Brasil ganha primeiro curso focado no mercado da longevidade

A longevidade é algo que tem aumentado no Brasil. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a expectativa de vida no país cresce a cada ano. Em 2019 houve um aumento de três meses, em relação a 2018, em média 73 anos (homens) e 80 anos (mulheres). Além disso, os consumidores seniores são o mercado que mais cresce atualmente, já que a pirâmide etária no Brasil se inverteu – os 50+ representam 25% da população e movimentam R$1,8 trilhão/ano, um mercado chamado de “oceano prateado”.

De acordo com especialistas, o aumento se deve a diversos fatores como uma maior atividade física, avanços da medicina e farmacêutica, entre outros. Por isso, a longevidade tem se tornado um mercado cada vez maior. Segundo a professora do ISAE/FGV, Patrícia Galante de Sá, esse é o maior mercado consumidor do futuro, devido à demografia global. ‘‘O envelhecimento populacional é uma das quatro megatendências mapeadas pela ONU, e no Brasil já temos mais avós do que netos’’, diz a professora. ‘‘O consumidor do futuro não é o millennial, mas o sênior’’, afirma.

Apesar disso, muitas organizações ainda não apostam nesse mercado. ‘‘Contraditoriamente, as empresas descartam os profissionais maduros, que têm migrado para o empreendedorismo’’, diz Patrícia. ‘‘Além disso, a comunicação e o marketing desprezam esse cliente, devido a uma cultura equivocada do branding de que legal é ser jovem”, conclui. Para a professora, os mais maduros não têm se reconhecido na publicidade, e perdem espaço no mercado de trabalho, apesar de terem ganhado, em média, mais 20 anos de vida produtiva.

Por isso, a Fundação Getúlio Vargas, acaba de lançar o curso de Formação Executiva em Mercado da Longevidade, o primeiro do país focado no tema. O objetivo é fazer com que executivos e empreendedores de todos os segmentos desenvolvam ofertas e comunicação adequadas ao público sênior. ‘‘Nosso foco não é capacitar os 50+, mas preparar gestores e empreendedores de todas as idades para enxergar as oportunidades de negócio do mercado prateado, entender as especificidades desse consumidor sem cair na cilada dos estereótipos, e atender suas demandas de produtos, serviços, RH e até adaptação das cidades’’, destaca Patrícia. ‘‘A pegada do curso é ter aplicação prática, por isso cada módulo termina com o desenvolvimento de uma etapa de um projeto trazido pelo aluno’’, explica.

Por conta da pandemia e para facilitar que gestores e empreendedores de todo Brasil tenham acesso, o curso é feito no formato Live. Com duração de quatro meses, com uma aula por semana via plataforma Zoom, o curso é dividido em quatro módulos: Oceano Prateado, sobre tendências e inteligência de mercado; Inovação e Marketing para o Mercado Sênior; Desenvolvimento de Serviços para o Consumidor Prateado; e Empresas Age-Ready e Empreendedorismo Sênior, que olha para a diversidade etária e a intergeracionalidade nas organizações. Cada módulo tem pelo menos um palestrante convidado, que traz um caso empresarial sobre o tema.

O curso inicia uma turma em maio/2021, aberta a gestores e empreendedores das mais diversas áreas de atuação do Brasil. Para conferir este e outros cursos de curta e média duração do ISAE/FGV, acesse:  https://conteudo.isaebrasil.com.br/fgv-live.

Deixe uma resposta