Prefeitura de Fortaleza duplica número de estações do Bicicletar e leva sistema aos bairros Itaperi, Itaoca, Serrinha e Demócrito Rocha

Fortaleza entrega sete novas estações do Bicicletar. E quer chegar a 210

A Prefeitura de Fortaleza implanta hoje (sexta-feira, 04/09), oito novas estações do Bicicletar, chegando aos bairros Itaperi, Serrinha, Itaoca e Demócrito Rocha, contemplando a Regional IV. As novas implantações também acontecem nos bairros Panamericano e Montese. Com a iniciativa, Fortaleza agora conta com 162 estações do sistema de bicicleta compartilhada, o que é um pouco mais que o dobro de estações disponíveis até o final de 2019, permitindo mais alternativas de deslocamento sustentável para o uso da população em mais bairros da capital. 

Desenvolvido pela Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos, por meio do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito de Fortaleza, o Bicicletar está expandindo o sistema de compartilhamento de bicicletas para novas regiões da cidade, tornando-se o maior sistema de bicicleta compartilhada do Brasil em número de estações por habitantes e o terceiro em números absolutos, atrás somente do Rio de Janeiro e São Paulo. Além disso, este novo modelo está ampliando, modernizando e trazendo mais conforto ao sistema, com estações maiores e oferecendo mais vagas para as bicicletas, dentre outras melhorias. 

As novas estações fazem parte da expansão do sistema que está chegando a bairros das Regionais II, III, IV e VI, como Mucuripe, Bela Vista, Parquelândia, Panamericano, Rodolfo Teófilo, Amadeu Furtado, Itaperi, Serrinha, Itaoca, Demócrito Rocha, Vila União, Montese, Parreão, Luciano Cavalcante, Messejana, Paupina, Edson Queiroz, Jardim das Oliveiras, Sapiranga, Cidade dos Funcionários, Parque Manibura, Parque Iracema e Cambeba. Neste ano, o sistema também já foi ampliado para o corredor Oeste de Fortaleza, com estações implantadas do Centro até as Regionais I e III, beneficiando cerca de 400 mil pessoas nos bairros Barra do Ceará, Cristo Redentor, Pirambu, Jacarecanga, Carlito Pamplona, Álvaro Weyne, Presidente Kennedy, Monte Castelo, São Gerardo, Centro, Farias Brito, Benfica, Parquelândia, Pici, Antônio Bezerra, Padre Andrade, Moura Brasil e Vila Ellery. 

De janeiro deste ano até agora, já foram implantadas 82 das 130 novas estações previstas até o final de 2020, quando o sistema passará a contar com um total de 210 estações, o que representará uma ampliação em mais de 160%. 

Até o momento, o Bicicletar já possibilitou a realização de 3.181.244 viagens e o sistema conta com mais de 260 mil usuários cadastrados, sendo cerca de 94% dos cadastros ativos utilizando o Bilhete Único. O Bicicletar é um dos sistemas mais utilizados do Brasil, apresentando uma maior procura em dias úteis.

Após a consolidação, o sistema já verificou média de 2.600 viagens em dias úteis e, aos finais de semana e feriados, a maior média verificada foi de 2.100 viagens por dia. 

As novas estações

159 – Praça Mauá (Rua Guanabara, oposto ao número 580, quase esquina com a Rua Piauí)

160 – Lavanderia Lourdes Ary (Rua Pernambuco, 595)

162 – IMPARH (Rua Irmã Bazet, 30)

164 – Igreja N. S. Aparecida (Rua Aquiles Boris X Rua Isaie Boris)

165 – VLT Montese (Rua Antônio Fiúza, 568)

166 – Gov. João Carlos (Rua Galileu X Rua Gov. João Carlos)

167 – Credlar – Silas Munguba (Rua Afonso Lopes, 161 – esquina com Av. Dr. Silas Munguba)

168 – Uece (Av. Dr. Silas Munguba, 1700 – próximo à entrada do Campus do Itaperi) 

Expansão do Bicicletar

Até 2019, Fortaleza contava com 80 estações do Bicicletar, que são patrocinadas pela Unimed Fortaleza.Já estes 130 novos equipamentos que estão sendo implantados ao longo deste ano são custeados com recursos municipais oriundos da arrecadação da Zona Azul, resultando num sistema completamente renovado, mais moderno e confortável, com estações maiores e oferecendo mais vagas para as bicicletas, entre outras melhorias. 

As novas estações estão sendo implantadas enquanto as estações que já existiam também estão sendo gradativamente renovadas e ampliadas. A empresa Serttel permanece como operadora e responsável pela manutenção técnica nos equipamentos. 

Melhorias no sistema

Novidades como câmeras de videomonitoramento e alarme sonoro em todas as estações, botões individuais para solicitar conserto de bicicletas, escolha de bicicleta a partir da modalidade Bilhete Único, monitoramento de bicicletas por GPS e central de atendimento gratuito por telefone também estão entre as melhorias.

O sistema permanece gratuito para quem utiliza Bilhete Único para viagens até 1 hora de segunda a sábado ou 1h e 30 minutos aos domingos e feriados. 

Regras de uso

1 – Baixe o aplicativo Bicicletar no smartphone e faça o cadastro ou cadastre-se pelo site: www.bicicletar.com.br

2 – Após o cadastro, habilite seu passe Bicicletar no site ou no aplicativo:·Passe com Bilhete Único é gratuito·Passe diário: R$5,00·Passe mensal R$20,00·Passe anual R$80,00 

3 – Retire uma bicicleta utilizando o aplicativo, por telefone (08005009901) ou com seu Bilhete Único; 

4 – Após utilizar a bicicleta, devolva em uma das posições livres da estação do seu destino; Podem ser feitas gratuitamente quantas viagens quiser de até 1 hora (segunda a sábado) e até 90 min (domingos e feriados), desde que sejam realizadas com intervalos de pelo menos 15 min entre si. 

Malha cicloviária em Fortaleza

A Prefeitura de Fortaleza chegou à marca de 312,1km de infraestrutura cicloviária, proporcionando cada vez mais opções de deslocamentos seguros para a utilização da bicicleta na cidade. Nessa conta, são 190,1 km de ciclofaixas, 111,4 km de ciclovias, 10,4 km de ciclorrotas e 0,2km de passeio compartilhado. Isso representa que a Prefeitura de Fortaleza, somente no período da atual gestão, bateu um recorde histórico, ampliando em cerca de 354% a rede cicloviária na cidade, visto que, ao final de 2012, a cidade contava apenas com cerca de 68,6 km de malha cicloviária.

Além disso, em 2018, já havia sido ultrapassada a meta estabelecida pelo Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) para 2020, que era de cerca de 236 km de rede para deslocamento de ciclistas. 

Outro resultado importante deste projeto é que, segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), Fortaleza é a cidade brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária (https://itdpbrasil.org/pnb/).

O estudo revela que a capital cearense está no topo da lista dentre as 20 maiores cidades brasileiras com este perfil e o indicador percentual PNB (sigla em inglês para People Near Bike) mostra que 36% dos fortalezenses moram a menos de 300 metros de uma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhado, ficando à frente de cidades como Belém (29%), Distrito Federal (27%), Recife (24%), Aracaju (21%), Salvador (20%), São Paulo (19%) e Rio de Janeiro (19%), dentre outras. Esses dados evidenciam também que Fortaleza é a única cidade com mais de 30% da população morando a 300m de alguma infraestrutura cicloviária. 

Deixe uma resposta