Posted on Updated on

Minsait | LinkedIn

A Minsait, empresa com atuação na Espanha e na América Latina, está destacando a necessidade de investimento cada vez maior em tecnologia com o conceito de Visão Artificial, que deve ganhar cada vez mais força nos próximos anos. A tecnologia, que consiste no uso de câmeras e sistemas de iluminação para otimizar processos de forma inteligente, já começa a ganhar espaço na Europa e deve chegar ao Brasil em breve.

Espaço para esse mercado não falta: estimativas apontam que em 2022 esse segmento deve gerar receita de 50 bilhões de dólares e dados da ABI Research mostram que em 2025 já deve existir uma base instalada de 94 milhões de dispositivos em fábricas no mundo todo.

Segundo a companhia, há benefícios claros para diferentes setores.  “Nas fábricas, a produção se torna mais rápida e flexível, reduzindo o tempo de inatividade e colaborando para a produção de maior qualidade. No setor médico, esse tipo de tecnologia permite diagnosticar doenças e lesões de maneira mais rápida e detalhada. Outros, como Smart Cities, bancos, mercado de seguros, varejo ou energia também podem se beneficiar do uso dessa tecnologia para aumentar a competitividade”, explica Flavio Carnaval, Head de Tecnologias Avançadas da Minsait no Brasil.

Um resultado prático do investimento em Visão Artificial foi colocado em prática pela Indra recentemente no âmbito dos transportes: o projeto BeCamGreen, solução com foco em Inteligência e Visão Artificiais para reduzir o tráfego da cidade e promover novas políticas de mobilidade sustentável, pontos demandados principalmente em mercados como os Estados Unidos.

“É um tipo de solução muito procurado nos EUA, onde o número de faixas HOV / HOT (Veículos de Alta Ocupação / Pedágio de Alta Ocupação) está aumentando. Na Europa, essa solução também deve ser um elemento-chave para as estratégias de gerenciamento de demanda e acesso à cidade, que são implantadas gradualmente há alguns anos com base no número de ocupantes, tipo de veículo, placa ou horário de pico”, destaca Carnaval.

Esse é apenas um dos projetos conduzidos recentemente pela companhia que, nos últimos anos, com o uso de Visão Artificial já obteve como resultados melhorar a eficiência nas linhas de produção de várias empresas do setor industrial e detectar fraudes no consumo de recursos naturais. Além disso, a empresa trabalha em projetos que visam facilitar e agilizar a manutenção do transporte público ou a coleta de resíduos.

“Deve-se ter em mente que esses sistemas não apenas permitem detectar defeitos com precisão superior à do ser humano, mas também são capazes de manter uma otimização constante dos processos já estabelecidos, o que traz ganhos de escala sem precedentes. É fundamental estar atento para aproveitar o máximo potencial que essa tecnologia pode oferecer”, finaliza o executivo.

Deixe uma resposta