Black Friday 2020: de olho nas imagens do e-commerce

três jovens apontando para tela do notebook

Com novos consumidores online e um histórico de crescimento acelerado nos últimos seis meses, o e-commerce brasileiro está positivo em relação à Black Friday 2020. Apesar de muitos especialistas acreditarem que o pico de vendas do setor já aconteceu nos meses de alto isolamento social por conta da pandemia, a expectativa de boa parte dos lojistas é de se aproximar ou superar o crescimento do evento de 2019. 

“Para alcançar esse resultado, cuidar das imagens do e-commerce de forma criteriosa é uma das tarefas mais importantes. Mesmo sabendo que o comprador está mais orientado pelo preço das ofertas neste período, a imagem ainda é um fator de atração e que, junto ao descritivo do produto, influencia fortemente na decisão de compra”, explica Carolina Soares, Co-Fundadora da Foto.Com, empresa especializada em foto, vídeo e conteúdo para o e-commerce brasileiro. Para os varejistas que estão se preparando para a data, seguir algumas recomendações de quem entende do assunto pode ser crucial na disputa pelo consumidor. 

1 – Formatos

A primeira orientação para o lojista online é explorar os diferentes formatos de imagem que possam ajudar o comprador a entender o produto. Por exemplo, as lojas de moda, bolsas, calçados e acessórios podem destacar o acabamento das peças, a qualidade dos materiais e o caimento no corpo. Além da fotografia, o vídeo estilo catwalk (quando o modelo caminha exibindo o produto) também valoriza a peça. Outros formatos eficientes são a imagem 360º e o infográfico, que, dependendo do negócio, tiram as dúvidas do usuário que se sente mais seguro para investir na compra. 

2 – Apresentação 

Nesse momento, economizar na comunicação não é uma boa ideia. Recomenda-se que cada item seja apresentado em pelo menos quatro imagens diferentes, exibindo todos os ângulos do produto. Em alguns casos, mostrar a peça por dentro e até do avesso pode ser uma opção inteligente. O lojista precisa colocar-se no lugar do comprador e avaliar se a oferta deixa claro todos os detalhes do item. Esse cuidado pode reduzir o número de devoluções, trocas ou cancelamentos que geram prejuízo para o e-commerce e desgaste para o consumidor.

3 – Dimensões

Outro ponto que deixa todo comprador online inseguro é a dimensão do produto. E, mais uma vez, a imagem pode ser a maior aliada do varejista. Além de recursos como tabela de tamanhos e calculadoras que podem ser disponibilizados pela loja virtual, fotos e vídeos do item em uso tiram qualquer suspeita do ar. As fotos hero (quando o produto é fotografado em close com os detalhes da embalagem em destaque), realçando o peso ou a quantidade, são outro mecanismo simples e eficiente para lojista e comprador. Essa é uma opção muito usada por e-commerces de beleza, limpeza ou automotivos, entre outras categorias específicas.

4 – Usabilidade

A qualidade da imagem também é inquestionável, mas não se pode confundir definição e nitidez com fotos grandes e pesadas que sobrecarregam o site e impactam a usabilidade do consumidor. Durante a Black Friday, quando a loja sofre picos de acessos, o que o lojista menos deseja é ter o carregamento do site mais lento por conta das fotos. Um problema de segundos que leva os clientes a abandonarem a página, resultando em queda nas vendas. A dica aqui é otimizar as imagens para o tamanho ideal, fazendo com que elas trabalhem a favor da estratégia do e-commerce. Afinal, a marca já investiu em marketing digital para atrair tráfego qualificado e não deve perder o consumidor no momento mais aquecido da compra.

5 – Quanto antes, melhor

Em um ano atípico, como 2020, tanto as veteranas quanto as novas lojas online precisam preparar sua estratégia para o evento com bastante antecedência. Basta considerar que o consumidor online está mais crítico e atento em relação a como gastar o seu dinheiro. Por isso, para se destacar em relação aos concorrentes, em um momento em que o ambiente digital nunca esteve tão disputado, o varejista precisa entregar toda a jornada de compra do usuário com excelência. “A maior recomendação no âmbito das imagens da loja é planejar as fotos e o conteúdo que acompanha a descrição dos produtos de forma integrada e com pelo menos dois meses de antecedência. Juntos, eles ajudarão a solucionar o problema do comprador, atendendo a sua necessidade e reduzindo os esforços do lojista, inclusive com atendimento”, pontua Carolina Soares.

6 – Profissionalização

Para dedicar todas as atenções à operação do e-commerce na Black Friday, os grandes varejistas investem na produção cada vez mais profissional das suas imagens. Em muitos casos, a geração do conteúdo e o cadastro dos produtos também são delegados a empresas especializadas. Assim a equipe da loja virtual pode focar todos os esforços na experiência do usuário e no sucesso das ações para a data. Esta é outra alternativa que desafoga o time na preparação para o evento, reduzindo o risco de atrasos nas postagens ou erros nos processos. 

Seguindo essas dicas, o lojista online poderá aproveitar a Black Friday com mais tranquilidade e confiança para buscar os resultados financeiros e a audiência que precisa no ambiente digital. 

Deixe uma resposta