Agenda ambiental da @Assembleia_CE aponta novas ações e apresenta balanço de 2020

Após um ano de adaptações, por causa da Covid-19, a Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), da Assembleia Legislativa do Ceará, definiu planejamento das ações ambientais de 2021, ainda atenta à necessidade de manter os cuidados sanitários.

A coordenadora da célula Agenda Ambiental na Administração Pública, Morgana Ferreira cita, entre as metas deste ano, implantar a coleta seletiva de forma mais efetiva, com a aquisição lixeiras; de composteira elétrica, para otimizar a compostagem da borra de café e outros materiais orgânicos provenientes do restaurante; produção do adubo natural para ser usado na Assembleia e para doação. Entre os objetivos ainda, melhorar a eficiência energética com ações como otimizar o uso de energia de alguns pontos identificados. Também está sendo realizado o mapeamento das bombas hidráulicas para identificar setores que mais gastam água e agir estrategicamente para diminuir o consumo.

Segundo Morgana Ferreira, a A3P vai trabalhar também a conscientização sobre uso de papéis, gasto de energia e da água. Ela explica que, neste ano, além das ações de reciclagem que já ocorrem, as campanhas de educação ambiental e os cursos deverão continuar de forma remota. “Algo positivo desse período foi a adaptação do setor. Neste ano, parte da programação deverá ser realizada virtualmente, por questão ambiental e por causa da pandemia”, explica.

Balanço de 2020

Em relação 2020, a Célula da Agenda Ambiental da Administração Pública (A3P) promoveu, em janeiro do ano passado, ação de solidariedade em parceria com a Unimed Fortaleza e outras entidades. Contribuindo na campanha “Eu Ajudo na Lata”, a A3P doou para o Lar Torres de Melo materiais de acessibilidade aos idosos. Morgana Ferreira destaca também que a Assembleia recebeu o certificado reconhecendo a AL como maior doador externo, pela arrecadação de aproximadamente 62kg de alumínio.

Conforme adiantou, o Poder Legislativo também se tornou ponto fixo de coleta de lacres de alumínio desde 2017. Os lacres arrecadados são vendidos para reciclagem e o valor é investido na compra de cadeira de rodas e outros itens para acessibilidade.

Outra ação do ano passado envolveu a contratação de empresa de consultoria em eficiência energética, por meio de licitação, para acompanhamento da obra do Anexo III e verificação da sua execução de acordo com o projeto, para atribuição da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), informa Morgana Ferreira.

Em junho de 2020, ocorreu de forma virtual, em razão da pandemia da Covid-19, a Semana do Meio Ambiente, com palestras de especialistas renomados, painéis e divulgação de informações. “O evento foi engrandecedor e inovador, pois tivemos a oportunidade de ampliar a atividade para o público externo, ligando o tema da biodiversidade com o momento em que vivemos e mostrando como ela é sensível à interferência humana”, pontua a coordenadora da Célula A3P.

Outro destaque foi o concurso “Sustentabilidade em Casa: Um minuto que pode salvar o Mundo”, que incentivou práticas sustentáveis durante o isolamento social.

Em relação à coleta de resíduos sólidos, a Célula totalizou, em 2020, 6.918,23 kg de resíduos destinados à associações de catadores. Foram doados também 182,5 kg de Resíduos Eletroeletrônicos (Reee) e coletados 200,3kg de pilhas e baterias.

Em dezembro, foi feita a distribuição de 160 mudas de plantas (ipê roxo, ipê rosa, sapoti, rio negro, palmeira de salão, clúsia e Asystasia) aos servidores do Poder Legislativo.

Morgana Ferreira destaca que a ação foi também uma forma de celebrar o Natal, apesar de todas as dificuldades impostas pela pandemia. “Foi um ato simbólico que representa nossa contribuição em prol da natureza. Precisamos devolver ao meio ambiente as espécies que foram dizimadas ao longo do tempo”, defende.

Deixe uma resposta