

Histórico

A Operação Canaã teve origem em 2013, quando ocorreu o resgate de 348 trabalhadores na União Agropecuária Novo Horizonte S.A. e em empresas urbanas. O relatório dessa ação fiscal gerou uma ação penal do Ministério Público Federal (MPF), que determinou o retorno dos auditores-fiscais e dos agentes da PF aos locais investigados para averiguar a situação atual.

Na Polícia Federal, a investigação teve início quando a seita estava migrando de São Paulo para Minas Gerais. Em 2015, foi desencadeada sua segunda fase: “De volta para Canaã”, quando foram presos temporariamente cinco dos líderes da seita.

A deflagração desta terça-feira representa a terceira fase da operação, com a prisão preventiva de 22 líderes da seita que, segundo a Polícia Federal, poderão cumprir até 42 anos de prisão, se condenados. O líder da seita, conhecido como Pastor Cícero, está foragido.

Investimentos do Ceará crescem em áreas estratégicas

Posted on Updated on

Do Governo do Estado do Ceará:

Os investimentos do Governo do Ceará em áreas sociais sensíveis – saúde, educação, segurança pública, recursos hídricos e combate à pobreza, por exemplo -, tiveram crescimento em 2017. Mesmo diante do cenário de retração econômica que foi verificado em todo o País, o investimento estadual de R $ 2,17 bilhões, em 2016, para R $ 2,47 bilhões, sem ano passado.No mesmo intervalo, a despesa empenhada subiu de R $ 22,66 bilhões para 24,6 bilhões, configurando um gasto adicional de 5,8%.

Os números do desempenho do Estado foram apresentados, quarta-feira (31), em entrevista coletiva no Palácio da Abolição, por representantes do Comitê de Gestão por Resultados e Fiscal (Cogerf), que se reúne semanalmente e avaliador do governador Camilo Santana na tomada de testamento estratégica. Fazem parte do Cogerf o Gabinete do Governador, uma Casa Civil, como secretarias do Planejamento e Gestão e da Fazenda, além da Procuradoria Geral do Estado e Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado.

“Conseguimos um orçamento considerável de investimentos em relação à Receita corrente Líquida (RCL) e estáveis ​​entre os primeiros estados a reagir à estagnação econômica que afetou o País”, observou o secretário do Planejamento e Gestão, Maia Júnior, durante uma coletiva, que também reuniu os titulares da Secretaria da Fazenda, da Controladoria do Estado (CGE), da Procuradoria do Estado (PGE), da Casa Civil, além do diretor do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

“A tendência é que em 2017 o Ceará volte novamente a liderar nacionalmente os investimentos em relação à Receita Líquida. Além disso, evoluímos, ao longo do ano, três posições no ranking de competitividade e continuamos sendo avaliados como o estado de melhor solidez fiscal do Brasil”, afirma o secretário da Fazenda, Mauro Filho. Ele destacou também o crescimento do investimento entre 2016 e 2017 em áreas sociais, a exemplo da educação e da saúde que continuam acima do mínimo determinado em lei – gastos, respectivamente, de 27,88% e 14,65%.

O diretor do Ipece, Flávio Ataliba, ressalta que o investimento do Ceará tem crescido mesmo num ambiente de crise que afeta a maioria dos estados brasileiros. “Nossa economia já está em fase de recuperação, mas ainda não voltou aos patamares de 2012. Por isso o desempenho fiscal, os ganhos de produtividade e a capacidade de investimentos e de reação que o Ceará mantém vem despertando a atenção de muitos analistas econômicos”, explicou. E completou: “Isso está relacionado à capacidade do poder público de investir, honrar compromisso e, assim, atrair novos negócios”.

O procurador Geral do Estado, Juvêncio Vasconcelos, destacou o empenho do Governo em resolver pendências judiciais ou extrajudiciais por meio do diálogo e da conciliação. “Temos orientação de buscar sempre a via da negociação e isso tem representado avanços – tanto em relação a eventuais dívidas que o Governo tenha (precatórios) como em créditos tributários a receber. E isso tem proporcionado considerável economia para os cofres estaduais. Também damos grande atenção à prevenção de possíveis riscos para evitar prejuízos ao poder público”.

Desemprego, corrupção e saúde são os principais problemas do país, dizem os brasileiros

Posted on

As crises econômica e ética mudaram a percepção dos brasileiros sobre os principais problemas e as prioridades na ação do governo federal. Na avaliação da população, o desemprego, a corrupção e a saúde foram os principais problemas enfrentados em 2017. Para este ano, as prioridades são a melhoria dos serviços de saúde, o aumento do salário mínimo e o controle da inflação, informa a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Problemas e Prioridades, divulgada nesta terça-feira, 6 de fevereiro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

“Os reflexos da crise econômica se fazem sentir nas respostas da população. O desemprego aparece como maior problema pelo segundo ano consecutivo, e as medidas de recuperação de poder de compra ganham espaço entre as principais prioridades para 2018. A população aspira recuperar o poder de compra que tinha antes da crise, o que deve ocorrer apenas com a queda do desemprego e o crescimento sustentado da economia”, afirma o gerente-executivo de Pesquisas e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca.

De acordo com o levantamento, o desemprego, com 56% das citações, ficou em primeiro lugar na lista de principais problemas. Em segundo lugar, com 55% das assinalações, apareceu a corrupção e, em terceiro, com 47% das menções, a saúde. Em quarto lugar, com 38% das respostas, a população apontou a segurança pública.

A pesquisa chama atenção para o aumento da preocupação dos brasileiros com a corrupção. Em 2016, a corrupção ocupava o terceiro lugar da lista de principais problemas, com 40% das citações. Em 2017, recebeu 55% das menções e passou para o segundo lugar, passando à frente da saúde e se aproximando do primeiro lugar em citações. “O segundo problema com maior ganho de citações foi o custo de vida, fator que passou de 7% de citações para 13% em 2017”, observa a CNI. Com isso, o custo de vida passou do 10º lugar em 2016 para o quinto lugar em 2017.

SAÚDE É PRIORIDADE NÚMERO UM – A preocupação com o custo de vida e a perda do poder de compra também mudou as prioridades apontadas pela população para 2018. A melhoria dos serviços de saúde, com 37% das respostas, permanece em primeiro lugar desde 2014. Mas o aumento do salário mínimo, com 33% das citações, subiu do quarto lugar em 2017 para o segundo lugar em 2018. Em terceiro lugar, com 32% das menções, aparece o controle da inflação. Em quarto lugar aparecem, empatadas, a geração de empregos e a redução dos impostos, ambas com 30% das respostas.

“O destaque dado a essas medidas reflete a alta taxa de desemprego, a percepção de perda de poder de compra da população nos últimos anos e a preocupação em recuperar a capacidade de consumo”, avalia a CNI. Em 2014, o controle da inflação ocupava o nono lugar na lista de prioridades da população. A redução dos impostos estava na oitava posição e, a geração de empregos, em sétimo lugar.

A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Problemas e Prioridades ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre 7 e 10 de dezembro de 2017.

Governo e UFC lançam livro com a experiência do Ceará no enfrentamento ao Zika Vírus

Posted on

A primeira-dama do Ceará, Onélia Santana, lança nesta quarta-feira (7), às 17 horas, na Galeria do Palácio da Abolição, o livro “A experiência do Estado do Ceará no enfrentamento à síndrome congênita do Zika Vírus”. A iniciativa é do Governo do Ceará, através do Programa Mais Infância Ceará, em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado e o Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce (Nutep) da Universidade Federal do Ceará (UFC).

A publicação conta sobre a implantação dos Núcleos de Estimulação Precoce (NEP) em 19 policlínicas do Ceará, proporcionando a descentralização do atendimento das crianças com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, ação pioneira no Brasil. Atualmente, este serviço do Estado atende 713 crianças, sendo 120 com microcefalia. Equipes multiprofissionais, compostas por fonoaudiólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, psicólogo, assistente social e enfermeiro, foram capacitadas e acompanhadas pelo Nutep para o atendimento das crianças e suas famílias.

A iniciativa da implantação dos Núcleos de Estimulação Precoce nas 19 policlínicas do Estado faz parte do Programa Mais Infância Ceará dentro do pilar Tempo de Crescer, que consiste na construção de uma rede de fortalecimento de vínculos familiares e comunitários através de serviços e formações que contemplem profissionais, pais e cuidadores.

Experiência exitosa

A ação é modelo para o Brasil e para mundo. Representantes do Unicef visitaram o Estado para conhecer a iniciativa e replicar em países da África. Técnicos da Secretaria da Saúde do Estado apresentaram a experiência do atendimento multiprofissional e descentralizado no estado no Ministério da Saúde, que considera exemplo para o país.

Serviço

Lançamento do livro “A experiência do Estado do Ceará no enfrentamento à síndrome congênita do Zika Vírus

Data: 07/02/2018
Horário: 17 horas
Local: Galeria do Palácio da Abolição – Av. Barão de Studart, 500 – Meireles

Fiec premia desempenho em favor do ambiente

Posted on Updated on

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) lança hoje a 14ª edição do Prêmio Fiec por Desempenho Ambiental.

A apresentação será na reunião da Diretoria Plena da entidade, na Casa da Indústria, em Fortaleza. A premiação visa a agraciar empresas industriais, filiadas aos sindicatos que integram o Sistema Fiec, com destaque na conservação ambiental e e que tenham implementado atividades que para a melhoria da qualidade do ambiente. Podem participar indústrias, classificadas em (a) micro e pequenas empresas, (b) médias empresas e (c) grandes empresas.

Os projetos inscritos contemplarão as modalidades de Produção Mais Limpa; Reúso de Água; Educação Ambiental e Integração com a Sociedade.

Informações neste link.

Caucaia (CE) abrirá projeto de desfavelização

Posted on Updated on

A Prefeitura Municipal de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE), e a instituição Embaixada Cristã da Coreia do Sul no Brasil, vinculada à Igreja Batista, estão analisando a viabilidade da implantação de mudanças nas estratégias de desenvolvimento social da cidade.

Caucaia deve iniciar a execução de um programa de desfavelização e erradicação de pobreza promovido pela Embaixada.

A iniciativa de desfavelização se baseia em experiências bem-sucedidas na Coreia do Sul, País com a 12ª posição entre as maiores economias do planeta.

Cinquenta anos atrás, a Coreia do Sul iniciou um processo de crescimento, deixando a condição da pobreza pela do desenvolvimento.

Missão do Bird avalia Programa Fortaleza Cidade Sustentável

Posted on Updated on

A Prefeitura de Fortaleza recebe até a próxima sexta-feira especialistas do Banco Mundial (Bird), em missão especial de apoio à execução do Programa Fortaleza Cidade Sustentável (FCS). Os objetivos são os de examinar o andamento dos projetos que compõem o Programa, traçar novas estratégias, revisar e debater o Plano de Ação para a implementação dos instrumentos de salvaguardas sociais e ambientais do projeto. O foco é a meta de conclusão dos termos de referência, observando as especificações técnicas e editais de atividades prioritárias.

A agenda inclui atividades como a apresentação técnica do status atual do FCS, cronograma de trabalho e agenda com o prefeito Roberto Cláudio (PDT) para avaliar o trâmite do convênio no Governo Federal e a possível data de assinatura do empréstimo.

Fortaleza terá, pela primeira vez, um grande pacote de ações especialmente direcionadas para o ambiente natural e o ambiente construído. Por meio da aprovação de um empréstimo inédito junto ao Banco Mundial (Bird), que totaliza US$ 146,6 milhões, a gestão municipal pretende implementar o Programa Fortaleza Cidade Sustentável, em uma série de iniciativas que devem significar avanços importantes para a Capital. Com o financiamento do Banco Mundial, a contrapartida será de responsabilidade da administração de Fortaleza.

Desembolsos do BNDES diminuem 20%

Posted on Updated on

Da Agência Brasil, com texto de Bruno Bochini:

O volume de recursos desembolsados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2017 foi de R$ 70,751 bilhões, o que representou uma queda de 20% em comparação ao montante desembolsado no ano anterior. Os dados (…) mostram que o setor da indústria obteve em desembolsos R$ 15 bilhões em 2017, uma queda de 50% em relação ao ano anterior.

“São números muito fortes e que refletem o nível agudo da recessão que nós sofremos. Nós tivemos uma doença grave na nossa macro economia, na economia do país e já estamos convalescendo, mas não devemos abusar, no sentido que os últimos números do nosso exame médico ainda apontam números vermelhos”, disse o presidente do BNDES, Paulo Rebello de Castro.

Além da indústria, o setor de comércio e serviços teve queda de 21% nos desembolsos do banco. Agropecuária teve aumento de 3% e infraestrutura, de 4%.

Sobre a distribuição geográfica dos desembolsos, a única região que obteve aumento foi o Nordeste, com alta de 24%. No entanto, as regiões Norte, Sudeste, Sul e Centro-Oeste sofreram quedas de 16%, 33%, 21%, e 18% respectivamente. “Nós não estamos como um balão apagado, nós só voltamos a patamares de períodos históricos mais difíceis, mas vamos sair dele”, disse o presidente do BNDES.

A íntegra está aqui.

Copom define taxa Selic

Posted on Updated on

Da Agência Brasil, trecho de matéria da repórter Mariana Tokarnia:

O mercado financeiro mantém a estimativa de 6,75% para a taxa básica de juros da economia, a Selic. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que define a taxa, será amanhã (6) e quarta-feira (7), em Brasília.

No ano passado, a Selic atingiu a mínima histórica de 7% (valor atual) e houve sinalização de redução para este ano. A projeção consta do boletim Focus, publicação divulgada nesta segunda-feira (5) no site do Banco Central (BC) com estimativa para os principais indicadores econômicos.

O mercado melhorou as estimativas para este ano. A projeção do crescimento do Produto Interno Bruto – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país – passou de 2,66% para 2,70%. Na sexta-feira (2), o Ministério do Planejamento atualizou a projeção do governo de 2,5% para 3%.

Já a projeção para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve uma leve queda de 3,95% para 3,94% este ano, em relação à estimativa da semana passada.

Para 2019, as projeções foram mantidas: crescimento do PIB em 3% e o IPCA em 4,25%.