Botão de pânico para proteção de mulheres vítimas de violência é tema de reunião do Ministério Público do Ceará

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio do Núcleo Estadual de Gênero Pró-Mulher (Nuprom), realizou esta quarta-feira (02/09) reunião virtual de esclarecimento e discussão sobre o Projeto Âmago, um botão de pânico que tem como objetivo proporcionar auxílio às mulheres em situação de risco ou violência. Com o projeto, as vítimas têm a oportunidade de receber ajuda, facilitando, assim, o pedido de socorro, de maneira imediata e segura.

Lançado em abril deste ano, o Âmago é um botão de pânico sincronizado via bluetooth com o aplicativo para smartphone. Quando acionado, informa a localização da vítima por SMS, de maneira secreta, somente para as pessoas de confiança. A ferramenta também envia um alerta de mensagem de que a vítima está em uma situação de risco ou violência.

O botão é totalmente gratuito para as mulheres e para solicitar é necessário fazer um cadastro no site do projeto (www.amago.app) e, após isso, entrar na fila de espera. Tanto o botão quanto o aplicativo e o envio são gratuitos para a mulher. Os botões são patrocinados por empresas parceiras, engajadas com as causas femininas e com o combate à violência doméstica.


Participaram da videoconferência a coordenadora do Nuprom, promotora de Justiça Lucy Antoneli Domingos; a promotora de Justiça e membro do Nuprom, Roberta Coelho Maia Alves; e as representantes do Projeto Âmago, Ana Carolina Braga e Babi Nascimento. Na oportunidade, foram assuntos debatidos: a importância da ferramenta para a defesa e proteção da vida feminina, o cadastro para apoio às vítimas de violência e a captação de recursos junto à iniciativa privada para o financiamento dos botões a serem distribuídos.

Deixe uma resposta