A Coluna do Roberto Maciel (extra: sexta, 04.09): Mais uma pedrada de Bolsonaro

Bolsonaro atirou a primeira pedra
Partiu do presidente Jair Bolsonaro a pedra fundamental, por assim dizer, de um processo de trucidamento da imunização contra o novo coronavírus. Tendo em conta o comportamento bovino de muitos que o seguem em posturas e conceitos morais, deve-se esperar que nesse momento essa seja uma primeira pedra contra a razão, contra a responsabilidade. Consequentemente, contra o direito à vida – e, claro, contra a obrigação que cada cidadão deve ter em respeito à própria existência e à dos outros. Leia a frase dele: “Ninguém pode obrigar ninguém a se vacinar”. Partida de uma pessoa que expeliu um seco “e daí?” sobre as vítimas da pandemia, assim como disse não ser coveiro para estar se preocupando com as mortes alheias, a declaração sobre a vacina não espanta. Espanta, antes de tudo, a falta de responsabilidade das instâncias de poder que têm a determinação de fiscalizar a conduta moral de que ocupa a Presidência da República. Bolsonaro esbanja demonstrações de desapreço às prerrogativas mais elementares dos brasileiros. Mostra, sem pudor, não se atinaar nem um pouco com a vida.

Sonso

Bolsonaro até saiu-se com essa: “Não podemos ser irresponsáveis de aplicar vacina sem comprovação”. Foi ele mesmo quem, irresponsavelmente e ilegalmente, receitou hidroxicloroquina – um remédio sem comprovação científica, que pode ser letal se administrado em condições distintas das previstas – até para a ema do Planalto.

Casos
Por exemplo, não se pode transitar entre países sem a certificação de imunização contra várias doenças. E não se podem matricular crianças nas escolas sem o cartão de vacinação em dia.

A segunda pedra
Foi o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, que até já foi contaminado pela covid-19, quem inaugurou o falsamento de que a palavra de Bolsonaro exprime preocupação com as “liberdades dos brasileiros”. A peça abaixo foi parida e distribuída pela Secom – com dinheiro público, portanto:

Imagem

Enganação
Trata-se de uma mentira. A começar pelo fato de que, como mostramos em nota anterior, os brasileiros são, sim, obrigados – em nome dos direitos coletivos – a se vacinar contra paralisia infantil, sarampo, rubéola e outras mazelas. O brasileiro conhece isso, sabe bem. Talvez só não saiba se vacinar contra doenças que matam a democracia.

Tropeço
Bolsonaro tropeça na grosseria que ele mesmo obra. Embora não se deva considerar a hipótese de agentes públicos apanharem cidadãos nas ruas e levá-los à força para tomarem agulhadas, é justo estabelecer sanções para quem não se vacinar ou não cuidar de vacinar aqueles que estão sob sua responsabilidade. E essas sanções já existem.

Outra contradição
O site Rede Brasil Atual (www.redebrasilatual.com.br) foi bem preciso ao apontar (mais uma) contradição do presidente: “A fala (…) conflita com a lei 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, assinada pelo próprio Bolsonaro. A legislação estabelece medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública diante da pandemia do novo coronavírus. Àquela época, o país nem sequer tinha doentes conhecidos, muito menos mortos por covid-19. Mas o artigo 3º da lei já previa a vacinação compulsória, ou seja, obrigatória, ‘para o enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional’”.

No YouTube
A jornalista Eveline Frota e eu inauguramos um canal na plataforma de vídeos Youtube, denominado Coluna da Hora. Nessa nova atividade, temos análises, entrevistas e variedades. O video de estreia, que está no ar, contém entrevista com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). O endereço, para você se inscrever e acionar a sinetinha de notificações, é esse.

Ao vivo
E sempre às terças e quintas-feiras estamos, eu e Eveline, em lives no Instagram. Mantivemos nesse projeto a marca “Coluna da Hora” – em referência a um ponto histórico do Centro de Fortaleza, ao fato de começarmos pontualmente às 17 horas e, por último, ao tempo de uma hora exata que tem o nosso encontro com os internautas. É possível acessar e participar das lives da Coluna da Hora por intermédio dos perfis @evefrota ou @robertoamaciel.

Dê um alô
Faça contato a gente. O Portal InvestNE usa o e-mail portalinvestne@gmail.com. O número de WhatsApp é +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta