Startup retoma planos de crescimento e prevê novo e maior aporte em 2021

Em um ano em que o turismo passou por desafios até então nunca vivenciados, a startup iFriend vive um momento de forte retomada. Mesmo com as medidas de isolamento social e a restrição do fluxo de turistas por causa da pandemia, a plataforma conseguiu captar R$1 milhão e prevê um novo aporte já no primeiro semestre do ano que se aproxima.

O modelo de negócios, criado em 2018 e que funciona como um marketplace conectando viajantes a guias locais, viu seu crescimento médio de 30% ao mês computado em 2019 cair drasticamente por causa do impacto do coronavírus no setor. No entanto, as projeções indicam ampla recuperação no ano que vem, com indicadores próximos aos registrados nos meses anteriores à pandemia. É o que conta Leonardo Brito, CEO do iFriend. “Com a chegada da vacina, a expectativa é que a partir do primeiro trimestre de 2021 a startup alcance uma evolução média de 20% ao mês.” As projeções são feitas com base nos resultados já computados e tendo em vista as mudanças e o impacto ocasionados pelo novo coronavírus.

Outro ponto que destaca o iFriend no mercado é o grande alcance do serviço, uma vez que está presente em mais de 125 países e soma mais de mil destinos. Com guias falando português em diversas partes do mundo, a startup ajuda os turistas a enfrentarem uma das maiores dificuldades de quem viaja para o exterior: a comunicação.

Agora, a plataforma volta os seus esforços para atender outras necessidades, atreladas ao futuro vislumbrado para o setor no pós-pandemia, e esse futuro está em solo nacional. Com a restrição de viagens para outros países, o risco de contaminação ainda assombrando os viajantes e a moeda estrangeira em alta, a aposta é que a retomada aconteça primeiramente por aqui; viagens internacionais devem voltar com mais força a partir do segundo semestre de 2021, após superação do desafio causado pela covid-19.

Por isso, a startup volta o seu olhar para o mercado business to business (B2B). Tanto que viu o programa de parceiros se fortalecer neste ano, agora com mais de 850 agências de viagens participando. O incremento é de 420%, o que aumentou substancialmente a presença da startup no trade turístico nacional. 

O que torna o iFriend vantajoso para esse mercado é o serviço de receptivo com menos intermediários e valores mais atrativos, benefícios importantes em um ano de rearranjo econômico. Também é um aspecto positivo a facilidade de contato com os 5,3 mil guias locais, os chamados iFriends.

“O plano de expansão desse programa é bastante arrojado. No próximo ano, esperamos chegar a cinco mil agências participantes. Para atender a essa demanda, projetamos um crescimento significativo no número de guias cadastrados. A previsão é alcançar 8,3 mil novos iFriends que conhecem profundamente o destino visitado, assim teremos um aumento de 56% em relação a base atual”, diz Brito.

Para esse novo ciclo, a startup já ampliou o mix de serviços. Além da contratação de guias locais, a plataforma lançou as Experiências, que são passeios exclusivos elaborados pelos iFriends, sendo mais de duzentas opções em diversos destinos pelo mundo.

Toda essa movimentação tem aumentado o interesse em torno da plataforma, que desde a criação já recebeu aporte de R$1,6 milhão além do valor projetado para receber no primeiro trimestre de 2021. “Estamos em fase avançada de negociação e acreditamos que mais oportunidades surgirão. O iFriend já foi, inclusive, valorado pelo Banco Fator, que realiza um trabalho de assessoria financeira na captação de recursos com fundos de investimentos. A nossa capacidade de promover mudanças socioeconômicas é um fator de atração para novos investidores”, pontua o CEO da startup, que neste ano anunciou a entrada de Álvaro Garnero, empresário e embaixador do turismo brasileiro, segundo a Embratur, no quadro societário.

Deixe uma resposta