Empresa: atenção com a limpeza para não perder vendasno final de ano

Imagem em alta para download  O final de ano está chegando e os empresários precisam se preparar para receber o maior fluxo de consumidores nas lojas, não só no que se refere aos estoques, mas também às condições de atendimento. Isso inclui ambientes limpos e higienizados, especialmente diante da pandemia de Covid-19 que ainda não acabou. Supermercados, lojas de departamentos, de material de construção, drugstoresshoppings, postos de serviços, entre outros deverão receber uma quantidade maior de clientes em busca dos mais variados produtos para o Natal e para as férias, mas esperando também segurança sanitária. Para facilitar essa tarefa, os comerciantes podem lançar mão de Lavadoras de Pisos, um equipamento de fácil manuseio e eficiente na limpeza. “Modelos compactos apresentam vantagens, como menor consumo de água e de produtos químicos e menor esforço físico dos responsáveis pela atividade, com liberação mais rápida da área de vendas, mesmo em horário comercial”, explica José Renato Demian Ferreira, Diretor Geral da JactoClean, empresa do Grupo Jacto especialista em equipamentos para serviços de limpeza. Movidas a bateria ou energia elétrica, as lavadoras de pisos favorecem a limpeza de lojas de menor porte. Versões com escova centralizadas, como a LJ16B (bateria) e LJ16E (elétrica) da JactoClean, tornam mais fácil a limpeza junto a paredes, cantos ou obstáculos. O guidão regulável e dobrável facilita o alcance embaixo de mesas e também nos espaços mais estreitos do ponto de venda, incluindo o checkout. E para que a rotina não seja quebrada e os consumidores não se sintam inseguros e desconfortáveis nas lojas, o executivo da JactoClean recomenda aos empresários que se abasteçam, também, dos acessórios, como os discos de limpeza, que retiram sujeiras dos pisos, e produtos químicos, que limpam, lavam e desinfetam as superfícies. “Um ambiente limpo tem valor para os clientes, que escolhem uma loja também pela preocupação com a segurança de colaboradores e consumidores”, conclui Ferreira.

Deixe uma resposta