Pesquisa #Datafolha revela perfil e hábitos do jogador brasileiro

Posted on Updated on

Uma pesquisa inédita encomendada pela Brasil Game Show (BGS), a maior feira de games da América Latina, para o Instituto Datafolha revela o perfil e os hábitos dos gamers brasileiros. Os resultados mostram, por exemplo, que 44% dos entrevistados jogam todos os dias da semana e 93% consomem vídeos sobre games na internet mensalmente.

Entre as plataformas preferidas dos jogadores, os consoles são utilizados por 73% dos entrevistados, enquanto os computadores aparecem logo depois, com 67%, seguidos dos celulares e tablets, com 56%. Um quarto (25%) dos entrevistados pelo Datafolha ainda disseram usar todas as plataformas para jogar. Em relação ao tempo investido em games, a média semanal é de três horas durante a semana e de cinco aos sábados e domingos.

O estudo também revelou que os jogos lideram a lista de itens mais consumidos, com 35%, seguidos por peças de vestuário (24%) e periféricos (mouses, teclados e headsets), com 19%.  Além disso, nove em cada dez gamers ouvidos afirmaram que pretendem adquirir algum produto gamer nos próximos doze meses. No topo da lista de desejos aparecem: consoles (26%), cadeiras gamers (23%), headsets (22%) teclados/mouses (21%), smartphones (21%) e placas de vídeo (21%).

“Com 75 milhões de jogadores e um faturamento em torno de US$ 1,5 bilhão, os números da indústria de games no Brasil já impressionam, e sabemos que ainda há muito potencial para crescer. Por isso, uma pesquisa como essa, feita com quem gosta e consome jogos, é extremamente relevante, tanto para empresas do setor avaliarem suas estratégias e conduzirem seus negócios, como para outros segmentos da economia, que podem, a partir desses dados, dirigirem seus investimentos mais assertivamente”, analisou Marcelo Tavares, criador e CEO da BGS. “Esse crescimento se deve à paixão dos fãs, que não só desejam o game ou plataforma mais atual, mas movimentam o setor consumindo produtos que vão melhorar sua experiência no jogo e também fora dele. Os gamers estão construindo um lifestyle próprio e querem ser vistos como pertencentes a uma comunidade”.

“O mercado de games é extremamente promissor e nos últimos anos tem tido um rápido amadurecimento, motivado por consumidores que seguem jogando durante a vida adulta e pela constante inovação da indústria, que atrai cada vez mais investimentos, patrocínios e visibilidade”, analisa Paulo Alves, gerente de pesquisa de mercado do Datafolha.

Em relação ao perfil dos jogadores, a pesquisa mostra que a média de idade é de 21 anos e a renda familiar de R$7.313,60, o que corresponde a 7,7 salários mínimos. Além disso, 55% possuem grau de escolaridade médio.

O levantamento foi realizado durante a 11ª edição da Brasil Game Show, entre 11 e 14 de outubro de 2018, e ouviu 637 visitantes do evento. Em 2019, a BGS será realizada entre 9 e 13 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Assembleia do Ceará e TCE firmam convênio para exibição de programa de TV

Posted on Updated on

AL e TCE assinam convênio para exibição de programa de TV

A Assembleia Legislativa do Ceará, a TV Assembleia e o Tribunal de Contas do Estado firmaram convênio para a exibição do programa Acontece TV, produzido pelo TCE. O programa estreia na programação da TV Assembleia no dia 29 de maio.

A assinatura do convênio de cooperação técnica foi realizada pelo presidente da AL, deputado José Sarto (PDT); o diretor da TV Assembleia, Renato Borges, e o presidente do TCE, Edilberto Pontes, em reunião na Presidência da Casa que contou com a presença de diversos parlamentares.

O presidente da AL destacou que o convênio para exibição do programa condiz com a filosofia da TV Assembleia de publicizar conteúdo de qualidade, especialmente de um órgão de controle externo importante para todos os gestores do Ceará, como o Tribunal de Contas do Estado. “Acho que é importante até porque desmistifica alguns temas e dá mais transparência a todas as ações”, indicou o deputado.

O presidente do TCE, Edilberto Pontes, afirmou que o Tribunal “é muito grato à Assembleia por permitir esse espaço, porque o TCE faz uma série de ações que têm uma repercussão grande na vida das pessoas, como julgamento de contas, fiscalizações, então interessa aos cidadãos cearenses”.

Segundo ele, o programa Acontece TV é uma oportunidade de expor o trabalho do Tribunal de Contas e fortalecer a interação com o cidadão. O programa será exibido semanalmente às quartas-feiras, às 20h20, com reprise às segundas-feiras, às 17h15.

Com 15 minutos de duração, o Acontece TV apresentará matérias, entrevistas e quadros de serviços de forma a aproximar o TCE dos cidadãos e incentivar o controle social, ressaltou a coordenadora de comunicação do Tribunal, Kelly de Castro, que apresenta o programa. O Acontece TV conta com direção de Gabriella Nunes.

Estiveram presentes durante a assinatura do convênio os deputados Júlio César Filho (Cidadania), Evandro Leitão (PDT), Dra. Silvana (PR), Heitor Férrer (SD), Renato Roseno (Psol), Romeu Aldigueri (PDT), Nelinho (PSDB), Fernanda Pessoa (PSDB), Sérgio Aguiar (PDT), Leonardo Pinheiro (PP) e Leonardo Araújo (MDB).

Banco do Nordeste oferece linhas do FNE para empresários do comércio

Posted on Updated on

Facilitar o acesso de empresários do setor de comércio e serviços ao crédito de curto e de longo prazos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), bem como a outros produtos bancários. Estes são os principais objetivos do acordo de cooperação firmado entre Banco do Nordeste e Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) nesta quinta-feira, 16.5, no Centro de Eventos do Ceará.

O termo foi assinado durante a abertura do 35º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNSE) pelos presidentes do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, e da CNC, José Roberto Tadros, e ainda pelo vice-presidente administrativo da Confederação, Luiz Gastão Bittencourt. Também participaram representantes de sete federações estaduais do comércio da região Nordeste.

Pelo acordo, competem às instituições promoverem conjuntamente reuniões nos Estados da área de atuação do BNB para divulgar os termos da parceria e realizarem pesquisas relacionadas a comércio, turismo e serviços.

Somente em 2018, o Banco do Nordeste aplicou R$ 5,8 bilhões em operações voltadas para o setor, a maior parte delas no âmbito das linhas do FNE para mini e microgeração de energia elétrica, fomento à inovação e capital de giro, além do Cartão BNB. Há crédito para  implantação e expansão de empresas; franquias; aquisição de máquinas, equipamentos e veículos; e aquisição de mercadorias, estoques e matérias-primas, entre outros itens.

O evento conta também com palestra do superintendente de Negócios de Varejo e Agronegócio do Banco do Nordeste, Luiz Sérgio Farias Machado, às 12h desta sexta-feira, 17. Ele apresenta produtos e serviços da instituição voltados para o setor. Além disso, gerentes de negócios do BNB estão atendendo empresários no estande da instituição.

Otimismo da indústria de alimentos aquece interesse em feira de negócios

Posted on Updated on

A perspectiva de crescimento da indústria de alimentos e bebidas está fazendo com que as empresas fornecedoras de soluções para a cadeia produtiva invistam cada vez mais na participação em feiras de negócios. Este movimento foi constatado pela organização da Fispal Tecnologia, que já registra o aumento de 60% na procura por espaços na comparação com o mesmo período do ano passado.

Realizada pela Informa Exhibitions, a feira, que chega à sua 35ª edição neste ano, é o maior encontro para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina e ocorre entre os dias 25 e 28 de junho, no São Paulo Expo.

Segundo dados divulgados nesta semana pela ABIA, a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, a expectativa é que o volume de produção das indústrias de alimentos cresça de 2,5% a 3% em 2019 e o de vendas de 3% a 4%.

“Já percebemos  otimismo mais acentuado entre os representantes da indústria, muito por conta do aumento do índice de confiança que ocorre por causa da expectativa da retomada da economia”,  comenta Clélia Iwaki, diretora da feira.

Outro motivo para que haja mais interesse dos expositores é a busca constante em inovação para atender aos anseios do mercado. Ainda de acordo com dados da 
ABIA, atualmente a indústria destina 3% da receita anual em pesquisa e desenvolvimento.

  “Vale destacar que o interesse do consumidor por produtos saudáveis e nutritivos estão criando novos desafios para essa indústria, que deve estar em constante atualização. Na Fispal Tecnologia, os profissionais do setor irão encontrar a principal vitrine de soluções para a industrialização dos alimentos e bebidas, além de outras experiências, como a Opção Vegana que ajuda no desenvolvimento de produtos sem proteína animal”, explica Clélia Iwaki.

Conteúdo Técnico

Assim como a Opção Vegana, a feira oferece outras opções em sua grade de programação que foram desenvolvidas para contribuir com a evolução da indústria de alimentos. Grande novidade dessa edição, a Arena Fispal Tec é uma plataforma de conteúdo que pode receber mais de 600 pessoas em painéis, palestras e debates. Já fazem parte da programação o Fórum Fispal Tecnologia, o TecnoDrink, o Fórum de Embalagens, o Fórum de Marketing Digital, e outros eventos apresentados por entidades e associações parceiras.

Sucesso em 2018, a Arena da Cerveja Artesanal, projeto desenvolvido em parceria com o Instituto da Cerveja Brasil, oferecerá consultoria gratuita, palestras e a degustação de cervejas para os visitantes. A organização promoverá visitas técnica a fábricas da Wessel, Grupo Petrópolis e a Microcervejaria do Instituto da Cerveja Brasil. O Lounge ABRE de Embalagens, realizado em conjunto com a Associação Brasileira da Embalagem (ABRE), volta com os talk shows e outras atrações para esse segmento.

A parceria com o Instituto de Tecnologia SENAI ficou ainda maior, englobando o Lab de Soluções, o Lounge da Inovação, além da “Escola Móvel Indústria 4.0 – A Evolução da Automação”, um demonstrador de uma linha de produção de bebidas que tem o objetivo de capacitar novos profissionais e contribuir para a atualização do parque industrial brasileiro.

O credenciamento para a feira já está aberto e é exclusivo para profissionais da indústria de alimentos e bebidas. Para realizar o cadastro, basta clicar na aba Inscreva-se no site oficial da Fispal Tecnologia.

A plataforma é simples, intuitiva e oferece a opção de inscrição via login social do Facebook e Linkedin. Para retirar a credencial, o participante deverá informar o número do CPF nos totens de autoatendimento na entrada do pavilhão.

Sobre a Fispal

A marca Fispal, que começou como um encontro de engenheiros chamado Feira de Insumos para Alimentos, no Palácio de Convenções do Anhembi, hoje representa o maior encontro do setor na América Latina. Em 2001, com o objetivo de atender a indústria de alimentos e bebidas e o setor de alimentação fora do lar, a Fispal se segmentou em duas feiras: Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para as indústrias de alimentos e Bebidas e a Fispal Food Service: Feira internacional de produtos e serviços para alimentação fora do lar. A marca ainda agregou a Fispal Sorvetes – Feira de Tecnologia para a Indústria de Sorveteria Profissional e a Fispal Café: Feira de negócios par ao setor Cafeeiro.

As feiras, que hoje acompanham as mudanças e a evolução do mercado no Brasil e no mundo, são marcadas pelo lançamento de novas tecnologias, produtos, profissionalização de mão de obra e pela expansão para novos mercados. Atualmente, a marca Fispal é composta de feiras que atendem toda a cadeia de alimentos e bebidas, desde a matéria-prima, passando por máquinas, equipamentos e processos, chegando até o setor de alimentação fora do lar.

Plataforma gratuita oferece mais de 70 cursos online

Posted on Updated on

Um estudo da consultoria PwC mostra que a economia compartilhada deverá movimentar mundialmente US$ 335 bilhões em 2025 – o número é 20 vezes maior do que o obtido em 2014, quando o segmento foi responsável por US$ 15 bilhões. Parte desse valor estará nas grandes empresas de economia colaborativa, como o Airbnb e a 99, mas também em novos negócios, caso da curitibana Kultivi (www.kultivi.com), uma plataforma de ensino gratuita, que conta com mais de 70 cursos em diferentes áreas, como idiomas, empreendedorismo, medicina e voltados ao Enem e à OAB – ao todo, soma mais de 4 mil aulas distintas.

“Após 8 anos no mercado de edição de material didático e cursos preparatórios para concursos, observamos que o modelo de negócios predominante – com os usuários pagando pelos cursos – estava perdendo fôlego. Desse insight, surgiu a ideia de buscar um novo modelo, no qual os usuários contassem com conteúdo de primeira, mas sem a necessidade de pagamento”, afirma Cláudio Matos, um dos sócios da Kultivi, ao lado dos empresários Ricardo Pydd, Emir Conceição e Carlos Siaudzionis.

A Kultivi estima que cerca de 800 mil brasileiros já tiveram conhecimento de seus serviços e aproximadamente 32,5%, o equivalente a 260 mil, efetuaram o cadastro no site. Atualmente, a empresa conta com mais de 140 mil inscritos no canal de Youtube – com avaliações positivas em 98,3%. Por dia, são em média 40 mil usuários acompanhando as diferentes aulas.

“Na plataforma, a maioria dos usuários busca cursos de idiomas, especialmente o inglês”, diz Matos. Uma pesquisa da Catho apontou que somente 5% dos brasileiros falam um segundo idioma, sendo que menos de 3% – o equivalente a 1,5 milhão de pessoas – têm proficiência na língua. Com o domínio de um segundo idioma, o aumento do salário pode chegar a 52%, segundo o levantamento da companhia.

Até o mês de abril, a Kultivi contava com 80 mil alunos no curso de inglês – que oferece 230 aulas e materiais de apoio –, além de 21 mil em espanhol, 18 mil em francês e 7 mil em italiano. “Um curso de inglês como o nosso, se vendido, não sairia por menos de R$ 10 mil. Na Kultivi, com a democratização do ensino, esperamos formar milhões de novos poliglotas”, diz Matos.

Outro perfil que busca o conteúdo é o de estudantes interessados em realizar provas de exames, como o Enem ou a OAB. “Logo em seguida, aparecem os alunos buscando conteúdo para o Enem. No YouTube, a maioria dos usuários é de estudantes universitários, especialmente de Direito, que buscam as aulas em época de provas e exames para revisar os assuntos”, relata Matos.

Como é possível gerar conteúdo de forma gratuita para os estudantes?

A lógica de funcionamento é simples. A plataforma é mantida pela venda de espaços publicitários para marcas parceiras que acreditam no projeto, além da captação de recursos na iniciativa privada. “São empresas que querem desenvolver educação de qualidade no Brasil e atrelar sua marca a esse projeto”, explica o sócio da Kultivi.

Outra forma de manutenção do projeto está no apoio prestado por Pessoas Físicas e Jurídicas. Por meio da iniciativa chamada de “Apoia.se”, é possível que qualquer um contribua com o projeto. Mais da metade dos recursos doados – 56% – é destinado aos profissionais, que são remunerados de acordo com o valor de mercado.

Entre os professores, encontram-se aqueles com experiência em instituições de ensino públicas e privadas, com titulações elevadas, como mestres e doutores, assim como jovens educadores com uma didática mais dinâmica, especialmente para os cursos preparatórios para os exames.

Empreendedorismo

Uma das novidades recentes da plataforma são as formações específicas para a área de negócios, especialmente o empreendedorismo. A criação e a sobrevivência de novos negócios podem contribuir para que a economia dê o salto de crescimento esperado para os próximos anos. “Se as pessoas tiverem um mínimo de conhecimento técnico para gerir seus empreendimentos, a vida de todos tende a melhorar muito nos próximos anos”, projeta Cláudio Matos.

De 2007 a 2017, o número de empreendedores no Brasil cresceu 237%: saltando de 14,6 milhões para 49,3 milhões de pessoas trabalhando por conta própria, conforme o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que conta com a participação do Sebrae.

Para mais informações, acesse o site www.kultivi.com.

Feira do Conhecimento no Ceará integra ciência, tecnologia, inovação e negócios

Posted on Updated on

A Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará e o Instituto Centec lançam hoje (16 de maio), a terceira edição da Feira do Conhecimento: Ciência, Tecnologia, Inovação e Negócios. A solenidade de lançamento acontecerá no Museu da Fotografia (Rua Frederico Borges, 545 – Varjota), a partir das 17h30.

O lançamento reunirá a comunidade de CT&I do Ceará e, na oportunidade, serão apresentadas a programação preliminar da FdC3, a logomarca, a planta de stands e o tema da edição 2019, prevista para acontecer de 16 a 19 de outubro, no Centro de Eventos do Ceará. A ideia é ultrapassar os 200 expositores e receber mais de 15 mil pessoas, entre estudantes, professores, pesquisadores, jovens empreendedores, empresários, profissionais da área de tecnologia, gestores e comunidade em geral.

Com programação totalmente gratuita, a terceira edição da Feira do Conhecimento reunirá atrações em diversas áreas da CT&I, robótica, jogos digitais, inovações científicas, seminários, corrida de drones, hackathon, rodadas de negócios, apresentações culturais e muito mais.

Sobre a FdC

A Feira do Conhecimento – Ciência, Tecnologia, Inovação e Negócios é uma iniciativa inédita do Governo do Ceará/Secitece para a popularização da Ciência. Realizada anualmente, a feira reúne academia, empresas, governo e comunidade mostrando o conhecimento produzido no Estado, apresentando o Ceará como indutor e catalisador da transferência de ciência e tecnologia.

Em sua primeira edição, em 2017, foram 10 mil visitantes e mais de 90 expositores. A segunda edição, em 2018, levou 15 mil visitantes para o Centro de Eventos do Ceará e reuniu mais de 200 expositores, com 35 oficinas e 60 palestras sobre diversas temáticas, de acordo com o público e área de interesse, totalizando 260 horas de programação gratuita. A edição deste ano promete superar os números tanto em relação às atrações quanto ao de visitantes.

Terceira edição da Feira do Conhecimento será aberta hoje em Fortaleza (16/5)

Posted on Updated on

A Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e o Instituto Centec, do Governo do Ceará, lançam nesta quinta-feira (16/5) a terceira edição da Feira do Conhecimento: Ciência, Tecnologia, Inovação e Negócios. A solenidade de lançamento da FdC3 acontecerá no Museu da Fotografia (Rua Frederico Borges, 545 – Varjota), a partir das 17h30min.

No evento serão apresentadas a programação preliminar da FdC3, a logomarca, a planta de stands e o tema da edição 2019, prevista para acontecer de 16 a 19 de outubro, no Centro de Eventos do Ceará. A ideia é receber na feira mais de 15 mil pessoas, entre estudantes, professores, pesquisadores, jovens empreendedores, empresários, profissionais da área de tecnologia, gestores e comunidade em geral.

ProgramaçãoCom programação totalmente gratuita, a terceira edição da Feira do Conhecimento reunirá atrações em diversas áreas da CT&I, robótica, jogos digitais, inovações científicas, seminários, corrida de drones, hackathon, rodadas de negócios, apresentações culturais e muito mais. 

Também já estão confirmados os seguintes nomes na programação: Bráulio Bessa, poeta e cordelista, com a palestra “A arte de empreender”; Silvio Meira, cientista, professor e empreendedor, que falará sobre “Gente Digital: os líderes do futuro”; Camila Farani, investidora e um dos “tubarões” do programa Shark Tank Brasil, com a palestra “Como vencer tubarões”; e Lia Medeiros, cientista brasileira que faz parte do projeto que divulgou a primeira foto de um buraco negro, que falará sobre “Uma viagem para o buraco negro”.

A FdC3 também levará ao Centro de Eventos o grupo “Ciência em Show”, espetáculo onde a protagonista é a Ciência. Numa apresentação divertida, os apresentadores interagem com a plateia através de experimentos ao vivo, numa explosão de conhecimento para toda a família.

Sobre a FdC
A Feira do Conhecimento – Ciência, Tecnologia, Inovação e Negócios é uma iniciativa inédita do Governo do Ceará/Secitece para a popularização da Ciência. Realizada anualmente, a feira reúne academia, empresas, governo e comunidade mostrando o conhecimento produzido no Estado, apresentando o Ceará como indutor e catalisador da transferência de ciência e tecnologia.

Em sua primeira edição, em 2017, foram 10 mil visitantes e mais de 90 expositores. A segunda edição, em 2018, levou 13 mil visitantes para o Centro de Eventos do Ceará e reuniu mais de 200 expositores, com 35 oficinas e 60 palestras sobre diversas temáticas, de acordo com o público e área de interesse, totalizando 260 horas de programação gratuita. A edição deste ano promete superar os números tanto em relação às atrações quanto ao de visitantes.

Marca de camisas com estampas do Ciro Gomes em forma de meme, entre outros, inova e ganha fãs

Posted on Updated on

As redes sociais se tornaram uma grande aliada na difusão de opiniões políticas no país. Percebendo isso os empreendedores Pedro Waite e Leonardo Bueno decidiram criar a Loja Progressista (https://www.lojaprogressista.com.br/) para que simpatizantes das ideias e das frases clássicas do político Ciro Gomes pudessem expor o que acreditam até na hora de se vestir. A loja virtual comercializa camisetas masculinas e femininas com temas da esquerda progressista moderna e com inspiração em políticos brasileiros como Ciro Gomes, Brizola entre outros líderes.

“A missão da Loja Progressista é fazer estampas legais e dinâmicas e dar uma nova interpretação sobre vários temas que conectam as pessoas com visões mais progressistas e mais modernas, valorizando os políticos que representam à evolução dessas visões, dando às pessoas a oportunidade de vestir a camisa do que acredita, literalmente”, destacou o empresário e sócio da Loja Progressista, Leonardo Bueno.

O imediatismo e o amplo alcance das redes sociais tem o potencial de visibilizar opiniões e posicionamentos políticos por meio de campanhas, tuítes, memes e Fake News. No entanto, outras formas de expressão políticas ganham forças e surgem como uma nova opção de apoio partidário. Representantes de partidos, apoiadores e manifestantes adotaram as ferramentas como ponte para promover debates virtuais, muitos criaram páginas no Facebook e contas no Instagram para expressar apoio partidário e opinar por melhoria social. O Twitter também se tornou umas das redes sociais mais utilizadas para discutir opiniões, segundo o balanço divulgado pelo Twitter em 2018, em um período entre agosto e outubro, foram publicados 165 milhões de tuítes sobre as eleições, quatro vezes mais do que no mesmo período em 2014. Ainda de acordo com o levantamento, entre outros temas mais comentados estavam corrupção, seguida por segurança, educação, direitos civis, economia e saúde.

Um movimento que ganhou forças nesse período e que se estende até hoje, é o movimento progressista. Após o ex candidato à presidência da república pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes, alavancar nas pesquisas nos últimos dias do segundo turno e ser o terceiro colocado na corrida presidencial de 2018. Atualmente, mais de 2 milhões de internautas acompanham o político no Facebook, Instagram e no Twitter.

Cresce 310% o número de jovens que começaram a investir

Posted on Updated on

Nos últimos anos, houve crescimento contínuo no número de jovens, de 18 a 30 anos, que estão investindo. Na corretora Nova Futura Investimentos houve um crescimento de 310%, nos últimos 2 anos, de jovens que abriram conta e passaram a investir. A partir desse crescimento é possível visualizar que os hábitos etários estão mudando, e o grupo mais jovem deve continuar crescendo.

Essa mudança pode estar relacionada ao acesso a informações qualificadas, presença de corretoras em ambientes virtuais, facilidade de comprar várias modalidades de investimentos através de contas digitais e o aporte inicial baixo, que acabam chamando a atenção dos jovens investidores, que querem aplicar seu dinheiro, mas até então precisavam ter um esforço maior para buscar um local de confiança. Motivos como estes facilitam e fazem o número de jovens crescer cada vez mais no mercado financeiro.

Pensar na independência financeira desde cedo traz muitas possibilidades de planejamento, pois o jovem tem anos para aproveitar os juros, o acúmulo dos rendimentos, as altas e baixas da renda variável, sem preocupar-se com essa volatilidade que traz rendimentos muito significativos. “A falta de identidade com as empresas e com o mercado de trabalho, a necessidade de construir uma reserva para o futuro afim de garantir a aposentadoria e a busca por taxas de retornos superiores depois da queda da taxa Selic fizeram com que a busca pelos mercados de renda variável aumentasse exponencialmente e despertasse esse interesse dos jovens”, explica Nicholas Muroga, Analista de Investimentos da Nova Futura Investimentos.

Otimize seus dados e desbloqueie um novo potencial de negócios

Posted on Updated on

Artigo de Tak Naito é gerente sênior de Produto e de Inteligência de Marketing na Ricoh América Latina.

Qual é o bem mais valioso de qualquer empresa nos dias de hoje? Sem dúvida, nesta era de transformação digital, são os dados. A gestão da informação impulsiona as empresas a tomarem melhores decisões de negócio, expandirem as oportunidades de mercado e aumentarem as vantagens competitivas.

Hoje, graças a tecnologias como a nuvem, funcionários e clientes têm mais acesso à informação do que jamais vimos. No entanto, um estudo da PwC constatou que 96% das empresas em nível global não conseguem desbloquear todo o potencial de suas informações. Do total, 40% das empresas analisadas no estudo disseram que obtiveram poucos benefícios tangíveis com seus dados, e 23% afirmaram que não obtiveram nenhum benefício.

Diante dessa situação, as empresas devem concretizar uma estratégia eficiente de gestão da informação que possa se transformar em processos ágeis e de pensamento rápido. Mas, primeiro, é preciso analisar e criar um sistema robusto para administrá-los. Isso pode servir para identificar brechas no atendimento ao cliente.

Nesse contexto, compartilho cinco dicas para desbloquear o potencial dos seus dados e contar com acessos mais rápidos e seguros:

1. Escolha um profissional qualificado para configurar o sistema de gestão da informação de toda companhia

A Gartner, empresa de consultoria, recomenda designar um administrador de informações para cada unidade de negócios, o que vai ajudar a criar controles de risco nas informações utilizadas e trazer sucesso para as estratégias de negócios.

2. Faça uma auditoria de informações da sua empresa e identifique o que pode ser automatizado

Todos os sistemas e documentos em papel devem ser analisados. A conversão de documentos para o formato digital permite maior acessibilidade e facilidade na pesquisa. Isso traz economia e ajuda os colaboradores a serem mais produtivos, além de elevar as perspectivas de negócios.

3. Elimine espaço de armazenamento desnecessário

Tanto o armazenamento físico como o digital tem um custo para as empresas. Você está usando a combinação ideal de soluções em seus escritórios e fora deles? Ou será que é o momento de fazer mudanças? Isso não deve ser um exercício feito de uma só vez: a tecnologia avança rapidamente e você deve monitorar seus sistemas com regularidade, para ver se uma nova metodologia pode funcionar melhor.

4. Use um sistema de gestão de dados para estruturar informações

Isso inclui documentos do Word, e-mails em PDF, arquivos de PowerPoint, vídeos, arquivos de áudio, imagens e até mesmo publicações nas redes sociais. As planilhas convencionais não fazem o levantamento desse tipo de informação. Vale tentar uma solução de data mining, processo capaz de explorar grandes quantidades de dados para a busca de padrões consistentes.

5. Aplique o Big Data às informações da sua empresa para detectar tendências e fazer previsões

Com os grandes volumes de informações disponíveis para serem analisados, é importante fazer as perguntas certas e concentrar-se nas áreas onde é possível diminuir custos ou desenvolver novas fontes de receita. Você tem problemas de entrega? Analise a cadeia de suprimentos. Quer saber o que seus clientes realmente pensam de você? Não confie apenas em pesquisas, analise também os dados dos seus perfis nas redes sociais. Os clientes desejam algo que você não fornece? Talvez seja a hora de investir em inovações e lançar uma nova linha de produtos.

Com toda a eficiência e os conhecimentos aprimorados que você obtém ao otimizar suas informações e desbloquear todo o valor delas, você vai se perguntar por que não fez isso antes!